Economia de Caxias acaba com desempenho positivo de 5,2% no primeiro semestre de 2022

Economia de Caxias acaba com desempenho positivo de 5,2% no primeiro semestre de 2022

Cidade fechou junho no positivo, com alta de 1%

Caxias do Sul fechou o primeiro semestre de 2022 no positivo. A economia teve um crescimento de 5,2% no período, segundo dados apresentados pela Câmara de Indústria, Comércio e Serviços (CIC) e pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) nesta terça-feira (09/08). A apresentação divulgou os indicadores de junho, que, juntos, registraram uma alta de 1% na economia caxiense.

Na análise do desempenho setorial, os serviços puxaram o avanço de junho sobre maio, com 2% de crescimento. Em seguida vem a indústria, com 1,2% de alta, enquanto o comércio voltou a cair, desta vez, 1,4% no comparativo entre junho e maio. No acumulado de janeiro a junho, o comércio dispara, com crescimento de 9,3%, sendo acompanhado pelos serviços, com índice positivo de 5,4%, e pela indústria, com 3,8% também positivos.

O tom otimista marcou a apresentação da CIC Caxias e da CDL, pois, apesar das dificuldades ocasionadas com a escassez de matérias-primas e falta de mão de obra especializada, os números positivos de junho refletem o aquecimento da atividade econômica. A expectativa, de acordo com o diretor de Planejamento, Economia e Estatística Astor Schmitt, é de Caxias do Sul fechar o ano com um crescimento de aproximadamente 5%.

O diretor de Economia, Finanças e Estatística da CIC Caxias Tarciano Melo Cardoso, por sua vez, destacou que o comércio e o setor de serviços vêm melhorando seu desempenho, apresentando números positivos nos resultados do acumulado de 12 meses e conseguiram ultrapassar a barreira de zero por cento. “Hoje a gente tem todos os acumulados de 12 meses positivos”, comemorou.

Empregos – Caxias do Sul registrou 7.256 admissões e 6.378 demissões em junho, resultando em um saldo positivo de 878 empregos formais. No acumulado do ano, o mercado de trabalho registrou uma alta de 3,4%, com a criação de 5.192 vagas.

O estoque total de empregos com carteira assinada hoje é de 157.897. Os setores que mais impulsionaram este resultado foram indústria e serviços, com um total de 862 postos de trabalho. Agropecuária e comércio apresentaram saldo negativo, com 24 empregos fechados.