Pesquisa indica que 42% dos empresários pretendem expandir seus negócios em 2021

Pesquisa de Monitoramento dos Pequenos Negócios, realizada pelo Sebrae RS, mostra também que 88% das empresas estão operando

A Pesquisa de Monitoramento dos Pequenos Negócios, desenvolvida pelo Sebrae RS, mostra que os empresários estão mais confiantes com a retomada das atividades, reflexo do avanço da vacinação e da perspectiva de melhora no cenário econômico . O levantamento apontou que 42% dos empresários pretendem expandir seus negócios no primeiro semestre deste ano, seguidos de 39% que pretendem manter, 11 % reposicionar, 5% retomar e 2% reduzir. Apenas 1% dos entrevistados pretendem encerrar as atividades da empresa. Os dados foram detalhados pelo diretor-superintendente do Sebrae RS, André Vanoni de Godoy, em entrevista à Tua Rádio São Francisco.

Ouça AQUI uma entrevista.

Apenas 11% das empresas permanecer sem funcionar, enquanto 88% estão operando. Por conta disso, o faturamento também apresenta sinais de recuperação. O mês de janeiro apresentado o melhor resultado da série, com 19% dos negócios sinalizando aumento, 33% manutenção e 43% redução.

A pesquisa traz um novo foco de interesse dos empreendedores gaúchos: o mercado. Citada por 39% dos entrevistados, a orientação sobre uso de ferramentas digitais para o relacionamento com os clientes aparecem entre as prioridades, seguida da análise sobre tendências e perspectivas do mercado, com 29% de indicações, e alternativas para diversificar produtos e serviços, com 19% de preferência, superando as questões financeiras, que foram prioritárias em 2020. Neste ponto, o capital de giro segue como foco de interesse para 33% dos entrevistados.

Apesar de perder o primeiro lugar em 2021, uma busca por crédito no ano 2020 foi uma constante na vida de muitas empresas, já que 42% delas buscaram recursos com terceiros. Naquelas que procuraram linhas de crédito com agentes financeiros, o valor médio calculado foi de R $ 79, 6 mil. O dado ruim último levantamento é que, das empresas que fecharam definitivamente em janeiro, 18% delas o fez por razões relacionadas ao mercado (falta de clientes), financiamento (falta de capital de giro) e incapacidade de reposicionar o seu negócio. A Pesquisa de Monitoramento dos Pequenos Negócios foi realizada de a 19 / 01. A margem de erro é de 3,4%.