Policiais do 12º BPM buscam qualificar o atendimento às pessoas surdas

Policiais do 12º BPM buscam qualificar o atendimento às pessoas surdas

Na última semana PMs lançaram um vídeo com orientações de como deve ser uma abordagem aos surdos

Os policias do 12ª Batalhão de Polícia Militar (12º BPM) de Caxias do Sul lançaram na última semana um vídeo com orientações de como proceder durante abordagem de pessoa surda. O material ganhou repercussão estadual e nacional, além de elogios da comunidade. O conteúdo foi desenvolvido com a colaboração direta dos criadores da página @visurdo no Instagram, que produz conteúdos para a comunidade surda.

Conforme a capitã Claudia Nara Maldaner, a ideia de produzir o vídeo partiu dos próprios soldados que se depararam com a necessidade de utilizar a Língua Brasileira de Sinais (Libras) nos últimos meses.   “Nós tivemos duas ocorrências onde foi necessária a utilização da Língua de Sinais, uma era uma ocorrência Maria da Penha e a outra foi de roubo a pedestre, e as duas vítimas eram surdas. Diante dessa situação, um dos soldados nos procurou e sugeriu a ideia de fazer um vídeo dando orientações de como proceder durante uma abordagem policial a uma pessoa surda. Fizemos uma parceria muito bacana com o pessoal da página @visurdo no Instagram e produzimos esse material que está sendo utilizado até mesmo por outras polícias do Brasil”, conta.

Com a aproximação da Surdolimpíadas 2022, evento desportivo voltado a atletas surdos, que ocorrerá de 1º a 15 maio, em Caxias do Sul, os policiais militares do 12º Batalhão de Polícia Militar também devem passar por capacitações para atender a esse público. “A Brigada Militar está fazendo um levantamento em todo o Estado para verificar os policiais que são fluentes em Língua de Sinais. Mais próximo da data também terá uma capacitação para os profissionais que vão atuar diretamente nas Surdolimpíadas, justamente para conseguir fazer o atendimento a esse público que estará presente na nossa cidade”, explica.

A capitã Maldaner salienta que essa busca para que os policiais também aprendam a Língua de Sinais tem por objetivo qualificar o atendimento e promover a inclusão: “Não só pensando em Surdolimpíadas, pensamos na inclusão das pessoas surdas no dia a dia, no atendimento às ocorrências”.

Sobre a organização da estratégia de segurança que será utilizada durante as Surdolimpíadas, a capitã afirmou que as forças de segurança de toda a região irão se reunir nos próximos dias para alinhar as ações. Ainda não está definido o número do efetivo que irá trabalhar durante o evento.

Assista o vídeo completo AQUI.

intranet/userfiles/noticias/6378a4390c6438fba12bc4073713f9b1.mp3