Controle e distribuição dos recursos: como está o saneamento básico em Marau

Município já cumpre a meta estabelecida pelo Marco Legal do Saneamento Básico

O Senado aprovou no mês de junho, o novo Marco Legal do Saneamento Básico. Pelo projeto, as metas de universalização devem serem cumpridas até o fim de 2033, com cobertura de 99% para o fornecimento de água potável e de 90% para coleta e tratamento de esgoto.

Em entrevista à Tua Rádio Alvorada, Éder Rigo, agente de fiscalização de obras e posturas do departamento de Engenharia da Prefeitura de Marau, afirmou que o Município já cumpre a meta estabelecida pela nova lei. No perímetro urbano, mais de 97% das residências têm algum tipo de esgotamento sanitário. No meio rural, reitera o fiscal, trabalho realizado em parceria com a Emater, garante um percentual de 96%. Segundo Éder, a cidade, inclusive, é reconhecida como referência quanto ao disposto pelo Plano Municipal de Saneamento Básico, concluído antes do final do prazo estabelecido pelo Governo Federal, em 2012.

O plano passa por reformulação a cada quatro anos, o que ocorreu no final de 2019. Na época, Marau foi contemplado com recursos da Funasa – Fundação Nacional de Saúde e a revisão do documento foi realizada em parceria cm a Universidade Federal do Rio Grande do Sul. “Fui convidado, recentemente, para participar de reunião da Bacia Taquari Antas, juntamente com outros dois municípios que também servem de modelo na questão do saneamento básico. Me sinto seguro em dizer que estamos bem e os problemas são pontuais”, destacou  Éder Rigo.

De acordo com levantamento catalogado em 2002, o município tinha cerca de 160 quilômetros de rede. “Hoje, deve passar de 200”, ressalta p fiscal ao confirmar que um novo levantamento deve iniciar em breve. O serviço do setor é feito por uma equipe de 16 servidores. Segundo Éder, a rede foi totalmente substituída na Avenida Júlio Borella e parte da Barão do Rio Branco.  Além disso, foram criadas duas estações de tratamento, 16 caixas de fossa filtro em bairros o que favorece a estrutura de esgotamento de fossa.

Link para notícia no site Tua Rádio

Defesa Civil emite alerta para possibilidade de temporais no RS

A Defesa Civil Estadual emitiu na tarde desta segunda-feira (29/6) um alerta para chuvas intensas e possibilidade de temporais com raios e ventos fortes em todo o Rio Grande do Sul, especialmente na região Leste. O alerta é válido para as próximas 24 horas.

Na terça (30/6), um sistema de baixa pressão dá origem a uma frente fria, e a chuva ganha força em toda a metade norte do Estado, com acumulados que podem variar entre 80 mm e 100 mm em média. Além disso, os ventos podem variar entre 50 km/h e 70 km/h. Na parte mais ao Leste e Norte, as rajadas podem até passar dos 100 km/h.

Em caso de temporal, a Defesa Civil aconselha:

• Fechar bem janelas e portas, evitando canalização de ventos no interior de sua residência.

• Desligar aparelhos elétricos e fechar registro de água e gás.

• Se estiver em local seguro, permanecer até a diminuição dos ventos.

• Não estacionar veículos próximos a torres de transmissão e placas de segurança.

• Não se abrigar sob árvores ou estruturas metálicas.

Em áreas alagadas:

• Evitar deslocamento para regiões afetadas.

• Se morar em área de risco, abandonar o local com antecedência.

• Separar documentos importantes e embalá-los em sacos plásticos.

• Ao sair, desligar a chave geral de eletricidade, água ou gás.

• Evitar atravessar águas de carro ou a pé.

• Se ficar isolado em local inseguro, chamar imediatamente o Corpo de Bombeiros.

Link para notícia no site Tua Rádio

Feira Ecológica incentiva o uso de sacolas retornáveis

Campanha é lançada em Caxias do Sul em alusão ao Dia do Meio Ambiente

 A Feira Ecológica de Caxias do Sul promove no próximo sábado, dia 6 de junho, a ação “Feira sem sacola plástica”. A proposta dos agricultores ecológicos é incentivar o consumidor a levar sua sacola retornável para a Feira e estimular práticas sustentáveis que auxiliem na proteção e preservação do planeta. Por isso, lançam o projeto na Semana do Meio Ambiente (celebrada nos primeiros dias do mês de junho). 
O processo será implantado de forma gradativa. A iniciativa será realizada uma vez por mês. 
A produtora orgânica Andrea Basso, falou sobre o assunto em entrevista ao programa Temática. Confira na íntegra.

A saber: A Feira Ecológica de Caxias do Sul é realizada aos sábados, na Praça das Feiras, no bairro São Pelegrino (próximo à Estação Férrea), das 6h30min às 11h30min.

 

Link para notícia no site Tua Rádio

Preservação da biodiversidade é fundamental para a sustentabilidade no mundo pós pandemia

Especialista em conservação da natureza aponta tendências positivas da nova realidade pós isolamento social

O distanciamento social determinado pela pandemia de Covid-19 trouxe um impacto significativo para a redução de poluentes e a recuperação da natureza, resultado perseguido há décadas por inúmeras iniciativas. Ainda que esse cenário seja efeito de uma crise global, especialistas avaliam que pode ser um marco para que empresas, governos e cidadãos inaugurarem uma nova era de relação mais harmoniosa com o meio ambiente.

O pesquisador Fernando Fernandez, membro da RECN (Rede de Especialistas em Conservação da Natureza) e professor titular do Departamento de Ecologia da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) falou sobre o assunto em entrevista especial ao programa Temática na última quarta-feira. Confira na íntegra.

 

Link para notícia no site Tua Rádio

Secretaria do meio ambiente aponta redução do desmatamento no Rio Grande do Sul

Nos últimos anos, o estado do Rio Grande do Sul registrou uma redução de 15% no desmatamento desse bioma. Os dados foram retirados de relatórios da Fundação SOS Mata Atlântica, que monitora 17 estados. 

Em entrevista ao programa No Ponto desta segunda-feira, 01-06, o secretário do meio ambiente do estado, Artur LemosJúnior, ressaltou a importância do uso sustentável dos recursos naturais. 

Acompanhe, em áudio, a entevista no link acima

Link para notícia no site Tua Rádio

Cinco medidas para evitar que o planeta entre em colapso

Especialista alerta para a relação entre ação humana no planeta e surgimento de pandemias

Os impactos das ações humanas no surgimento de pandemias como a do novo coronavírus é um tema recorrente no meio acadêmico e científico. De acordo com o coordenador do Programa de Pós-Graduação em Gestão Ambiental (PGAMB) da Universidade Positivo (UP), Maurício Dziedzic, esta não foi a primeira vez na história da humanidade e não será a última em que a vida da população fica ameaçada por uma pandemia. O especialista falou sobre o assunto em entrevista ao programa Temática na última quinta-feira quando falou sobre algumas medidas para o planeta sair fortalecido da pandemia. Confira na íntegra.

 

Link para notícia no site Tua Rádio

BIKE PLACE traz mais “aventura e liberdade” para Caxias do Sul

Sérgio André Florian e Marlise Biegelmeyer estão à frente da loja que passou a trabalhar também com a inovadora marca suíça SCOTT

Além de ser um hábito saudável que mescla saúde e lazer, andar de bicicleta tem sido uma ótima alternativa para àqueles que desejam continuar praticando algum tipo de atividade física em meio à pandemia. Por se tratar de um exercício individual, realizado ao ar livre, o ciclismo vem ganhando cada vez mais adeptos, especialmente no momento atual.

Pensando no crescimento desse esporte, o empresário caxiense – lembrado principalmente pelo período em que ocupou a presidência do Esporte Clube Juventude (gestão 2008/2009) – Sérgio André Florian, e sua esposa, Marlise Biegelmeyer, que comandam juntos a BIKE PLACE, em Caxias do Sul, foram na contramão deste cenário de incertezas e investiram em novas alternativas para os ciclistas. Além de já oferecerem marcas altamente conceituadas, como SENSE e AUDAX, que estão entre as três melhores no ranking das marcas nacionais, a loja passou a trabalhar, também, com bikes da inovadora e conhecida marca suíça SCOTT.  

Com uma ampla linha de acessórios, vestuário e serviços de manutenção de bicicletas, a BIKE PLACE está localizada próxima à Casa de Pedra, na Rua Prof Marcos Martini, 270, bairro Santa Catarina, em Caxias do Sul. O horário de atendimento é de segunda à sexta, das 11h 45mim às 18h 45min e aos sábados, das 8h 30mim às 12h 30min.

Florian concedeu entrevista ao programa Temática na manhã desta sexta-feira quando falou sobre o cenário de crescimento do interesse pelo ciclismo durante a pandemia. Confira na íntegra.

 

A saber: Sérgio e Marlise estavam programando uma série de encontros e confraternizações para os ciclistas e simpatizantes, mas, atendendo às exigências de evitar aglomeração de pessoas, elas tiveram de ser temporariamente adiadas. Entre as ações está o 1º Bike Place Ride & Music que pretende reunir grupos de cliclistas e pessoas que ainda não pedalam em torno da boa música, gastronomia e bate-papos, tudo em clima de descontração. Outra atividade que também precisou dar uma pausa foi o grupo “Quinta do Pedal”, cujos integrantes se reuniam todas as quintas-feiras à noite para pedalar pela cidade.

 

 

Link para notícia no site Tua Rádio

Cientista afirma que MP da Grilagem, que deve ser apreciada pelo Congresso até dia 19, é um estímulo ao desmatamento da Amazônia

Para Philip Martin Fearnside, medida provisória abre espaço para grileiros e invasores regularizarem o uso da terra, o que é agravado pela recente retirada de proteção de 237 áreas indígenas com 9,8 milhões de hectares

A Medida Provisória (MP) 910/2019 – conhecida como MP da Grilagem – representa um estímulo à invasão de terras indígenas e, consequentemente, ao desmatamento da Amazônia. Quem faz o alerta é o cientista Philip Martin Fearnside, membro da Rede de Especialistas em Conservação da Natureza (RECN).

Fearnside defende que a MP não seja votada pelo Congresso Nacional. Editada no final do ano passado, o instrumento perderá validade se não for apreciado pelos parlamentares até 19 de maio.

Segundo o cientista, a MP permite legalização de áreas ilegalmente invadidas ou griladas em terras da União não destinadas por meio de uma mera autodeclaração. Além das vastas terras devolutas na Amazônia, a Instrução Normativa nº 9 da Funai, publicada no Diário Oficial em 22 de abril, acrescenta mais 9,8 milhões de hectares de áreas indígenas. A Instrução Normativa tira a proteção das 237 áreas indígenas em processo de homologação completa. Isso permite que grileiros e invasores reivindiquem a posse da terra, colocando sua proteção em situação de extrema vulnerabilidade.

Fearnside, que é também pesquisador do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), membro da Academia Brasileira de Ciências e segundo cientista do mundo em citações sobre aquecimento global (Thomson-ISI), falou sobre o assunto em entrevista ao programa Temática na manhã desta quarta-feira. Confira na íntegra.

 

Link para notícia no site Tua Rádio