Mais de 81% dos comerciantes da Serra têm perspectiva de crescimento em 2021

Sindilojas Caxias promoveu a “Pesquisa Resultados do Comércio em 2020”, de 21 de janeiro a 02 de fevereiro, com a participação de 114 comerciantes

A “Pesquisa Resultados do Comércio em 2020”, criada pelo Sindilojas Caxias teve o objetivo de identificar os principais resultados econômicos do setor varejista para monitorar e buscar soluções para as empresas nesta retomada das atividades em 2021. A perspectiva de 81,4% dos empresários que responderam a pesquisa é de crescimento nos seis primeiros meses de 2021.

Participaram 114 empresas do comércio varejista que atuam nos municípios da base territorial do Sindilojas, como Caxias do Sul, São Marcos, Flores da Cunha, Antônio Prado e Nova Pádua, de um universo de mais de 1.200 associados, sendo mais de 500 da categoria comércio varejista “não essencial”. Entre eles, o segmento de vestuário masculino/feminino foi o mais representativo com 31,6%, seguido por calçados e acessórios (9,6%) e papelarias e livrarias (5,3%). Também participaram estabelecimentos comerciais de móveis e decorações, cama, mesa e banho, brinquedos, óticas, joias e semijoias, perfumaria e cosméticos, eletrodomésticos e eletrônicos, sendo a maioria (89,5%) localizados como comércio de rua. Mais de cinco por cento são encontrados em shoppings centers, assim como em ambos (comércio de rua e shopping) foi registrada a presença no mesmo índice. A maioria das empresas são de pequeno porte com zero a cinco funcionários (66,7%), enquanto 9,6% contam com seis a nove funcionários.  Apenas 0,9% contam com mais de cem funcionários na equipe. Em 2020, 85,8% das empresas que participaram da pesquisa registraram o faturamento de até R$4.800.000,00, sendo representadas por Empresa de Pequeno Porte (EPP), Microempresa (ME) e Microempreendedor Individual (MEI).

Mesmo em meio a uma pandemia, ao comparar as vendas de 2020 com as de 2019, 70,2% afirmaram que diminuíram de 0 a 40%, com média de 21 a 30%. Sobre as vendas de dezembro de 2020 se comparadas a dezembro de 2019,  54,9% afirmaram que diminuíram. Já para enfrentar o ano de 2021, os empresários apontam que vão precisar de ajuda do governo para obter capital de giro (34,5%), manutenção/prorrogação do programa de auxílio emergencial como forma de atendimento às necessidades da população e consequente fomento para o setor econômico (15%), manutenção/prorrogação das medidas emergenciais de emprego e renda editadas para 2020 (14,2%) e isenção de IPTU referente ao período (11,5%).    

Para a presidente do Sindilojas Caxias, Idalice Manchini, em entrevista á Tua Rádio São Francisco, o resultado da pesquisa retrata a realidade que os comerciantes enfrentaram no ano de 2020 quando os esforços se concentraram em manter as portas abertas. Segundo ela, os dados são reveladores e servem como parâmetro para orientar a retomada em 2021 diante da definição da vacinação e a perspectiva de desenvolvimento da economia. 

Ouça AQUI a entrevista completa.