Casa Santa Dulce retoma acolhimento pleno

Casa Santa Dulce retoma acolhimento pleno

Prefeitura destinará R$ 218 mil para operação do serviço até o final do ano

Serviço mantido pelo governo do Estado entre dezembro de 2020 e fevereiro deste ano, a Casa Santa Dulce, para acolhimento de pessoas em situação de rua e desabrigo, é agora mantido com recursos próprios da Prefeitura de Caxias do Sul, através da parceria entre a Fundação de Assistência Social (FAS) e a Associação Mão Amiga. A formalização se deu por meio da assinatura de termo de fomento da FAS com a entidade para administração do espaço até o final do ano, com investimento de R$ 218,1 mil, o que garantirá atendimento a 40 pessoas simultaneamente. De fevereiro até julho, a casa foi mantida com apoio do Instituto Elisabetha Randon, braço de assistência social das Empresas Randon.

Ao assinalar que uma das primeiras ações da entidade foi reorganizar o espaço, o presidente do Projeto Mão Amiga, frei Jaime Bettega reiterou que o local não é de permanência definitiva, mas transitório para que as pessoas recuperem a dignidade de ter um lar. Citou a importância do apoio, desde março, da família Randon para a continuidade da prestação do serviço. “A rua nunca será o endereço de ninguém, é sempre passageira”, reforçou.

Desde o início dos serviços mais de 2 mil pessoas receberam acolhimento. Destes, 222 voltaram para as famílias de origem. A casa também intermedeia a colocação em atividades laborais, como safristas, o que gera recursos para que muitos retornem às suas cidades. Neste período, foram empregados 678 assistidos com vínculo empregatício; garantidos 1.318 atendimentos de saúde; encaminhados 1.137 documentos; e servidas mais de 161 mil refeições. 

A FAS ainda custeia as casas de passagem Carlos Miguel, no Bairro Nossa Senhora de Fátima, e São Francisco de Assis, no Cinquentenário, totalizando 120 vagas. Com os recursos destinados à Casa Santa Dulce até o final do ano, os valores investidos em espaços de acolhimento a pessoas em situação de rua deverá chegar a R$ 2,5 milhões neste exercício.