Pesquisa da CDL Caxias do Sul aponta crescimento de 17% no número de consumidores que devem ir às compras neste Natal

Pesquisa da CDL Caxias do Sul aponta crescimento de 17% no número de consumidores que devem ir às compras neste Natal

Mesmo com redução no tíquete médio, maior índice de pessoas pode incrementar em 5,7% conforme comercializações para dados neste ano. Vestuário, brinquedos e itens de higiene e beleza são os artigos mais conhecidos pelos entrevistados

Seis em cada as pessoas devem ir às compras neste Natal. É o que aponta uma pesquisa tradicional realizada pelo Núcleo de Informações da CDL Caxias do Sul . Um dado comemorativa mais importante para o varejo deve ter um incremento de 5,7% nas vendas em 2021. O levantamento indicou que, apesar do tíquete médio ficar 7,3% menor que no ano anterior, chegando em R $ 440, 57, o número de interessado em adquirir produtos pode aumentar em 17%.

Vestuário (36%) , brinquedos manuais (21, 6%) e eletrônicos (7,9%) , além de itens de higiene e beleza (6,6%) , devem ser os mais procurados pela população, com média de três presentes por cliente. Entretanto, 55, 7% afirmaram que ainda não sabe o que comprar.

Dos 21, 7% que mencionaram que pretendem gastar menos neste ano , 52% sinalizaram que é por conta do aumento geral dos preços, 22, 7% pela redução da renda familiar e 73 , 8% pelo aumento de outros gastos com a família.

Mais de 58% dos entrevistados afirmaram que considera importante a decoração nas ruas e nos equipamentos, sendo que 84, 7% compram mais presentes ou gastam mais em virtude do clima natalino e outros 84, 3% se sentem mais à vontade para entrar nas lojas e ver os produtos. Entre os motivos que estão lembrando da data estão na época do ano (57, 5%) e os empreendimentos enfeitados (16, 8%).

A pesquisa de intenção de compras da CDL Caxias foi realizada com 637 moradores de diferentes pontos de Caxias do Sul. O levantamento tem índice de confiança de 95% e margem de erro de 5% para mais ou para menos.

Maior movimento nas lojas do Centro

Historicamente, assim como ocorre em outras datas comemorativas, como lojas físicas (62, 8%) seguindo sendo as preferidas na hora das compras dos presentes de Natal. Os adaptados nas ruas do Centro de Caxias do Sul devem registrar o maior movimento nas vendas, com 58, 6% das intenções, seguido dos shoppings e centro comerciais (12, 1 %).

Entre os principais fatores para a escolha do local estão ao atendimento (46, 7%), o produto (19%) e a transparência, com a identificação clara dos preços ((13, 9% ).

Uma pesquisa apurou que cerca de 18% dos entrevistados vão adquirir os itens em lojas virtuais, seja do município ou de outras cidades. O motivo principal para a escolha do digital está sem preço, sinalizado por 35, 2% das respostas.

Ainda segundo o estudo, 73% das pessoas pesquisam os produtos antes de comprar, sendo que 45, 5% buscam informações diretamente nas lojas, 20, 9% nos sites dos próprios direitos e 19, 4% em portais de pesquisa.

“62% dos consumidores pesquisam nas lojas próprias, seja no físico ou no digital. Por isso, é muito importante fazer um atendimento de excelência, com atenção e acolhimento que os clientes merecem ”, lembra Cervieri.

30% das vendas serão na semana do Natal

Os caxienses manifestaram desejo de antecipar as compras para o Natal em relação ao ano passado. Um terço das vendas (30, 2%) deve ocorrer entre 18 e 22 dezembro, sendo 16, 2% na véspera ou no dia da celebração. Em 2020, a semana que antecedia a data representou 49% das escolhas.

Os principais meios de pagamento motivados pelos entrevistados são o dinheiro, com 52, 6% das intenções, seguido dos cartões de crédito (35, 2%) e de débito (16, 4%).

“A maior parte dos presentes serão para filhos e enteados (29, 3%), parceiros (19, 5 %), pais (14 , 2%) e netos (10, 2%) ”, pontua o dirigente da CDL Caxias.

Do total de participantes, 36, 8% afirmaram que não vão comprar presentes neste ano. Em 2020 o índice chegou a 46, 35%. Entre as motivações estão a falta de dinheiro ou crédito (46, 8%), outra prioridade 29, 4%) e pelo fato de não comemorar a data (8,9%).