Claquete: Maus Momentos no Hotel Royale

claquete:-maus-momentos-no-hotel-royale

Drew Goddard

Tá chegando o claquete com uma baita dica de filme para te ajudar na hora de escolher alguma coisa pra assistir. E hoje a gente vai falar de um filme que passou despercebido no cenário pop em 2018 mas que é um achado para os fãs do gênero suspense de mistério e que realmente merece uma visibilidade! Eu tô falando do excelente filme de Drew Goddard “Maus momentos no Hotel Royale” que é nossa dica de hoje aqui no claquete!

Sete desconhecidos se encontram no El Royale, um hotel na divisa entre Nevada e a Califórnia, na década de 1960. Um padre, um policial, uma cantora, duas Hippies, um fanático e um adolescente, todos com um segredo obscuro do qual precisam encontrar redenção antes que tudo dê errado.

“Maus momentos no Hotel Royale” parece um começo de piada infâme mas é um mistério bem construído, cheio de referências e homenagens à cultura pop. A primeira vista o que chama atenção é como esse filme não ficou mais famoso, já que tem um elenco muito conhecido e igualmente talentoso. Se Jeff Bridges, Dakota Johnson, Cynthia Erivo, Jon Hamm e Chris Hemsworth não chamam sua atenção, deveria ter recebido destaque pela trama de suspense completa e redondinha. Funciona tão bem que a ideia geral do filme é passada quadro a quadro de forma lenta, onde você submerge no papel do detetive que precisa solucionar os mistérios. Essa sensação não é uma exclusividade deste filme já que temos por trás das câmeras um cara chamado Drew Goddard, que, pode não ser muito conhecido, mas que até então não errou com suas obras, seja no roteiro ou na direção. A trilogia cloverfield, assim como o Segredo da Cabana são seus trabalhos voltados para o suspense que realmente mostraram a sua capacidade de criar claustrofobia e incômodo em um roteiro simples e sarcástico onde as coisas acontecem com nós espectadores no papel de interlocutor. No cinema, a técnica de introduzir quem está assistindo na cena é um estratégia complicada de se executar sem usar o os recursos narrativos mais fáceis, no caso a quebra da quarta parede ou o locutor fora de cena, coisa que “Maus Momentos no Hotel Royale” faz acontecer sem essas muletas e ainda nos deixa mais submerso no enredo. Mas se o público não abraçou, a crítica elogiou e muito o trabalho, sendo até comparado a ícones do cinema mundial como “O Grande Golpe” de Stanley Kubrick e “Pulp Fiction” de Quentin Tarantino. E bem, agora já dá pra saber o que esperar, um roteiro primoroso, com atuações impecáveis, uma belíssima montagem, direção de arte sem falhas retratando os anos 60 e 70 de uma forma magistral, fora a locação principal que é de cair o queixo, além do plot no terceiro ato ser surpreendente e igualmente chocante. Mas chega, vou parar de falar por que já deu pra ver que eu gostei do filme e se você gosta de um mistério clássico, com muito suspense e reviravoltas mirabolantes, anota esse filme na lista por que vale a conferida! 

 

intranet/userfiles/noticias/2be7a9c2abfb5e0b022e262fd7ed7f8b.mp3