Com aumento de vagas temporárias, mercado formal de trabalho iniciado no RS em 2019

Dados do Boletim de Trabalho do RS apontam um avanço das modalidades com menos direitos

Após quatro anos de resultados que apontaram perdas ou estagnação, o mercado formal de trabalho no Rio Grande do Sul voltou a registrar expansão em 2019, uma alta de 2% em relação aos meses anteriores, o que representa um saldo positivo de 57. 194 vínculos. O resultado positivo, ainda em um cenário pré-pandemia, é idêntico ao do Brasil em termos percentuais e o primeiro aumento na série desde 312.

Os dados do Boletim de Trabalho do RS, divulgado nesta quarta-feira (27 / 1), pelo Departamento de Economia e Estatística (DEE), vinculado à Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão (SPGG), mostra que uma alta veio acompanhada de uma mudança no tipo de vínculo de trabalho.

O documento, elaborado pelos pesquisadores Guilherme Xavier Sobrinho e Raul Bastos, aponta um avanço das modalidades com menos direitos, muitas delas feitas ou alteradas na Reforma Trabalhista de 2017, em detrimento dos vínculos mais tradicionais, com mais garantia. Em entrevista à Tua Rádio São Francisco, o pesquisador Guilherme Xavier Sobrinho falou sobre o estudo.

Ouça AQUI a entrevista completa.

Boletim de Trabalho

Produzido pelo DEE, vinculado à Subsecretaria de Planejamento da SPGG, o Boletim de Trabalho oferece, trimestralmente, análises sobre o mercado de trabalho no Rio Grande do Sul, aprofundando, a cada edição, algum aspecto referente à força de trabalho e à ocupação, em dimensões como especificação, perfil demográfico dos trabalhadores e diferentes formas de inserção no mercado.

Boletim completo
Dados sobre o mercado formal em 2019