“É um prejuízo incalculável”, avalia presidente de sindicato de hotelaria da região da Uva e do Vinho sobre Covid-19

Em entrevista ao programa Em Alta, Vicente Homero Perini Filho forneceu um panorama sobre os impactos do novo coronavírus na área de hotéis e restaurantes

A pandemia do novo coronavírus (Covid-19) afeta diversos setores econômicos no Brasil. Um deles está ligado a hotéis e restaurantes. No Rio Grande do Sul, a Serra Gaúcha é um dos locais mais afetados pelo problema, pois é destino de turistas nessa época de outono/inverno.

Em entrevista à Tua Rádio São Francisco, o presidente do Sindicato Empresarial de Gastronomia e Hotelaria Região Uva e Vinho (SEGH), Vicente Homero Perini Filho, classificou a situação como caótica. “No turismo, será um caos total por um bom tempo. Em Bento Gonçalves, que lida com mais turismo, falei com o prefeito, semana passada, para tentar umas ajudas de custo para incentivar o setor.”

De acordo com Filho, atualmente, a movimentação nos hotéis é realizada por profissionais da área da saúde e de pessoas que trabalham com fretamento e necessitam se hospedar nas cidades. Além dos hotéis, ele ressaltou que restaurantes sofrerão com a pandemia. “Por exemplo, terá restaurantes que fecharão, uns pequenos que não vão conseguir dar a volta. E dependendo do retorno após a pandemia da Covid-19, como será esse cenário? Hoje, vemos que essa parte de delivery tem dias que dá uma baixa e tem dias que levanta, de meio-dia está legal a demanda, mas cai durante a noite. É um prejuízo incalculável.”.

Para ajudar no enfrentamento a Covid-19, ele exemplifica que quatro hotéis de Bento Gonçalves disponibilizaram 10 quartos para receber profissionais da saúde. Filho ressalta que estão trabalhando junto aos hoteleiros para conseguir mais vagas nos locais.

CLIQUE AQUI e confira a entrevista completa concedida aos repórteres Fernando Levinski e Rodrigo Fischer.

Link para notícia no site Tua Rádio

“Muitos empresários não conseguirão se levantar”, avalia presidente da Fecomércio-RS

Em entrevista ao programa ‘No Ponto’ da Tua Rádio São Francisco, o presidente da entidade avaliou os impactos da pandemia no comércio

Desde a última quarta-feira (1º) está em vigor no Rio Grande do Sul um novo decreto que restringe ainda mais a operação de estabelecimentos comerciais em todo o estado. A decisão foi tomada em caráter excepcional e temporário para evitar a propagação do novo coronavírus.

Diante do cenário, diversas entidades empresariais defendem o retorno das atividades de forma consciente e responsável. O presidente da Fecomércio-RS, Luiz Carlos Bohn articulou com o governo a manutenção de serviços que atendem a indústria, logística e serviços essenciais, buscando garantir que postos de gasolina, alimentação em estradas, lavanderias, serviços jurídicos e de assessoria, em locais sem acúmulo de pessoas, possam acontecer.

A entidade segue em tratativas com o governo para gerar alternativas ao setor que, como admitiu o governador Eduardo Leite, é o que está sendo mais afetado pelas medidas. Entre os pedidos, o adiamento do prazo do ICMS e articulação com as prefeituras para prorrogação do ISS.  

Em entrevista ao programa ‘No Ponto’ da Tua Rádio São Francisco, o presidente da entidade avaliou os impactos da pandemia no comércio. “O impacto é muito grande. Já classifiquei como uma crise profunda, muito profunda e agora é absurda. Nós estamos vivendo uma guerra, sem prazo para terminar, e dela temos que sair melhor do que entramos. Temos que aprender com as dificuldades”, e completa. “Muitos empresários não conseguirão se levantar, e os empregos que serão perdidos será difícil recuperar”.

Ouça AQUI a entrevista completa.

Link para notícia no site Tua Rádio

Sindilojas disponibiliza modelo de suspensão de contrato de aluguel

Medida visa amenizar problemas decorrentes do combate ao coronavírus.

O último decreto do Governo do Estado, publicado nesta quarta-feira (1), suspende a atividade comercial no Rio Grande do Sul até o dia 15 de abril. A decisão surpreendeu diversas entidades, como o Sindilojas de Caxias do Sul.

A presidente do sindicato, Idalice Manchini, revela que trabalhava com a possibilidade de um retorno gradual das atividades a partir do dia 6. Como uma possibilidade de amenizar a situação vivida pelos comerciários, na noite desta quarta foi disponibilizado no site do Sindilojas, um documento que servirá de modelo para uma possível suspensão de contrato de aluguel. O objetivo é que locador e locatário possam chegar a um consenso para amenizar as dificuldades.

Idalice também analisou os efeitos do comércio fechado para a economia. A entrevista, concedida no programa Em Alta desta quarta, pode ser conferida na íntegra. 

Link para notícia no site Tua Rádio

Parceiros do BNDES já operam modalidades de crédio para auxiliar empresários

Se preferir, ouça a entrevista no player de áudio

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social  – BNDES, anunciou, em caráter emergencial, medidas para ajudar a mitigar os efeitos da pandemia do novo coronavírus no Brasil. Entre as novidades, que somam R$ 55 bilhões, está a ampliação do crédito para micro, pequenas, médias e grandes empresas, por meio dos bancos parceiros.

Em Marau, uma das instituições que opera em parceria com BNDES é a Cresol. Em entrevista para a Tua Rádio Alvorada, Joel Picoli, gerente da unidade local, explica que uma das possibilidades neste momento é acionar o auxílio na modalidade de crédito para capital de giro. Não se trata, segundo ele, de algo novo mas seim de facilidades que a operação traz, neste momento de pandemia, com prazo prolongado e período de carência estica. Ouça no player desta matéria. Todas as empresas interessadas, já podem acionar esta modalidade de crédito.

De acordo como gestor, as medidas adotadas pela Cresol via BNDES visam a apoiar o empresário a se manter no mercado e, indiretamente, ajudar na manutenção de mais dos empregos. Os créditos estão sujeitos às análises tradicionais, realizadas pela instituição. Estes R$ 55 bilhões que serão injetados na economia brasileira neste período, representam quase a totalidade dos desembolsos do BNDES em todo o ano de 2019.

Link para notícia no site Tua Rádio

Parceiros do BNDES já operam modalidades de crédio para auxiliar empresários

Se preferir, ouça a entrevista no player de áudio

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social  – BNDES, anunciou, em caráter emergencial, medidas para ajudar a mitigar os efeitos da pandemia do novo coronavírus no Brasil. Entre as novidades, que somam R$ 55 bilhões, está a ampliação do crédito para micro, pequenas, médias e grandes empresas, por meio dos bancos parceiros.

Em Marau, uma das instituições que opera em parceria com BNDES é a Cresol. Em entrevista para a Tua Rádio Alvorada, Joel Picoli, gerente da unidade local, explica que uma das possibilidades neste momento é acionar o auxílio na modalidade de crédito para capital de giro. Não se trata, segundo ele, de algo novo mas seim de facilidades que a operação traz, neste momento de pandemia, com prazo prolongado e período de carência estica. Ouça no player desta matéria. Todas as empresas interessadas, já podem acionar esta modalidade de crédito.

De acordo como gestor, as medidas adotadas pela Cresol via BNDES visam a apoiar o empresário a se manter no mercado e, indiretamente, ajudar na manutenção de mais dos empregos. Os créditos estão sujeitos às análises tradicionais, realizadas pela instituição. Estes R$ 55 bilhões que serão injetados na economia brasileira neste período, representam quase a totalidade dos desembolsos do BNDES em todo o ano de 2019.

Link para notícia no site Tua Rádio

Coronavírus: comércio caxiense deixa de faturar R$ 3,6 milhões por dia, estima CDL

Caso o cenário persista até o fim de abril, os prejuízos podem chegar a R$ 144 milhões

A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Caxias do Sul estima que os empreendimentos ligados ao comércio deixam de faturar R$ 3,6 milhões por dia, representando 58% a menos, devido ao impacto das restrições no município que impede o funcionamento do comércio, como forma de combate ao coronavírus (Covid-19). Caso este cenário persista até o fim de abril, o prejuízo pode chegar a R$ 144 milhões. A estimativa é do Núcleo de Informação ao Mercado da entidade, que realizou um estudo sobre os prejuízos causados para o comércio em decorrência da pandemia. Os números são baseados na arrecadação de ICMS.

Em entrevista à Tua Rádio São Francisco nesta segunda-feira (30), o presidente da CDL, Renato Corso diz que defende a retomada dos negócios, mas de forma consciente e responsável.

Ouça AQUI a entrevista completa.

Dados mais recentes do comércio caxiense mostram que o desempenho em janeiro de 2020 se manteve praticamente estável, com um crescimento de 0,18% quando comparado com o mesmo mês de 2019. Em comparação a dezembro, houve um recuo de 10,51% nas vendas, resultado que era esperado, devido às férias e a movimentação dos caxienses para o litoral.

O setor de comércio gera cerca de 28 mil empregos formais e responde por 28% do PIB de Caxias do Sul, com faturamento anual de 2,1 bilhões por ano.          

Link para notícia no site Tua Rádio

Coordenador do Procon Caxias aponta fatores para aumento dos preços de alimentos e outros produtos; órgão reforça fiscalização

Consumo elevado, alta do dólar, estiagem e dificuldade no transporte estão entre alguns pontos que influenciam nos preços

Nos últimos dias, consumidores passaram a notar uma alta no preço de alguns produtos como alimentos, álcool gel e de limpeza. Diante disso, o Procon Caxias intensificou a fiscalização nos supermercados e estabelecimentos comerciais da região.

Porém, conforme destaca o coordenador do Procon, Dagoberto Machado dos Santos, uma série de fatores influencia na alta dos preços nesse contexto de pandemia, como a alta no dólar, estiagem, as dificuldades com o serviço de transporte e o consumo excessivo que ocorreu nos últimos dias. “Realmente está havendo o aumento de preços, mas o que estamos constatando: primeiro veio o consumo desenfreado, constatamos também que os valores nas distribuidoras subiram. Então, não podemos levianamente acusar aquele proprietário, daquele mercado, daquele bairro sendo que ele pode estar sendo vítima também, então, por isso que estamos pedindo nota de compra  e de venda para que não se faça injustiça. Por outro lado, o dólar subindo, a estiagem, o transporte também aumentou, então é um momento de excepcionalidade”.

Como forma de resolver impasses, Machado sugere o diálogo entre o consumidor e o proprietário como primeiro canal. Mas, caso o consumidor se sinta lesado por algum preço abusivo pode fazer denúncia nos sites consumidor.gov.br ou caxias.rs.gov.br/procon. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (54) 9 9929-8190. Ouça a entrevista completa AQUI.

Link para notícia no site Tua Rádio

Pandemia x Economia – quais os reflexos do coronavírus na economia brasileira?

Se preferir, ouça este conteúdo clicando no player de áudio

“A crise é diferente pois tem origem uma situação que envolve a saúde pública”. A afirmação é de Cristiano Piano, diretor executivo do Sicredi Aliança RS/SC. Em entrevista para a Tua Rádio Alvorada, ele fez uma reflexão sobre as influências do isolamento social na economia brasileira. A entrevista, na íntegra, está disponível no nosso box de podcast e no player desta matéria.

Mesmo explicando a dificuldade de se fazer uma projeção de futuro, ele acredita que cerca de 50 milhões de pessoas devam necessitar de assistência governamental nos próximos meses. Neste grupo, estão trabalhadores informais, aqueles que acabaram por perder o emprego e, até mesmo, empresários. A cadeia de consumo e também a de abastecimento, revela, Piano, estão em risco. O profissional também coloca que cada região e cada segmento da economia irá enfrentar situações diferenciadas. 

A possibilidade de muitas empresas retomarem suas atividades na próxima semana, orientadas por suas entidades representativas – é o caso da Federasul, no Rio Grande do Sul – também é, segundo o diretor executivo do Sicredi, uma incógnita. Isso porque a tendência é de que os hábitos de consumo do brasileiro não sejam retomados de imediato. Esse, por si só, já é um impacto para o setor econômico, segundo ele. “Não tem uma fórmula correta”, diz Cristiano.

Link para notícia no site Tua Rádio

Movimento de entidades empresariais sugere a volta

A Tua Rádio Alvorada vai ampliar a informação neste sábado, 9h

Apesar da orientação dos órgãos públicos de saúde para que a população mantenha o isolamento social para conter o avanço do coronavírus, alguns empresários já planejam o retorno às atividades para evitar perdas econômicas irreversíveis que comprometam a existência de seus negócios. Impulsionados pelo discurso do presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, e endossados por entidades representativas da classe empresarial, alguns empreendedores marauenses devem voltar a abrir as portas a partir da próxima segunda-feira, 30/03.

Entre as entidades que se mostraram favoráveis ao retorno das atividades econômicas, a Federação de Entidades Empresariais do Rio Grande do Sul – Federasul, emitiu um comunicado nesta semana, salientando a importância de retorno do trabalho, mas com todos os cuidados necessários para o momento. Trecho da nota diz que “para combater o vírus, precisamos de uma abordagem cirúrgica, adotando um isolamento vertical, e retomando as atividades econômicas. Manter os idosos e grupo de risco em isolamento, cumprir as orientações dos cuidados individuais, evitar aglomeração de pessoas e inclusive alternar horários de início e término de expediente para evitar lotação no transporte público”. A Federasul defende que haja um plano para a retomada das atividades a partir da primeira semana de abril.

Reunião entre o poder público de Marau e a Associação Comercial, Industrial, Serviços e Agropecuária – ACIM, acontece na manhã desta sexta-feira, 27/03, para discutir esta situação, já que há um decreto municipal que determina que os serviços não essenciais se mantenham fechados. Neste sábado, 28/03, a Tua Rádio Alvorada vai conversar com o presidente da Acim, Gustavo Ferreira, para saber o posicionamento da entidade frente ao movimento empresarial de retorno às atividades.

Link para notícia no site Tua Rádio

Movimento de entidades empresariais sugere a volta das atividades

A Tua Rádio Alvorada vai ampliar a informação neste sábado, 9h

Apesar da orientação dos órgãos públicos de saúde para que a população mantenha o isolamento social para conter o avanço do coronavírus, alguns empresários já planejam o retorno às atividades para evitar perdas econômicas irreversíveis que comprometam a existência de seus negócios. Impulsionados pelo discurso do presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, e endossados por entidades representativas da classe empresarial, alguns empreendedores marauenses devem voltar a abrir as portas a partir da próxima segunda-feira, 30/03.

Entre as entidades que se mostraram favoráveis ao retorno das atividades econômicas, a Federação de Entidades Empresariais do Rio Grande do Sul – Federasul, emitiu um comunicado nesta semana, salientando a importância de retorno do trabalho, mas com todos os cuidados necessários para o momento. Trecho da nota diz que “para combater o vírus, precisamos de uma abordagem cirúrgica, adotando um isolamento vertical, e retomando as atividades econômicas. Manter os idosos e grupo de risco em isolamento, cumprir as orientações dos cuidados individuais, evitar aglomeração de pessoas e inclusive alternar horários de início e término de expediente para evitar lotação no transporte público”. A Federasul defende que haja um plano para a retomada das atividades a partir da primeira semana de abril.

Reunião entre o poder público de Marau e a Associação Comercial, Industrial, Serviços e Agropecuária – ACIM, acontece na manhã desta sexta-feira, 27/03, para discutir esta situação, já que há um decreto municipal que determina que os serviços não essenciais se mantenham fechados. Neste sábado, 28/03, a Tua Rádio Alvorada vai conversar com o presidente da Acim, Gustavo Ferreira, para saber o posicionamento da entidade frente ao movimento empresarial de retorno às atividades.

Link para notícia no site Tua Rádio

Aposentados do INSS são motivados a usar o cartão na função débito e não ir aos bancos

Porém, as agências estão munidas de orientações nos terminais eletrônicos para quem prefeir o saque

Com as determinações dos municípios brasileiros de também frear a movimentação nas agências bancárias, como medida de contenção ao coronavírus, surgiu a dúvida sobre o pagamento do INSS para pensionistas e aposentados. Este público, normalmente, opta por retirar os valores diretamente nos caixas dos bancos.

Vitor Hugo Auler, gestor do Banco do Brasil no município de Vila Maria, explicou que a instituição financeira oferece todos os meios disponíveis para que os os aposentados e pensionistas não saiam de casa e sigam evitando o contato social. Ele lembra, por exemplo, que o cartão de benefício do INSS pode ser usado na função débito nos estabelecimentos comerciais e a senha para isso, é a mesma usada no saque.

Outro alerta do gerente é quanto a prova de vida, motivo que sempre leva muitos idosos para as agências bancárias. Auler explica que o Instituto Nacional de Seguridade Social não irá cortar os benefícios de quem não fizer a atualização de cadastro, também chamada de prova de vida, por um período de 120 dias. Agora, em caso de não haver outra alternativa e precisar ir ao banco, é sugerido aos idosos que utilizem o uso dos terminais eletrônicos, em horário de baixo movimento e mantendo mantenha a distância mínima de dois metros das outras pessoas.

DÉCIMO TERCEIRO APOSENTADOS E PENSIONISTAS INSS

O governo federal publicou no Diário Oficial da União (DOU) desta segunda-feira o calendário de pagamentos do 13º salário aos aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). O pagamento será realizado em duas parcelas, sendo a primeira junto com a aposentadoria de abril, e a segunda, com a de maio.  A primeira parcela será paga a todos os beneficiários de 24 de abril a 8 de maio e corresponde a 50% do valor total do 13º. A segunda será dos dias 25 de maio a 5 de junho, com a cobrança de impostos.

Link para notícia no site Tua Rádio

Marcopolo e Randon darão férias para seus funcionários por conta do coronavírus

Marcopolo adotará férias coletivas de 20 dias; Randon adotará férias seletivas ou coletivas, podendo variar conforme a unidade

As duas maiores empresas de Caxias do Sul, Marcopolo e Randon, decidiram conjuntamente em conceder férias aos seus funcionários devido à pandemia do coronavírus (Covid-19). O comunicado foi emitido na manhã desta quinta-feira (19).

A Marcopolo adotará férias coletivas em todas as suas unidades no Brasil, por um período de 20 dias, a partir da próxima segunda-feira, dia 23 de março. Informações adicionais serão compartilhadas quando houver necessidade e/ou mudança de cenário.

As Empresas Randon também já optaram por adotar regime de férias seletivas e/ou coletivas – podendo variar conforme a unidade de negócio e a região em que está localizada – porém com data de início a ser definida nos próximos dias. Além disso, essas unidades que estiverem em férias seletivas ampliarão o uso de home office, para ter o mínimo necessário de profissionais no mesmo ambiente de trabalho. Os detalhes desta decisão serão comunicados nos próximos dias. 

Conforme a nota, a Marcopolo e as Empresas Randon entendem que o momento é de cuidado e comprometimento com a saúde e o bem-estar de seus colaboradores, familiares e das comunidades em que estão presentes, além de ter o compromisso de fazer o possível para que se mantenha a sustentabilidade econômica local e global. 

Link para notícia no site Tua Rádio

Movimento em bares e restaurantes tem queda de até 90% no período da noite, diz presidente da SEGH

Diante da situação enfrentada em todo o planeta, muitos caxienses estão evitando sair de casa

A equipe de reportagem da Tua Rádio São Francisco, conversou na manhã desta quarta-feira com Vicente Perini Filho, presidente do Sindicato de Gastronomia e Hotelaria Região Uva e Vinho. O líder do sindicato comentou sobra a situação preocupante em que os bares, casas noturnas, restaurantes entre outros locais estão vivenciando e a projeção futura que não é positiva. A preocupação principal é com a queda drástica no movimento nestes locais.

Ouça a entrevista completa.

Link para notícia no site Tua Rádio

CIC projeta queda de pelo menos um ponto percentual no PIB caxiense devido ao coronavírus

O presidente da entidade, Ivanir Gasparin, também afirma que a indústria deve sentir dificuldades no abastecimento de matéria-prima e exportações nas próximas semanas

O presidente da Câmara de Indústria, Comércio e Serviços (CIC) de Caxias do Sul, Ivanir Gasparin, afirmou à reportagem da Tua Rádio São Francisco que, até o momento, a equipe econômica já projetou que o PIB caxiense terá queda de um ponto percentual neste ano, devido à pandemia do novo coronavírus. “Se nós teríamos um crescimento de 2% a 2,8%, a queda vai ser de no mínimo um ponto”.

Gasparin também afirmou que nas próximas semanas a indústria deve sentir dificuldades no fornecimento de matéria-prima bem como nas exportações. Quanto ao comércio, o presidente da CIC afirmou que não deve ter grandes alterações e ainda destacou o excesso de consumo nos supermercados.

A partir desta terça-feira (17), a CIC suspendeu todas as atividades previstas para ocorrer na sede da entidade como eventos, cursos, treinamentos, atividades coletivas bem como participação em agendas externas. A suspensão das atividades vai se estender pelos próximos 30 dias.

Também foram adotadas todas as medidas de prevenção para os funcionários. Um comitê formado pelo presidente, vice-presidentes, coordenadores de diretorias e presidentes de sindicatos irá monitorar ações preventivas diariamente. A entidade manterá o expediente administrativo.

Para ouvir e entrevista completa com Ivanir Gasparin CLIQUE AQUI. 

Link para notícia no site Tua Rádio

Comunicação adotada por Jair Bolsonaro influenciou no fraco crescimento do PIB, diz economista

Avaliação mostra que demora na aprovação de reformas também refletiu

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou, nesta semana, o desempenho do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil no ano passado. Os dados mostram que o país cresceu 1,1%, o que totaliza um montante de R$ 7,3 trilhões. O resultado é a terceira alta anual consecutiva, mas o desempenho é considerado o mais baixo em três anos. Em 2018, a projeção era um de crescimento de 2,55% no PIB para 2019.

Em entrevista ao programa No Ponto, da Tua Rádio São Francisco, a economista Maria Carolina Gullo explicou o motivo da diferença entre a expectativa no início do governo do presidente Jair Bolsonaro e o resultado divulgado pelo IBGE. Segundo ela, os fatores se concentram na tomada de um novo ciclo após 13 anos e nas promessas do governo federal em desburocratizar os processos econômicos. Com o andamento da administração, foi visualizada a dificuldade em aprovar algumas reformas, por exemplo, a da Previdência.

Gullo ainda ressalta que a forma de comunicação adotada por Bolsonaro influenciou nos indicadores, uma vez que o mercado econômico demorou a entender a linguagem do presidente. “Levou um tempo para o mercado se acostumar com o jeito do presidente Jair Bolsonaro, com a forma de se expressar e se comunicar. O empresariado demorou a compreender o que é passível de se levar em consideração naquela forma de conversar com a população. Os desgastes políticos ao longo do ano e a demora para aprovar as reformas minaram a expectativa que o empresariado tinha para 2019. ”

Com essa falta de compreensão, os investimentos efetuados pelo empresariado brasileiro foram baixos, conforme explica Gullo. “Quando há esse desgaste, o empresariado não sente necessidade e desejo de investir, não vislumbra melhorar seus negócios, aí ele não compra uma máquina nova, não muda o processo de produção e não contrata novas pessoas. Isso repercute no desempenho da economia. Sem essas ações, não há geração de emprego, não há renda, repercutindo sobre o consumo e afetando todo o sistema econômico. ”

De acordo com o IBGE, os consumos das famílias brasileiras também refletiram no baixo crescimento do PIB. Os números apresentam que o ano passado foi o resultado mais fraco desde 2016 (1,8%), ao contrário do ritmo de recuperação que vinha desde 2017. Gullo explica a causa dessa desaceleração. “Pelo lado do consumidor, lembramos que a inadimplência continua alta e as pessoas deixaram de consumir, ou porque perderam o emprego ou estão com os salários menores do que tinham antes, por isso precisam adequar o orçamento familiar para uma nova realidade. Isso acaba refletindo nesse patamar de 1,1%, que fechou no ano passado. ”

Para este ano, uma pesquisa divulgada pelo Banco Central, nessa última segunda feira (02/03), aponta que o PIB brasileiro tende a crescer 2,17%.

Link para notícia no site Tua Rádio

Produção de soja cai 16,2% com a estiagem no Rio Grande do Sul, afirma Emater/RS

Safra do milho também sofreu com o fenômeno

A Emater/RS divulgou, nesta semana, números que mostram que a estiagem no Rio Grande do Sul atingiu, principalmente, duas culturas de verão. As produções de milho e soja sofreram grandes perdas devido ao fenômeno.

De acordo com a instituição, a produção de soja caiu 16,2% em comparação com a expectativa inicial. De 19,7 milhões de toneladas esperadas para colheita, devem ser contabilizados 16,5 milhões de toneladas. Em relação a safra de 2018/2019, a cultura desse grão apresenta queda de 10%.

Já o milho para silagem sofreu redução na produtividade de cerca de 20%, sendo que o aguardado era a produção de 12,5 milhões de toneladas. Agora, a estimativa é que sejam 9,9 milhões de toneladas. Comparada a safra passada, a redução chega a 18%.

Em entrevista ao programa No Ponto, da Tua Rádio São Francisco, o diretor técnico da Emater/RS, Alencar Rugeri, explica que o problema se concentra na falta de chuvas prolongadas para ajudar os produtores. “Ao longo dessa safra de grãos, a estiagem esteve presente o tempo inteiro, está presente ainda no Estado e continuamos com as perdas. As chuvas foram bem irregulares e heterogêneas. Então a grande dificuldade que temos é a falta de chuva de forma mais significativa. ”

Mesmo com esses indicadores, a safra de 2019/2020 será a quinta maior da história do Estado. Os valores apresentam que será produzida 28,7 milhões de toneladas nas lavouras e que o reflexo na economia vai superar os R$ 32 bilhões. Rugeri explica o motivo dessa quantia. “Temos um momento do câmbio que é favorável, os preços agrícolas estão estáveis. Isso logo ali na frente vai ter reflexo na implantação da cultura, porque atividade é atrelada ao dólar. Então, nós temos esse desconforto na atividade em função dessas perdas. ”

Ele ainda falou sobre os números divulgados pela Associação dos Produtores de Soja do Rio Grande do Sul (Aprosoja/RS). Conforme a entidade, a produção do grão cairia 30% (13 milhões de toneladas produzidas), resultado superior ao divulgado pela Emater/RS. Rugeri destaca que é apenas uma questão de metodologia usada. “Temos que salientar que os 16% foi obtido em cima de um levantamento em 90% dos municípios (gaúchos) que plantam soja. Não posso questionar a metodologia, pois se uso uma no campo, tenho um resultado. A metodologia que a Aprosoja/RS coloca possui razão, pois cada pesquisa tem um resultado. Nossos 16% é de uma expectativa que tínhamos em agosto e tivemos esse resultado. Claro que os números, hoje, são maiores dos que divulgamos, porque minha informação é da semana passada. ”

As safras do arroz e feijão também foram atingidas com a estiagem. Para este ano, as culturas sofrerão queda na produção, o que não ocorria desde 2017.

Link para notícia no site Tua Rádio

Receita começa a receber as declarações do Imposto de Renda

Prazo encerra no dia 30 de abril

O prazo para entrega da declaração do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) 2020 começa nesta segunda-feira, 02/03, e termina no dia 30 de abril. As pessoas que entregam a declaração no início do prazo têm prioridade para receber a restituição, caso não a preencham com erros ou omissões. Na mesma situação, estão incluídas pessoas com mais de 60 anos, portadoras de moléstia grave ou com deficiência física ou mental.

Este ano, cerca de 32 milhões de contribuintes devem prestar contas ao Fisco. A multa por atraso de entrega é estipulada em 1% ao mês-calendário até 20%. O valor mínimo é R$ 165,74. As novidades para a entrega da declaração neste ano estão disponíveis na página da Receita. E, entre as principais mudanças, estão a antecipação no cronograma de restituição, cujo pagamento começará no fim de maio e terminará no fim de setembro e o fim da dedução da contribuição para a Previdência Social dos trabalhadores domésticos.

O programa gerador da declaração do Imposto de Renda no computador está disponível para download na página da Receita na internet. Quem optar por dispositivos móveis, como tablets ou smartphones, poderá baixar o aplicativo Meu Imposto de Renda nas lojas Google Play, para o sistema operacional Android, e App Store, para o sistema operacional iOS.

Entre os obrigados a declarar estão os contribuintes que receberam, em 2019, rendimentos tributáveis superiores a R$ 28.559,70, rendimentos de atividades rurais acima de R$ 142.798,50 ou rendimentos isentos – não tributáveis ou tributados somente na fonte –, cuja soma seja superior a R$ 40 mil. Também deve declarar quem recebeu, em qualquer mês, ganho de capital na alienação de bens ou direitos sujeito à incidência de imposto, realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias e futuros e tem patrimônio de mais de R$ 300 mil.

*Fonte: Agência Brasil

Link para notícia no site Tua Rádio

Bandeira tarifária segue verde em março

Significa que não haverá cobrança extra para o consumidor

A Agência Nacional de Energia Elétrica – Aneel, informou que manterá, no mês de março, a bandeira tarifária na cor verde, sem cobrança extra na conta do consumidor. A bandeira foi a mesma aplicada em fevereiro. De acordo com a agência, a decisão de manter a bandeira na cor verde se deve a recuperação nos níveis dos reservatórios em virtude do volume razoável de chuvas no mês de fevereiro. 

“Em fevereiro, os principais reservatórios de hidrelétricas do Sistema Interligado Nacional (SIN) apresentaram recuperação de níveis em razão do volume de chuvas próximo ao padrão histórico do mês. A previsão para março é de manutenção dessa condição hidrológica favorável, o que aponta para um cenário com elevada participação das hidrelétricas no atendimento à demanda de energia do SIN, reduzindo a necessidade de acionamento do parque termelétrico”, informou a Aneel.

Segundo a agência, o volume de chuvas refletiu-se na redução do preço da energia no mercado de curto prazo (PLD) e dos custos relacionados ao risco hidrológico (GSF). O PLD e o GSF são as duas variáveis que determinam a cor da bandeira a ser acionada. Criado pela Aneel , o sistema de bandeiras tarifárias sinaliza o custo real da energia gerada, possibilitando aos consumidores o bom uso da energia elétrica. O funcionamento das bandeiras tarifárias tem três cores: verde, amarela ou vermelha (nos patamares 1 e 2), que indicam se a energia custará mais ou menos em função das condições de geração.

O acréscimo cobrado na conta pelo acionamento da bandeira amarela passou é de R$ 1,34 a cada 100 kWh consumidos. Já a bandeira vermelha patamar 1, o valor a mais cobrado é de R$ 4,16 a cada 100 kWh e no patamar 2 da bandeira o valor é de R$ 6,24 por 100 kWh consumidos. A bandeira verde não tem cobrança extra.

*Fonte: Agência Brasil

Link para notícia no site Tua Rádio

Tecnologia provoca um novo posicionamento do profissional da área contábil

Se prefeir, ouça este conteúdo no player de áudio

Os avanços da tecnologia surgiram como o empurrão que faltava para a chegada do novo perfil do profissional contábil, que tem muito a oferecer para seus clientes, contribuindo com o desenvolvimento empresarial e exercendo um papel de consultor. O que esperar do futuro da profissão? O docente do curso de Ciências Contábeis da Anhanguera de Passo Fundo, Vanderlei Carbulin, conversou com a Tua Rádio Alvorada sobre este novo cenário.

Segundo ele, o novo profissional contábil precisa acompanhar as mudanças do setor. Com tantas ferramentas que facilitam o trabalho, não basta focar apenas em operações manuais e repetitivas. As mudanças tecnológicas na área contábil alteraram a forma de atuação dos contadores, vejo o contador como um profissional que se utiliza da tecnologia da informação para exercer o papel de gerenciador de informações.

O trabalho manual de digitação e apurações, conta o professor, é substituído por um trabalho de análise dos resultados, visto que os sistemas integrados nas empresas contábeis possibilitam que as operações sejam importadas, não necessitando o manuseio físico de documentos. Até mesmo as obrigações acessórias (declarações mensais, trimestrais e anuais, onde constam informações sobre a empresas) podem ser elaboradas utilizando-se os sistemas integrados.

Para Carbulin, o contador deve ter uma visão ampliada do mercado em que a empresa está inserida para realizar análises adequadas das operações, da sazonalidade, da atividade fim e das distorções que os resultados possam apresentar. O contador também precisa ter habilidades com as tecnologias que possibilitam que o profissional tenha condições de filtrar as informações de acordo com as necessidades dos clientes, gerenciando as informações em tempo hábil para que possam auxiliar a expertise do empresário na maximização operacional do negócio.

Já o e estudante do curso de Ciências Contábeis deve estar atento a evolução da profissão, conhecer a tecnologia da informação aplicada à contabilidade. Esta é a principal ferramenta de trabalho do contador. Desenvolver habilidades e competências que possibilitem a capacidade de análise crítica das informações contábeis. É necessário ter amplo conhecimento contábil, senso de ética, além de utilizar as técnicas de persuasão aliadas ao conhecimento contábil para andar ao lado do empresário.

O professor revela que a Anhanguera conta com o Canal Conecta, uma plataforma gratuita de empregabilidade que tem como objetivo promover o diálogo entre a comunidade acadêmica e o mundo corporativo. Por meio da plataforma, as empresas postam suas vagas e os alunos completam seus currículos. O sistema promove o cruzamento de dados dos candidatos mais indicados para cargos das empresas inscritas, sugerindo aos empregadores quais participantes melhor se adequam às habilidades requisitadas. Dessa forma, o Conecta permite a consolidação de vagas de emprego para quem cursa graduação, pós-graduação e também para egressos da Anhanguera.

Por fim, ele explica que o novo profissional contábil deve ser proativo, buscar formas de se diferenciar. Buscar gerar valor aos clientes e entregar um serviço de qualidade. É preciso demonstrar a expertise para auxiliar o empresário a melhorar a gestão do seu negócio. Qual é o preço de venda praticado pela empresa? Qual é a margem de contribuição obtida na venda dos produtos? Como está estruturado o fluxo de caixa do negócio?

 

 

Link para notícia no site Tua Rádio

Último dia para pagar IPVA com desconto

Também vence hoje a segunda prestação do pagamento parcelado

Quem quiser quitar o IPVA 2020 (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores) e garantir desconto de até 21,6% tem até esta sexta-feira, 28/02, para fazer o pagamento nos bancos credenciados. A quitação pode ser feita presencialmente ou no sistema on-line do Banrisul, Bradesco, Santander, Sicredi, Banco do Brasil (somente para clientes) ou agências lotéricas da Caixa. Basta ter em mãos o Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo (CRLV) ou apenas a placa e o Renavam do veículo.

Para garantir a redução no valor do IPVA os proprietários de veículos devem calcular a redução de 2% pela antecipação no pagamento do tributo, além dos descontos máximos de Bom Motorista (até 15%) e de Bom Cidadão (até 5%). Para consultar o valor a ser pago, assim como multas e pendências, os contribuintes podem acessar o site específico sobre o imposto – www.ipva.rs.gov.br –, ou o aplicativo para dispositivos móveis – IPVA RS –, disponível na App Store e na Google Play.

Os descontos de Bom Motorista e Bom Cidadão podem ser acumulados e são válidos para pagamento de IPVA antecipado, parcelado ou conforme o calendário de vencimento por placas no mês de abril. Os condutores que não receberam multas nos últimos três anos terão dedução de Bom Motorista de 15% no valor do tributo. Para quem não foi multado há dois anos, o índice é de 10%, e para quem ficou um ano sem infrações, o abatimento é de 5%.

O desconto do Bom Cidadão, por sua vez, dará aos proprietários de veículos, inscritos no programa Nota Fiscal Gaúcha, desconto de 5% para os que acumularam no mínimo 150 notas fiscais com CPF, 3% para os que tiveram entre 100 e 149 notas e 1% para quem acumulou entre 51 e 99 notas.

Link para notícia no site Tua Rádio

Sorteio mensal do Nota Fiscal Gaúcha acontece nesta sexta-feira

Será em Porto Alegre, às 11h

O sorteio do mês de fevereiro do programa Nota Fiscal Gaúcha (NFG) foi transferido para esta sexta-feira, 28/02, em Porto Alegre, às 11h. A alteração da data foi necessária porque o resultado da loteria federal que estava previsto para a quarta-feira (26/2) foi transferido para esta quinta-feira (27/2) em razão da reprogramação do sorteio com o feriado de carnaval.

O aplicativo de sorteio do NFG usa como parâmetros o número, a data e os cinco prêmios da loteria federal do dia anterior para sortear os prêmios mensais do programa. Neste mês serão quase 17 milhões de bilhetes concorrendo a prêmios em dinheiro que somam R$ 225 mil. O maior prêmio sorteado é de R$ 50 mil. Também há mais cem prêmios de R$ 1 mil e 150 de R$ 500,00. Os sorteados serão informados através do e-mail de cadastro, SMS, telefonema ou pelo cadastro do site do NFG. A lista com os nomes dos contemplados será publicada no dia do sorteio. Para resgatar os valores, os consumidores têm até 90 dias, a contar da divulgação dos resultados.

Com mais de 1,8 milhão de pessoas cadastradas, o NFG gera pontos que são acumulados sempre que o consumidor solicitar a inclusão do seu CPF no documento fiscal. O pedido deve ser feito no momento da compra em todos os estabelecimentos varejistas. Além de ofertar 10 prêmios em dinheiro diariamente e 251 prêmios no sorteio mensal, o programa ainda distribui recursos para as entidades que atuam nas áreas da saúde, educação, assistência social e proteção animal.

Outra vantagem de participar da NFG são os descontos no IPVA. Os motoristas podem garantir o desconto máximo, que pode chegar a 5%, no imposto este ano juntando 150 documentos fiscais em seu CPF. Para se cadastrar, basta acessar o site da NFG ou efetuar diretamente no aplicativo do tablet ou smartphone.

Link para notícia no site Tua Rádio

Preço da Cesta Básica em Caxias tem novo aumento e passa de R$ 900, aponta Instituto de Pesquisas da UCS

Produtos de higiene puxaram a alta

A Cesta Básica em Caxias do Sul segue no movimento de alta como ocorreu nos últimos meses do ano passado. Em janeiro, foi registrado um aumento de 0,83% em relação ao mês anterior, ou seja, o valor da Cesta Básica passou de R$ 895,22 para R$ 902,61.

No período, dos 47 produtos que compõem a Cesta Básica, 32 aumentaram de preço, 11 tiveram seus preços médios reduzidos e 4 permaneceram com seus preços inalterados.

Os cinco produtos que mais contribuíram positivamente para a variação do custo da Cesta entre dezembro e janeiro foram o absorvente externo, o papel higiênico, a laranja, o detergente líquido e o creme dental. Destacaram-se, pela redução de preços: a cerveja, a cebola, o leite condensado, o tomate e a farinha de trigo especial.

O valor da Cesta Básica é monitorado pelo Instituto de Pesquisas Econômicas e Sociais (IPES) da Universidade de Caxias do Sul.

Link para notícia no site Tua Rádio

Randon cria empresa para incentivar desenvolvimento de startups

Primeira rodada de investimentos prevê beneficiar até 12 empresas.

Pensando em resolver demandas das empresas que integram o grupo Randon, é que foi criada a Randon Ventures. O novo segmento de atuação tem o objetivo de investir em startups. Mas, para isso, é preciso que tenham o foco relacionado com as áreas do grupo, como logística, serviços financeiros, seguros e mobilidade das coisas.

O anúncio do lançamento da Randon Ventures ocorreu nesta terça-feira (18). Um dos responsáveis pela novidade, o gerente de Negócios Digitais do grupo, Mateus de Abreu, explica que a intenção de criar este novo segmento surgiu há cerca de dois anos.

O primeiro passo foi o lançamento da Randon Exo, que consiste na retirada de funcionários das empresas, para que eles possam focar em encontrar startups que pudessem auxiliar na solução de problemas da companhia. Com isso, e etapa seguinte foi a Randon Ventures. Ou seja, proporcionar que as empresas de tecnologia possam aprimorar estrutura com investimento.

Nesta primeira rodada, a Randon planeja beneficiar entre oito e 12 startups. O valor previsto para investimento será de R$ 3 milhões. A primeira empresa já foi escolhida, é a TruckHelp. Uma plataforma de soluções e serviços para caminhoneiros e transportadoras, que facilita o acesso a informações sobre autopeças e oficinas mecânicas.

Por enquanto, não há previsão para o lançamento de uma segunda rodada de investimentos. A empresa quer fazer um diagnóstico do retorno dos primeiros aportes e, após isso, pensar numa nova etapa.

Interessados em receber investimentos do Grupo Randon, podem entrar em contato pelo site randon.ventures.

(Ouça a matéria abaixo do título)

Link para notícia no site Tua Rádio

Sine oferta 53 vagas de emprego em Flores da Cunha

O Sistema Nacional do Emprego (SINE) está oferecendo 53  vagas de trabalho em Flores da Cunha. Com destaque para 20 vagas  para auxiliar de produção em frigorífico, sendo que, os  interessados devem comparecer na agência do Sine de Flores da Cunha, nesta quinta-feira, dia 20, para entrevistas individuais.

O Sine florense atende junto a Secretaria de Desenvolvimento Social,  no prédio da prefeitura, na rua São  José, 2.500, no Centro, das 8h15min às 11h30min, e das 13h30min às 17h15min, de segunda a sexta.

Vagas disponíveis

– ASSISTENTE ADMINISTRATIVO  – 2 Vagas  – c/ experiência 12 meses

– ESTOQUISTA – Administrativo – controle de estoque e geração de arquivos fiscais

– ATENDENTE / RECPCIONISTA c/ experiência e que saiba coreldraw

– AUXILIAR DE PRODUÇÃO  –   20 Vagas para frigorífico (entrevistas dia  20/02 aqui no SINE de Flores da Cunha)

– AUXILIAR DE PRODUÇÃO – 4 Vagas experiencia em lixa

– AUXILIAR DE PRODUÇÃO  – de preferência c/ experiência em gráfica

– AUXILIAR DE ALMOXARIFADO c/ empilhadeira(pode dar curso)

– SOLDADOR:  5 Vagas  c/ experiência

– AUXILIAR DE PRODUÇÃO  – 3 Vagas  c/ experiência

– OPERADOR DE MÁQUINA (SOPRADORA)

– ESTOFADOR c/ experiência 3 meses

– COZINHEIRA  c/ experiência

– VENDEDOR (ORIENTADOR) c/ experiência

– TÉCNICO DE INFORMÁTICA

– INSTRUTOR DE INFORMÁTICA – p/ dar aulas

– AUXILIAR DE EXPEDIÇÃO

– TORNEIRO MECÂNICO – 2 vagas

– OPERADOR DE DOBRADEIRA

– 2 CASAIS PARA CULTIVO DE PARREIRAIS – c/  bastante experiência

– MECÂNICO DE MANUTENÇÃO (formação profissional em mecânica com a carga horária do curso acima de 500h, disponibilidade de horários, ser proativo, experiência em frigorifico, será um diferencial)

– ELETRICISTA (formação profissional de eletricista com a carga horária  do curso acima de 500h, nr10 –  formação de 40h se reciclagem de 16h, disponibilidade de horários, ser proativo, experiência em frigorifico, será um diferencial)

Mais informações também estão disponíveis pelo email: [email protected] ou pelo telefone 3279-3600.

Link para notícia no site Tua Rádio

Rodosul inaugura nova sede em Marau

No evento, na mahã desta quarta-feira, 19/02, também foi apresentada a nova marca da empresa

A Rodosul reinaugurou a sua sede localizada no Distrito Industrial de Marau e apresentou sua nova marca, na manhã desta quarta-feira, 19/02. A empresa de Marau está há 20 anos no mercado, data que será comemorada no dia 19 de abril. Atua na fabricação de baús frigoríficos, sendo hoje a quarta maior do Brasil, com projeção de chegar ao terceiro posto ainda este ano. A companhia conta com duas unidades: uma no distrito industrial de Marau e outra em Maceió/AL.

A Rodosul tem mais de 100 colaboradores diretos e indiretos. Na oportunidade, o gerente Romacir Saggin, falou sobre a empresa, destacando que a expectativa para 2020 é entregar cerca de 600 baús aos clientes, dobrando o número alcançado em 2019. O evento contou com a presença de autoridades locais e meios de comunicação local e regional.

A empresa tem como diretores Valdemir Moraes e Eliseu da Silva Moraes. Na área comercial, os gestores são Maike Taisson e Felipe Chagas Moraes, além do administrador, Romacir Saggin.

Link para notícia no site Tua Rádio

Iniciam as operações do Frigorífico Frigosul de Vila Maria

Se preferir, ouça este conteúdo clicando no player de áudio

A unidade do Frigorífico Frigosul de Vila Maria foi inaugurada na manhã desta segunda-feira, 17/02. Trata-se da quinta fábrica do grupo, que tem plantas também em Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e em São Paulo, com a marca Sulbeef. A empresa tem relações com a Agropecuária Fuga de Marau.

Paulo Manfrini Pereira, sócio diretor do grupo, explica que os produtos processados em Vila Maria serão destinados ao mercado nacional, num primeiro momento, sendo que já se projeta a exportação, devido a qualidade da carne gaúcha. Ouça no player desta matéria.

A planta inicia suas operações com 80 funcionários porém, a intenção é chegar a 200 colaboradores, contemplando todas as etapas de produção, desde o abate até a embalagem. No local será produzida a carne bovina com osso em diversos cortes e também a carne desossada embalada a vácuo, que é o carro chefe do Frigosul.

Link para notícia no site Tua Rádio

Empresas do ramo de tintas e de polímeros possuem interesse em investir no grafeno, afirma reitor da UCS

Espaço para a produção do material será inaugurado pela universidade em 14 de março

A Universidade de Caxias do Sul (UCS) vai inaugurar um espaço para a produção em escala industrial de grafeno no dia 14 de março deste ano. O material é estudado pela instituição desde 2005, o que a coloca como uma das pioneiras no desenvolvimento da substância para as mais diversas áreas.

O reitor da UCS, Evaldo Kuiava, explica que a universidade será a primeira da América Latina a produzir o grafeno para as indústrias. Segundo ele, as pesquisas apenas focavam na utilidade do material. “Entendemos que podíamos avançar em relação aquilo que hoje não tem no Brasil e na América Latina, existem pequenos laboratórios que produzem grafeno, mas focados em estudos e pesquisas aplicadas, o que também fazemos. O que ninguém produz é o material em escala industrial para que as empresas possam se apropriar a fim de desenvolver os produtos. Então identificamos essa oportunidade de quebrar um paradigma dentro da universidade. ”

Conforme estudos da instituição, como a substância é um forte condutor térmico e de eletricidade, vislumbra-se que ela pode ser utilizada para o carregamento de baterias de telefones celulares em minutos, a produção de roupas com isolação térmica e criar filtros eficientes na limpeza de águas contaminadas.

Kuiava, conta quais as outras possibilidades da aplicação do material a nível industrial. “Existe a possibilidade, por exemplo, de [empregar] em tintas, polímeros, baterias e diversos tipos de materiais. Há pesquisas até em medicamentos. O grafeno pode ser trabalhado com outros compostos, por exemplo, temos pesquisas com nanopartículas de celulose e além disso, vamos trabalhar essa substância com o grafeno, o que dá a possibilidade de uma aplicação em energia fotovoltaica. ”

A partir da abertura da planta fabril, a UCS poderá gerar 500 quilos de grafeno por ano. A ideia é que, ainda em 2020, a produção possa aumentar para cinco mil quilos ao ano, o que auxiliaria para ampliar a estrutura de trabalho. Em relação ao quanto pode movimentar a economia, Kuiava ainda não sabe precisar o valor, pois a qualidade do material reflete em sua variação no mercado e também dependerá em qual produto será aplicado. Mas ele afirma que já existem clientes com interesse. “Tem clientes que querem comprar grafeno imediatamente, temos mais procura do que condições de entregar no momento. Há empresas que querem investir em polímeros, outras em tintas, há aquelas que querem desenvolver pesquisas conosco. Há empresas locais como multinacionais. Com algumas possuímos um Termo de Confidencialidade. Ainda estamos pesquisando sobre coletes a prova de bala e capacetes, além de trabalhos ligado ao governo federal, que tem interesse [na substância]. ”

O espaço para a produção do material será no Bloco 71 da instituição, onde se localiza a Área do Conhecimento de Ciências Exatas e Engenharias e o Laboratório de Informática. Nesta semana, uma comitiva da UCS foi à Brasília para convidar o presidente Jair Bolsonaro para a inauguração do local. Segundo Kuiava, Bolsonaro ficou contente com o convite, mas não confirmou sua presença.

 

 

Link para notícia no site Tua Rádio

Empresários chineses mostram interesse no investimento de dois projetos da Serra Gaúcha

Comitiva esteve em Caxias do Sul nesta semana

A Prefeitura de Caxias do Sul se reuniu, nesta quarta-feira (06/02), com representantes de uma empresa chinesa que deseja aplicar recursos na Serra Gaúcha. Trata-se da China Railway, que construiu 70% das vias do país chinês. O encontro ocorreu no Salão Nobre do Executivo municipal e contou com a presença do prefeito Flávio Cassina (PTB), do vice Édio Elói Frizzo (PSB), de secretários municipais e do MobiCaxias.

A pauta principal foi como está o andamento para a construção do Aeroporto Regional da Serra Gaúcha. Foram apresentadas as situações das desapropriações de terras, das licenças ambientais, da verba de R$ 200 milhões para o início das obras, além do financiamento de R$ 30 milhões obtidos junto à Caixa Econômica Federal e a possibilidade de entregar a gestão do espaço para a iniciativa privada.

O titular da pasta municipal de Gestão e Finanças, Paulo Dahmer, estava presente no encontro. Ele entende que a empresa chinesa queria compreender qual a demanda que a região e Caxias do Sul necessita. O secretário visualiza que uma das principais necessidades é a melhoria das estradas que se conectam ao aeroporto. “A estrada que liga Fazenda Souza até Vila Oliva e também a que liga a Gramado. A primeira é asfaltada, mas precisa de uma boa ampliação, a via de Gramado é chamada de estrada de chão e precisa de bastante investimento, inclusive, tem estudos para criar uma outra alternativa que não seja dispendiosa em recursos devido ao relevo da região.”

Rogério Rodrigues, diretor executivo do MobiCaxias, foi o representante da entidade no encontro. Segundo ele, o contato com os chineses foi intermediado pelo senador gaúcho Luis Carlos Heinze (PP), por meio de uma das matrizes que fica em São Paulo. Na conversa, os empresários ficaram interessados no empreendimento, além de serem atraídos para outros dois projetos estaduais, que envolve a ideia da reativação do Trem Regional, que ligaria Caxias do Sul a Bento Gonçalves, e o porto do Litoral Norte, que ficará em Arroio do Sal.

Rodrigues explica que, após a vinda da comitiva chinesa, será reunido informações sobre os três empreendimentos para mandar aos representantes no Brasil. “Decidimos que os próximos passos serão trocas de informações de alguns projetos, o que está em evolução maior é o do porto, até já fizemos um acordo de confidencialidade. Temos passando outras informações para que eles possam encaminhar aos executivos na China, que vão deliberar uma aproximação maior da empresa com nossas ações.”

Os chineses ainda se reuniram com a Câmara de Vereadores de Caxias do Sul para tratar da volta do Trem Regional.

 

Link para notícia no site Tua Rádio

“O governo Guerra entregou o Município pior do que recebeu, muito pior”, afirma secretário de Gestão e Finanças

Além do déficit de R$ 52 milhões, o valor deixado em caixa é o menor dos últimos quatro anos

A situação financeira da Prefeitura de Caxias do Sul foi o motivo de uma reunião convocada pelo próprio Executivo na manhã desta quinta-feira (06). No início desta semana, o prefeito Flávio Cassina havia dito, durante seu pronunciamento na abertura do ano Legislativo, que a prefeitura estaria com um déficit de cerca de R$ 50 milhões. Os números foram confirmados nesta quinta-feira pelo secretário de Gestão e Finanças, Paulo Dahmer.

O grande impasse foi que o ex-prefeito Daniel Guerra (Republicanos) publicou em suas redes sociais no dia 02 de fevereiro de 2020, que deixou a prefeitura com um superávit de R$ 34,4 milhões e R$ 210 milhões em caixa. Porém, Dahmer explicou como funciona a dinâmica da contabilidade pública e contrapôs Guerra apresentando dados oficiais desde 2015 até 2019: “Foi comentário feito pelo ex-prefeito, que o resultado foi positivo e que deixou R$ 34 milhões no Resultado Orçamentário. O Resultado Orçamentário é o total da receita arrecadada menos as despesas. Então, ocorre que a Câmara Municipal e a FAS não recebem por empenho, eles recebem por repasse conforme determina a lei. Então, se tirarmos os repasses que somam R$ 83.098.166 do que tinha para a prefeitura (R$ 30.992.355) nós temos um resultado negativo de R$ 52 milhões  no consolidado”.   

Sobre os R$ 210 milhões que Guerra publicou que deixou em Caixa, Dahmer respondeu: “São R$ 217 milhões que ele [Daniel Guerra] deixou. Só que temos que levar em conta a Despesa Empenhada que foi o que ele assumiu de dívida no ano passado e tem que ser paga. Então, nos resta R$ 70 milhões de Despesa Empenhada, vamos ter que pagar esse ano. Tirando dos R$ 217 milhões os R$ 70 milhões, sobra R$ 148 milhões que temos em caixa. Ocorre que nós temos R$ 118 milhões de recursos vinculados, que são os fundos. Por exemplo, tem o fundo do meio ambiente, eu só posso gastar o valor que está dentro daquele fundo na área do meio ambiente, eu não posso gastar em saúde, eu não posso pagar salário com isso”.  

Ou seja, ao descontar os R$ 118.762.662 dessas despesas vinculadas dos R$ 148.348.088 em caixa, sobram apenas R$ 29.585.426 de recursos livres que são utilizados para despesas ordinárias do Município, como o salário dos servidores. Se comparar com último ano do governo do ex-prefeito Alceu Barbosa Velho, em 2016, o total de recursos livres deixados em caixa foi de mais de R$ 85 milhões e o déficit de R$ 12,9 milhões. “O governo Guerra entregou o Município pior do que recebeu, muito pior. Se ele dizia que o prefeito Alceu tinha entregado a cidade quebrada, eu não conheço termo pior que quebrada, mas é muito pior que 2016”.  

Outro agravante é um valor de R$ 8.157.486,97 que a prefeitura deve pagar das Requisições Judiciais de Pequeno Valor, ou seja, valores que foram cobrados do Município por via judicial. Segundo Dahmer, esse recurso sai direto do caixa, porém os pagamentos estão atrasados.

Diante dos números, o secretário salientou que, se nenhuma medida for tomada, a prefeitura poderá começar a atrasar o pagamento da folha a partir de outubro ou novembro deste ano. Por isso, ele fez o anúncio dos meios pelos quais o Executivo vai tentar conter gastos e gerar receita:

– Fazer novo cálculo de alíquotas de contribuição previdenciária dos servidores e repasses da prefeitura;

– Adiantar vencimento do IPTU para início de janeiro;

-Fazer atualização de planta de valores do IPTU (correção dos valores venais dos imóveis);

-Diminuir o percentual de desconto do IPTU. Hoje é de 15% para os adimplentes e de 10% para os inadimplentes. Novos percentuais serão definidos durante o ano.

Além das medidas relacionadas à previdência e ao IPTU o secretário também afirmou que novas obras serão feitas somente onde já existem recursos vinculados; que a prefeitura vai suspender temporariamente a nomeação de servidores; que o Executivo pode vir a pedir a devolução antecipada de valores da Câmara de Vereadores e, ainda, que a administração vai rever utilização de recursos na área da saúde e educação.

A prefeitura ainda vai concentrar esforços para cobrar devedores. Segundo Dahmer, há mais de R$ 700 milhões em dívida ativa com o Município.

  

Link para notícia no site Tua Rádio

Programa PEIEX, da Apex-Brasil, segue sendo oferecido neste ano de 2020

Capacitação é oferecida pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Meio Ambiente

As empresas que nunca exportaram, têm várias dúvidas em relação ao processo de comercialização internacional. Perguntas muito frequentes são: Qual a melhor forma de fazer meu produto chegar àquele mercado? Como deve ser a negociação com o comprador internacional? Como formar o preço do meu produto para outro país? Para ajudar a responder essas e muitas outras questões relacionadas à exportação, o programa prepara as empresas brasileiras para que possam iniciar o processo de forma planejada e segura.

O atendimento do PEIEX é feito com base em visitas às empresas que desejam exportar. A primeira visita tem o objetivo de medir o potencial exportador da empresa. A segunda é a ocasião em que o técnico do PEIEX faz um diagnóstico do negócio para identificar o nível de prontidão da empresa para a exportação. Com base nas informações levantadas, é elaborado um plano de trabalho para a empresa que prevê a implantação de requisitos necessários à exportação. Ao final do atendimento, a empresa tem um plano de exportação para orientar sua inserção internacional. O programa é desenvolvido na região em parceria com a UPF/Universidade de Passo Fundo.

Os empresários que desejarem atendimento podem agendar na Secretaria de Desenvolvimento Econômico, pelo telefone 3342-6239, que conta com dois técnicos à disposição para atendimento. O atendimento é feito de forma gratuita, sem custo ao empreendedor. A capacitação é oferecida pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Meio Ambiente.

Link para notícia no site Tua Rádio

Economia caxiense cresceu 5% em 2019

Resultado positivo foi puxado pelos setores de Comércio e Serviços.

Nesta terça-feira (4), a Câmara de Indústria, Comércio e Serviços (CIC) de Caxias do Sul divulgou o balanço da economia referente ao ano de 2019. Houve um crescimento de 5%. O bom desempenho foi puxado pelo Comércio, que cresceu 11,5%, e Serviços, que expandiu 10,3%.

Para a entidade, o resultado de 5% é analisado de maneira positiva. Principalmente, por ser superior aos desempenhos do Rio Grande do Sul e do Brasil.

Maria Carolina Gullo, integrante da Diretoria de Economia da CIC, ressalta que, apesar do bom resultado do Comércio, este segmento em 2018 apresentou um desempenho baixo. Referente ao ano passado, a economista credita, entre outros fatores, que o resultado foi bom por causa da liberação de valores do FGTS.

Na contramão, a Indústria acumulou crescimento de 0,1% em 2019. Maria Carolina recorda que este setor começou bem no último ano. Entretanto, algumas expectativas não se confirmaram ou demoraram para ocorrer, como decisões sobre reformas políticas.

Por fim, o mercado de trabalho formal também registrou uma evolução pouco expressiva. O balanço apontou um saldo de 100 postos, o que totaliza 0,1% de aumento.  

(Ouça a matéria abaixo do título)

Link para notícia no site Tua Rádio

Projetado por empresa marauense, Estação Campos de Canella completa um ano

Ampla programação vai comemorar a data, a partir desta quinta-feira, 30/01

A Estação Campos de Canella – complexo turístico e comercial projetado pela incorporadora marauense Novalternativa, está completando um ano. Desde a inauguração, em 30 e janeiro de 2019, foram mais de 150 empregos gerados, 16 novas opções de gastronomia e compras criadas, além da construção da Rua Coberta de Canela e da revitalização de um dos principais pontos da cidade. O projeto ainda está em andamento e até o próximo semestre, pelo menos mais cinco operações deverão ampliar o mix do empreendimento, que ainda irá encerrar em definitivo suas obras com a colocação da cúpula de vidro na nova ala, inaugurada em dezembro.

“Essa estrutura, é uma das mais modernas e imponentes que teremos no Rio Grande do Sul, uma obra de engenharia a altura do projeto Estação Campos de Canella”, explica Luis Fernando Bassani, diretor da Novalternativa. No total, serão 42 lojas e restaurantes em operação. Algumas já estão ocupadas e outras disponíveis para locação.“Cumprimos nossa missão em entregar à Canela um projeto diferenciado que não só altera o visual da cidade, mas também mexe com o cenário econômico”, avalia Bassani.

Para marcar o primeiro aniversário do espaço, será inaugurada nesta quinta-feira, 30/01, a Big Land. A atração será o primeiro parque do Brasil onde o gigantismo é a temática. Serão mais de 500 metros quadrados com jogos interativos e brinquedos de proporções gigantescas, muitos de inspiração vintage, para oferecer uma experiência inédita de imersão em um universo de fantasia e nostalgia. A programação de aniversáriuo seguirá com diversas atrações artísticas até o domingo, 02/02. “Este é um momento a ser comemorado, por isso convidamos todos que estiverem visitando nossa cidade para participarem da nossa programação de aniversário”, convoca Alfredo Schaffer, gerente administrativo do espaço.

Link para notícia no site Tua Rádio

Pagamento em cota única do IPTU arrecada mais de R$ 109 milhões para os cofres da Prefeitura de Caxias do Sul

Executivo estimava receber cerca de R$ 110 milhões por essa forma de quitação

Até o momento, Caxias do Sul arrecadou cerca de R$ 109,7 milhões com a cota única do Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial (IPTU) e a Taxa de Coleta de Lixo. As informações são do Executivo municipal, que estimava receber em torno de R$ 110 milhões por essa guia. Ao todo, espera-se angariar R$ 148 milhões.

Historicamente, 67% dos caxienses optam por liquidar o imposto por meio das parcelas. A pessoa que escolheu pagar o imposto parcelado, deverá quitar a primeira prestação até 10 de fevereiro. Serão seis parcelas a serem saldadas até o dia 10 de cada mês, com finalização para julho. O pagamento integral do IPTU até o dia 25 de janeiro garantiu o desconto de 15%, para quem não tinha pendências com o Município, e 10% para aquele que tinha a situação em aberto.

A Prefeitura de Caxias do Sul ainda arrecadou mais R$ 360,7 mil com o valor parcelado, o que sobe o montante para R$ 110,1 milhões recebido com o IPTU e a Taxa de Coleta de Lixo. Neste ano, o imposto sofreu um reajuste de 4,55%, conforme corresponde no repasse da inflação.

E quem está com valores atrasados de anos anteriores, deve se dirigir ao Centro Administrativo Municipal, das 10h às 16h, para acertar a diferença. A dica é verificar o saldo pendente e parcelar ou emitir a via para pagamento à vista.

Link para notícia no site Tua Rádio

Aeroporto Regional: Pagamento das desapropriações de áreas gerou impasse entre governo municipal e estadual

Reunião desta quinta-feira (23/01) abriu dúvidas de quem arcará com as indenizações

Uma comitiva da Prefeitura de Caxias do Sul e de lideranças empresariais se reuniu com o governador Eduardo Leite, nesta quinta-feira (23/01), em Porto Alegre, para tratar sobre o Aeroporto Regional da Serra Gaúcha. O encontro ocorreu no Palácio Piratini e abordou a respeito do pagamento das desapropriações de áreas para dar início ao empreendimento.

Paulo Dahmer, titular da Secretaria de Gestão e Finanças (SMGF) e da Receita Municipal (SRM), esteve na reunião. Em entrevista à Tua Rádio São Francisco, ele afirma que houve um impasse entre as partes, pois o Governo do Estado entende que se arcar com o montante, ele deveria assumir os processos burocráticos para a construção do aeroporto. Mas o Executivo municipal possui outro entendimento. O argumento se baseia no termo de compromisso que a Prefeitura caxiense assinou com a União, o qual concede a responsabilidade pela obra. Isso gerou a dúvida de quem vai arcar com as desapropriações.

“O governador [Eduardo Leite] nos colocou de que se o Estado fazer o pagamento das áreas, elas estarão sendo pagas para quem tem a outorga, que é o Município de Caxias do Sul. Da nossa parte, colocamos que possuímos um compromisso com o governo federal. Isso gerou uma dúvida, em determinado momento da reunião, do que fazer. A defesa do Estado é o seguinte: se há um pagamento por parte deles, quem deveria administrar a obra seria o governo estadual.”, detalha.

A questão é plausível. Desde o início, o Município realizou as negociações junto ao Governo Federal e a órgãos estaduais. As ações geraram o encaminhamento para a liberação das licenças ambientais com a Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) e a verba de R$ 200 milhões com a Secretaria Nacional de Aviação Civil para o início das obras. O Executivo ainda garantiu um financiamento junto a Caixa Econômica Federal de R$ 30 milhões para as indenizações dos terrenos.

Dahmer ressalta que marcará um encontro com a Secretaria Nacional de Aviação Civil para esclarecer o tema. Segundo ele, tentará ver para a primeira quinzena de fevereiro, pois já tinha pré-agendado uma reunião a fim de tratar sobre o edital de licitação que escolherá quem fará o projeto e a obra do aeroporto. A antiga administração tinha a ideia de separar em três etapas, a começar pelos projetos básico e executivo até a construção do empreendimento.

“Tínhamos pré-agendado uma reunião para tratar do edital que vai fazer a contratação [de quem vai realizar] o projeto e a obra do aeroporto. Diante dessa situação, de comum acordo, resolvemos conversar com Secretaria de Aviação Civil. Vamos marcar uma reunião nos próximos dias para verificar como resolver o tema. A ideia é que tenhamos uma definição e que possamos todos trabalhar para a construção dessa obra que é importante para a região.”, avalia.

Estiveram também na comitiva, o prefeito Flávio Cassina (PTB), o vice-prefeito Edio Eloi Frizzo (PSB), a vereadora Paula Ioris (PSDB), o presidente da Câmara de Vereadores, Ricardo Daneluz (PDT), o presidente da Câmara de Indústria, Comércio e Serviços (CIC), Ivanir Gasparin, o reitor da Universidade de Caxias do Sul (UCS), Evaldo Kuiava, e representantes da MobiCaxias.

Link para notícia no site Tua Rádio

“2020 será melhor que 2019”, diz presidente da CIC sobre o crescimento da economia

Segundo Ivanir Gasparin, o setor da indústria tem se mostrado como o principal gerador de empregos

A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) divulgou, na última quinta-feira (16), os dados do Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Ices). Conforme os números, em janeiro deste ano, o índice atingiu os 126,6 pontos, em uma escala de zero a 200. O resultado, além de ser 2% maior que em dezembro e 4,7% maior do que o registrado em janeiro de 2019, é o maior patamar para um mês de janeiro desde 2013.

Segundo o presidente da Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul (CIC), Ivanir Gasparin, durante entrevista ao programa Conectado Perfil, na manhã do último sábado (18), o ano de 2020 será melhor que 2019, no que diz respeito ao crescimento da economia. “É melhor um crescimento lento, mas constante, como vem acontecendo nos últimos dois ou três anos, do que aquele “voo de galinha”, que é crescimento rápido, onde a queda é mais rápido ainda. Entramos 2020 com o pé direito. A economia está crescendo e as principais fábricas estão tomadas de pedidos.2020 vai ser muito melhor que 2019”.

Gasparin ainda destaca que é preciso ter atenção para eventos externos, que podem afetar a economia local. “Tem casos como o da Argentina, que é a principal parceira do Brasil, mas principalmente de Caxias e da Serra gaúcha. Outra, o atentado no Oriente Médio, que aconteceu no Iraque pode afetar toda nossa economia. Então, nós temos que estar atentos a isso”.

Ainda conforme o presidente da CIC, o setor da indústria tem se mostrado como o principal gerador de empregos. Para Gasparin, tal fato é importante para fomentar os outros setores, o comércio e serviços. “Até dois anos atrás, quem gerou emprego em Caxias foi o comércio e o serviço. A partir do ano passado, a Indústria começou a contratar. A riqueza vem da produção. Essa geração de empregos na indústria é importante para, depois, o comércio e o serviço trabalharem”.

O último balanço da economia caxiense, divulgado pela CIC, foi referente ao mês de outubro de 2019, onde houve crescimento de 1,6%. A indústria foi o setor responsável pelo desempenho positivo do mês, com aumento de 4,2% em relação a setembro.

Link para notícia no site Tua Rádio

Cadastro Positivo já está disponível para consulta

O cadastro foi instituído por lei Federal e prevê a concessão de benefícios para bons pagadores

O cadastro no Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), para aqueles que não conseguem pagar todas as contas em dia e que, portanto, ficam com o nome “sujo” já é conhecido por todos. Esta também é uma ferramenta para empresas e organizações que trabalham com o crédito poderem ter o controle de quem é ou não um bom pagador no mento da negociação.

Mas sempre fica a pergunta: “quem paga todas as contas em dia, o que ganha?”. Desde a última quarta-feira (15), todas as pessoas que são boas pagadoras poderão obter facilidades e juros menores ao contratar um crédito ou fazer um financiamento. Isso porque já está em vigor o Cadastro Positivo.

Conforme explica a coordenadora de SPC da Câmara de Dirigentes Lojistas  (CDL) de Caxias do Sul, Rita de Cássia Pereira, o sistema funciona com uma pontuação atribuída a cada consumidor, chamado de score: “Esse score vai indicar se você paga ou não as contas em dia. Essa lei foi sancionada no mês de abril de 2019 e ela trata de que todas as pessoas já estão no Cadastro Positivo”.

Uma das principais dúvidas da população é quais dados, exatamente, ficam disponíveis para a consulta. Rita salienta que as empresas credoras podem olhar somente a pontuação: “Nós sabemos que a grande preocupação é de o saldo da conta corrente vai aparecer, mas, não. O Cadastro Positivo nada mais é do que uma pontuação que vai dizer se você é pontual ou não nos pagamentos. Ele não vai abrir dados mais sensíveis como a loja que você comprou, quanto gastou, ou quanto gasta no cartão de crédito. Esses dados não são disponibilizados”.

Conforme a lei, todos já estão no Cadastro Positivo, mas quem quiser solicitar a saída ou até mesmo consultar os pontos pode ir diretamente na sede da CDL Caxias (esquina das ruas Alfredo Chaves e Sinimbu, térreo) ou ligar para o telefone 0800- 887-9105.

Até o momento, mais de 120 milhões de consumidores que possuem operações de crédito nos cinco principais bancos do país e em outras 100 instituições financeiras, já estão no Cadastro Positivo. Isso porque nesta primeira leva somente as instituições bancárias forneceram os dados de pagamentos. Para os próximos meses, a população que não tem conta nos bancos também terá sua oportunidade, pois está previsto o envio de informações por parte de empresas do varejo, telefonia e concessionárias de água e luz.

Conforme Rita, ainda não se sabe quantos caxienses estão inclusos no Cadastro, pois os dados são nacionais e não revelam a região onde estão esses consumidores. Porém o levantamento mais recente do SPC mostra que até outubro do ano passado havia 84.864 pessoas inadimplentes em Caxias do Sul. Mas, Rita salienta que com o Cadastro Positivo, mesmo quem teve um atraso no pagamento das contas não será prejudicado totalmente: “O que pode acontecer é o consumidor ter uma pendência por esquecimento ou desacordo comercial e, antes, todo o histórico dele ficava manchado por conta disso. Com o Positivo, não. Ele tem essa pendência por algum motivo, mas o histórico pode ser de um bom pagador e a análise fica mais assertiva”.   

Mais informações no site www.spcbrasil.org.br/cadastropositivo.

Ouça no link acima da foto. 

 

 

Link para notícia no site Tua Rádio

Microempreendedores Individuais devem estar atentos às obrigações fiscais de 2020

Se preferir, ouça este conteúdo clicando no player de áudio

Microempreendedores individuais – os MEIs, têm até o dia 30 de maio para colocar em dia todas as obrigações fiscais deste ano, com base em 2019, porém, a orientação é de que alguns processos sejam finalizados até o mês de fevereiro. Entre estas obrigações estão as mensais, como o pagamento dos boletos do INSS e outros impostos, e as anuais, como a declaração de rendimentos e atualização dos alvarás. Ninguém é isento de apresentar a declaração pois ela é a forma dos microempreendedores prestarem contas à Receita Federal.

De acordo com Kelly Sampaio, assistente no Centro Empresarial de Marau, é fundamental que os MEIs mantenham-se em dia com as obrigações para evitar multas e sanções. O órgão, instalado junto a Faculdade da Associação Brasiliense de Educação, presta assessoria aos empresários. Até o final de janeiro, o horário de atendimento no Centro Empresarial é apenas pela tarde, 13h30 às 18h. A partir de fevereiro, o funcionamento volta a ser em dois turnos sendo que pela manhã, o horário é das 7h30 às 11h30.

Link para notícia no site Tua Rádio

GSI fará repasse de recursos para entidades da região

Serão beneficiados projetos de Marau e de Passo Fundo

Na próxima quarta-feira, 22/01, a AGCO – fabricante das marcas GSI e Agromarau, via oficializar a entrega de recursos financeiros para entidades da região, com um repasse de R$ 135 mil. A ação faz parte dos projetos de responsabilidade social da organização. 

A cerimônia está marcada para às 14h, na unidade de Marau. Serão beneficiados o Hospital Cristo Redentor, a Associação Shobu-Kan de Karatê, a Associação Beneficente São Francisco de Assis (Abesfa), a Associação Marauense de Futsal (AMF) – todas de Marau, e Liga Feminina de Combate ao Câncer de Passo Fundo.

Os valores, segundo Newton Backes, diretor administrativo financeiro da empresa para a América do Sul, foram obtidos mediante a legislação do Imposto de Renda. “Essa ação é uma demonstração de agradecimento e de responsabilidade social, alinhada com os valores da corporação. O ano de 2019 foi marcado para a empresa como sendo um ano de retomada do crescimento e resgate da rentabilidade, fruto de um esforço coletivo de colaboradores e parceiros, combinado com um cenário de mercado favorável”, afirma.

Ricardo Marozzin, diretor geral da divisão na América do Sul, reforça que a empresa realizou um importante reposicionamento no ambiente de negócios em 2019. “A partir disso, ampliamos nosso resultado e estreitamos os laços junto às comunidades onde estamos inseridos, reforçando nosso papel de responsabilidade social. Essa é uma forma singela para também agradecer o poder público municipal e os deputados de nossa cidade pelo apoio ao longo dessa jornada”, destaca.

As entidades beneficiadas comemoram o aporte recebido. Marcelo Borghetti, diretor Administrativo HCR, informa que o recurso será utilizado para equipar as futuras salas da ampliação do bloco cirúrgico. Juarez da Silva, coordenador da Shobu-Kan, afirma que o recurso será investindo em um tatame, equipamento para o ensino e a prática do karatê.

A Abesfa destaca que esse repasse vai permitir uma autonomia maior para a entidade e será aplicado nas necessidades cotidianas da entidade. Maurício Franceschi, presidente da AMF, antecipa que o valor recebido será importante no desenvolvimento das atividades do time, que se organiza para a temporada 2020.

 

 

 

Link para notícia no site Tua Rádio

Tarifa da água não será reajustada em 2020

Este será o terceiro ano sem aumento no valor.

A Prefeitura de Caxias do Sul comunicou, no final da tarde desta quarta-feira (15), que em 2020 não será aplicado qualquer reajuste nas tarifas de água e esgoto da cidade. Segundo o comunicado, a medida foi determinada pelo prefeito Flávio Cassina antes da realização de estudos pelo Samae visando um possível aumento.

Com isso, pelo terceiro ano seguido Caxias não terá reajuste nas tarifas.

(Ouça a matéria abaixo do título)

Link para notícia no site Tua Rádio

Ações do governo federal devem recuperar mercado imobiliário em Caxias do Sul, prevê Assimob

Entre elas, está a redução de juros e investimentos na construção civil

O setor imobiliário de Caxias do Sul projeta uma recuperação no mercado para este ano. Desde 2014, a categoria era impactada com a crise econômica. Outro fator apresenta que a cidade possui suas raízes no polo industrial, o que afetou as imobiliárias pelas indústrias sofrerem com a instabilidade financeira do Brasil nos últimos anos. É o que analisa o presidente da Associação das Imobiliárias de Caxias do Sul (Assimob), Nelson D’Arrigo.

Ele explica que a prospecção positiva está baseada nas ações do Governo Federal. As intervenções para a redução de juros, os investimentos na produção e na construção civil e o tabelamento dos juros do cheque especial são vistos como pontos para essa volta do ramo. Esses fatores refletem em investimentos no setor.

“O que nos leva a entender (uma recuperação) é a partir do momento que vemos ações do governo federal buscando a redução de juros, investimentos em produção, em construção civil, além da Caixa Econômica Federal reduzindo juros e Brasília tabelando um pouco o juros do cheque especial. Isso tudo faz com que as pessoas parem de barganhar na aplicação financeira para começar a correr riscos e investir na produção. Acreditamos que 2020 será promissor.”, avalia.

D’Arrigo aponta que o poder público municipal é importante para o crescimento do mercado em Caxias do Sul. Ele visualiza que os dois setores necessitam caminhar juntos para recuperar o mercado da construção civil que investia na cidade até 2013. As ações impactam diretamente as imobiliárias.

“A entidade busca se representar e representar as empresas de Caxias do Sul para trazer as coisas que a cidade necessita. Sendo uma coisa que todos entendem e expõem, porque não propor as alterações e adaptações a fim de incentivar as indústrias de construção civil local a voltar a investir na cidade como investiram até 2013.”, comenta.

Mesmo com a pequena recuperação em 2020, ele afirma que os imóveis para a venda não estarão mais disponíveis na cidade no ano que vem. O argumento se baseia na recessão econômica dos últimos cinco anos que abalou a indústria e o mercado local da construção civil, que caiu cerca de 80%. Agora, até que as construtoras façam um projeto e o edifique, o prazo será de quatro anos. O que colabora ainda mais é a falta da procura da comunidade para a compra de uma propriedade.

“A partir de 2021, nós não teremos mais imóveis a venda em Caxias do Sul. O mercado imobiliário da cidade caiu na faixa de 80% ou até mais. Até que as indústrias e construtoras voltem a projetar, a comprar terreno, fazer o projeto, aprovar na Prefeitura e iniciar a construção, demora de seis meses a um ano. Mais dois ou três anos de construção, dependendo do projeto, são cinco anos o prazo de entrega para um bem. Isso fará com que em 2021 a cidade tenha dificuldade em encontrar imóveis, porque a demanda está reprimida desde 2014.”, projeta.

Nelson D’Arrigo assumiu a gestão da Assimob no início deste ano, com mandato até 2022. Seu objetivo é levar a entidade a uma posição destaque e tornar-se ponto de referência, apoio e segurança aos clientes.

Link para notícia no site Tua Rádio

Lideranças empresariais de Caxias solicitam ações no combate ao comércio ilegal

Presidentes de entidades estiveram reunidos com o prefeito Flávio Cassina (PTB), na última terça-feira

O prefeito de Caxias do Sul, Flávio Cassina (PTB), recebeu, na última terça-feira (14), as principais lideranças do comércio na cidade. Estiveram reunidos na audiência a presidente do Sindilojas Caxias, Idalice Manchini, o vice-presidente do Sindigêneros, Jaime Andreazza, e o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Renato Corso. Eles apresentaram reivindicações importantes para o comércio varejista de Caxias do Sul.

Entre as pautas que foram apresentadas, os presidentes demonstraram a crescente preocupação com a propagação do comércio ilegal nas principais vias da cidade e o impacto social e econômico gerado na economia pelo consumo de produtos sem procedência, falsificados, contrabandeados e de origem incerta. Segundo a presidente do Sindilojas Caxias, idalice Manchini, é preciso intensificar a fiscalização. “Ali não é local para os ambulantes, pois tem um comércio estabilizado que, economicamente, é prejudicado”.

Além disso, outras pautas também foram entregues ao prefeito, como explica Idalice. “Solicitamos a flexibilização do estacionamento no centro nos finais de semana, na Rua Os 18 do Forte e Sinimbu; também solicitamos a revitalização da Praça Dante Alighieri e da Avenida Júlio de Castilhos, incluindo mudança no local do Ponto da Colheita, nas sextas-feiras, pois impacta no fluxo de veículos”.

Outras questões também foram abordadas no encontro, como o cercamento eletrônico, investimentos em iluminação pública, readequação e limpeza dos containers de lixos, manutenção de lixeiras danificadas das ruas, parques, desburocratizações dos processos internos da Prefeitura Municipal, adequações às regras impostas no Decreto n° 16.834/2014 que versa sobre a regulamentação da Lei de Comunicação Visual e inclusão de cadeira com voto para cada entidade no Conselho Municipal de Direitos do Consumidor (CONDECOM).

Link para notícia no site Tua Rádio

Aeroporto Regional da Serra Gaúcha foi tema de encontro entre senador, empresários e Executivo caxiense

Reunião abordou as etapas para andamento das obras

A Prefeitura de Caxias do Sul sediou na tarde desta terça-feira (14/01) uma reunião com entidades e lideranças empresariais e políticas com o senador gaúcho Luiz Carlos Heinze sobre o Aeroporto Regional da Serra Gaúcha. O senador explicou a todos as etapas do andamento dos trabalhos como pagamento de desapropriações, investimentos, melhorias nas estradas de acesso entre outros pontos.

Heinze se mostrou preocupado com o andamento dos trabalhos na Prefeitura, em virtude da mudança de administração. O Vice-prefeito Edio Elói Frizzo foi categórico. “É prioridade absoluta do nosso governo. Em 2007 palmilhei toda a área do novo aeroporto para a elaboração no novo Plano Diretor Municipal. Outro ponto importante dessa obra, é que somos o maior PIB agrícola do Estado e nossos produtores terão acesso a São Paulo em uma hora e meia. Não vamos medir esforços para agilizar a elaboração dos projetos necessários e seremos sempre parceiros em soluções rápidas. Estamos preparados para este desafio”, afirmou.

O Prefeito Flavio Cassina indicou como responsáveis pelo assunto na administração, o Vice-prefeito Frizzo e o secretário municipal interino do Planejamento, Paulo Dahmer. “Eles serão o contato com a equipe do senador para o que precisar. Nunca nenhum assunto reuniu tantas forças como este e estamos juntos neste conjunto de esforços.Vamos trabalhar e muito. O aeroporto depende de nós”, apontou.

Link para notícia no site Tua Rádio

Especialista projeta bom desempenho da economia de Caxias do Sul para 2020

Indústria e comércio devem puxar o crescimento

A economia de Caxias do Sul fechou o ano de 2019 em ascensão. Segundo os últimos dados divulgados pela Câmara de Indústria, Comércio e Serviços (CIC), o acumulado do ano até o mês de outubro foi de 6,2%. Os especialistas afirmam que em 2020 o crescimento deve continuar.

Conforme a economista, Maria Carolina Gullo, que também integra o Conselho Temático de Economia e Finanças da CIC, o comércio deve ter destaque em 2020 no município, principalmente nesses primeiros meses. “O comércio se destacou em 2019 e dever ter um bom início em 2020 por conta das medidas que foram adotadas, principalmente com a liberação do FGTS e agora com a possibilidade de ter o saque programado anualmente. Então, o comércio deve ser beneficiado nos próximos meses a partir desse fôlego que ele recebeu para que as pessoas pudessem voltar a comprar”, disse.

Quanto a indústria, Maria Carolina destaca que o setor teve um bom desempenho em 2019 e que a tendência deve se manter neste ano, mas salienta a necessidade de reformas no governo para que isso aconteça. “Ela [indústria] precisa de uma reforma tributária que pudesse auxiliar no processo de desburocratização do recolhimento de impostos e uma matriz de impostos que seja mais justa e competitiva. A gente vai aguardar muito essa reforma tributária, que deve ser mais pelo meio do ano. Por enquanto o governo só fala em uma reforma administrativa. Acredito que a indústria vai precisar de outros movimentos para que ela tenha um melhor desempenho em 2020, embora a gente não possa dizer que em 2019 o desempenho da indústria caxiense não foi bom. Foi muito bom”, salientou.

Já os serviços devem acompanhar a indústria e o comércio, porém a retomada está prevista somente a partir de março, por conta do período de férias: “Se a indústria e comércio se beneficiarem, o setor de serviços vem na esteira do bom desempenho. Ele [setor] normalmente não apresenta muito resultado nos primeiros meses do ano. Principalmente em Caxias vai começar a apresentar resultados melhores a partir de março”.   

A retomada na economia também deve ser sentida no País. Segundo a última estimativa do Banco Central, a previsão é de que o Brasil tenha um avanço de 2,2% do Produto Interno Bruto (PIB), que é a soma de todos os bens e serviços feitos no país.

Ouça a matéria no link acima da foto.

Link para notícia no site Tua Rádio

Diálogo entre o poder público e privado é a chave para o crescimento econômico caxiense, aponta diretora da CIC

Maria Carolina Gullo fez um panorama sobre as prospecções para a economia neste ano

A aprovação da reforma da previdência, as ações do governo federal que sinalizam menores gastos para 2020 e o otimismo dos empresários para um crescimento econômico em relação a 2019 são itens apontados como promissores para um desempenho positivo da economia neste ano. É o que prospecta a diretora de Economia, Finanças e Estatística da Câmara de Indústria, Comércio e Serviços (CIC) de Caxias do Sul, Maria Carolina Gullo.

Os tópicos podem trazer investimentos para cidade, pois o empresariado local se sentiria estimulado com as mudanças e estaria disposto a aplicar recursos na produção de bens de capital, como em máquinas, caminhões e ônibus.

Outra pauta que influencia é a política. O município passou por um processo de impeachment em 2019, resultando na cassação do mandato de Daniel Guerra. Os impactos foram às mudanças de diretrizes governamentais, que podem ficar segmentadas a partir do dia 09 de janeiro. Gullo analisa que a falta de diálogo da antiga administração prejudicou o andamento da economia municipal. E visualiza que, caso o vereador e candidato ao Executivo, Flávio Cassina (PTB), se eleja, a comunicação possa ser retomada entre o ente público e o privado. Os dois em sintonia auxiliam na geração de empregos, na abertura de novas empresas e aumentam a matriz econômica da cidade em longo prazo. (Ouça a fala aqui)

Ela exemplifica que a Universidade de Caxias do Sul (UCS) foi fruto de um diálogo entre o poder público e o privado. Isso mostraria que o entendimento dos setores impacta nas movimentações econômicas e no futuro da cidade. (Ouça a fala aqui)

As movimentações internacionais também refletem no cotidiano de Caxias do Sul. O recente ataque dos Estados Unidos da América (EUA), no Iraque, que culminou na morte do militar de alta patente do Irã, Qassem Soleimani, influenciou no preço do petróleo mundial, que subiu 4%. A economista afirma que as tensões entre os dois países devem impactar na alta do combustível brasileiro, o que retrataria mais gastos para a comunidade e as empresas caxienses. Além disso, ela vê que aumentaria a inflação e os investimentos nos negócios locais travariam. (Ouça a fala aqui)

 

Link para notícia no site Tua Rádio

Confira os valores do Seguro DPVAT no RS para 2020

Serão praticados os mesmos valores da tabela do ano passado

Em relação à cobrança do Seguro DPVAT para o exercício de 2020, o DetranRS informa que, de acordo com orientação do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) enviada aos Detrans, serão praticados, no Rio Grande do Sul, os mesmos valores da tabela do ano passado.

O DetranRS lembra que para quitar o valor do Seguro, basta dirigir-se à rede bancária conveniada (Banrisul, Banco do Brasil – para correntistas, Sicredi, Bradesco, Santander e Caixa – nas lotéricas). A previsão é de que segunda-feira (06) o DPVAT já esteja disponível para pagamento.

Confira na galeria de imagens, o valor do Seguro Dpvat 2020, de acordo com a categoria do veículo.

O licenciamento do veículo é composto pelo Dpvat, IPVA, eventuais multas vencidas e taxa de licenciamento. Somente após a quitação desses valores o veículo estará licenciado para o exercício 2020 e será emitido o documento de licenciamento (CRLV). 

Após o pagamento da taxa e demais encargos legais que compõem o licenciamento anual, o que inclui as eventuais multas vencidas, o certificado de licenciamento anual (CRLV) é enviado. O DetranRS lembra que já está disponível, desde novembro, o CRLV Digital, que pode ser gerado por meio do aplicativo Carteira Nacional de Trânsito.

Link para notícia no site Tua Rádio

Onda de calor prejudica colheita do pêssego e da uva em Caxias do Sul

Afirmação é do presidente do Sindicato dos Trabalhadores e Agricultores Rurais

O Rio Grande do Sul registrou a primeira onda de calor neste verão. O fenômeno, que iniciou no Natal e promete ficar até a virada do ano, gerou a temperatura de 41 °C em São Gabriel, a maior do Estado. Na Serra Gaúcha, Caxias do Sul apresentou perto dos 36 °C no fim de semana, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). As fortes temperaturas, aliada com a falta de chuva, impacta na produção agrícola da região.

Em entrevista à Tua Rádio São Francisco, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores e Agricultores Rurais, Rudimar Menegotto, afirma que este início de onda de calor atinge os agricultores caxienses que vivem da fruticultura e do plantio de hortaliças. A colheita do pêssego é a maior prejudicada no momento.

A cidade, assim como alguns municípios da Serra, se destaca pela produção da uva. Essa época do ano é marcada pela colheita da fruta, que está um pouco atrasada em virtude das temperaturas registradas no inverno, quando se inicia o plantio. Conforme o presidente da entidade, localidades de Caxias do Sul já apresentam parreirais podres, o que pode impactar na safra de 2020. Porém, ele avisa que, caso venha à chuva nos próximos dias, pode se recuperar o que foi perdido.

Fora do município, Menegotto relata que Bento Gonçalves e Antônio Prado são lugares mais prejudicados que Caxias do Sul. O forte calor impacta na colheita do milho e da uva. Ele coloca que a situação é superior devido à falta de chuvas intensas nos últimos dias antes da chegada do fenômeno.

De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), Caxias do Sul vai registrar temperaturas altas nos próximos quatro dias. A expectativa é que nesta terça-feira (31/12) ocorram pancadas de chuva isoladas no município pela parte da tarde e à noite, com possibilidade de queda de granizo.

(Confira a notícia no “Ouvir Notícia” abaixo da manchete).

Link para notícia no site Tua Rádio

Empresário Renato Corso assume presidência da CDL Caxias, na próxima quarta-feira

Corso assume o comando da entidade no lugar de Ivonei Pioner

A partir do dia 1º de janeiro de 2020, a Câmara de Dirigentes Lojistas de Caxias do Sul (CDL) conta com novo presidente. O empresário Renato Spuldaro Corso, sócio-administrador da Porcelana & Cia, foi eleito no mês de outubro para a gestão de 2020 até 2022. Juntamente com toda a nova Diretoria Executiva da entidade, Corso tomou posse no dia 13 de dezembro.

O empresário está presente no varejo há 45 anos, e, há cerca de duas décadas participa como membro voluntário da CDL Caxias. Antes de ser eleito presidente da entidade, Corso atuava como vice-presidente financeiro. Ele assume o comando da CDL no lugar de Ivonei Pioner, que estava na presidência desde 2017.

O principal objetivo do novo presidente é dar continuidade nos trabalhos das outras gestões, focando no auxílio aos associados e promovendo ainda mais integração entre entidade, poder público e sociedade. “A CDL sempre se preocupou com o seu associado. Entregaremos no ano que vem dez cursos gratuitos da CIPA; dez escolas de negócio, que é uma parceria com a UCS; cursos de formação de gestão; seis palestras trazendo gente de ponta, e também sete pesquisas, porque precisa de informação para o lojista”.

Atualmente, com mais de 4 mil associados, a CDL Caxias do Sul é considerada a maior entidade do movimento lojista do Rio Grande do Sul e a quinta maior CDL do Brasil. São esperadas mudanças na sede da entidade, visando atender melhor os comerciantes e consumidores caxienses.

A nova Diretoria Executiva da CDL é formada também por Carlos Eduardo Colombo, Carmen Klein Dalcin, Rui Alberto Cassina, Micael Canuto, Vitor De Carvalho e Lucas Feldens Magnani

Renato Corso contou suas histórias de vida no programa Conectado Perfil da Tua Rádio São Francisco, no dia 30 de novembro de 2019. Confira AQUI.

Link para notícia no site Tua Rádio

Arroio do Sal prepara três shows e queima de fogos de 20 minutos para a virada do ano

Ações serão efetuadas na Praça do Mar, localizada no centro da cidade

Arroio do Sal é um dos principais destinos turísticos dos caxienses no verão. A cidade de aproximadamente 10 mil habitantes vê sua população chegar a 100 mil pessoas, a maioria oriunda da Serra Gaúcha (80%). Para receber os turistas na virada do ano, a Secretaria de Turismo, Esporte, Juventude e Cultura prepara uma programação com shows gratuitos.

Em entrevista à Tua Rádio São Francisco, a titular da pasta, Aline Valim, destaca que estão programadas três apresentações das 22h30min até às 03h30min, na Praça do Mar, localizada no centro do município. Os shows serão realizados pelas bandas Black Vinil, Overdriver Duo e We Love Pandas DJ’s. Ela ainda ressalta que as queimas de fogos de artifício serão de aproximadamente 20 minutos e com uma novidade para este ano.

“Nós temos a nossa queima de fogos de artifício na parte central da cidade. Para este ano será diferente, porque os fogos estão de acordo com a legislação estadual, que permite uma certa quantidade de barulho. Então, nos adequamos e vamos ter um show de fogos muito mais visual do que sonoro.”, completa.

A secretária reforça que a virada não será a única atração, pois há um planejamento de ações para todo o mês de janeiro. Os destaques são os shows do grupo Os Federais, no dia 11/01, do Chimarruts, no dia 25/01 e o início das comemorações do Carnaval, no dia 18/01.

As atividades a beira-mar também são o foco para esse verão. Aline fala que será oferecida caminhada assistida, ginástica, zumba, escolinha de surf, jiu-jitsu, biblioteca na praia, treinamento funcional, jump, kangoo e futmesa. As ações são realizadas no Quiosque do Turista.

Para janeiro, a programação completa de shows e ações em Arroio do Sal pode ser conferida no site tuaradio.com.br. 

(Confira a notícia completa no “Ouvir Notícia” abaixo da manchete).

Veja o calendário de ações para janeiro:

Shows

31/12: Black Vinil, Overdrive Duo e We Love Pandas DJ’s na Praça do Mar

04/01: Quinteto S.A e We Love Pandas DJ’s no Centro de Arroio do Sal

05/01: Jesus no Litoral no Centro de Arroio do Sal

11/01: Os Federais e We Love Pandas DJ’s em Areias Brancas

11/01: Black Vinil em Atlântico

18/01: Mostra Samba Enredo e We Love Pandas DJ’s no Centro de Arroio do Sal

18/01: Zé Felipe e Rafael em Arroio Seco

25/01: Chimarruts e We Love Pandas DJ’s no Centrod e Arroio do Sal

25/01: Novo Balanço na Praia Azul

Atividades diárias à beira-mar

Caminhada Assistida: segundas, quartas e sextas-feiras às 9h

Ginástica: terças, quintas-feiras ás 9h

Zumba: sábados e domingos às 9h e 18h

Escolinha de Surf: segundas e quartas-feiras às 14h

Jiu-Jítsu: segundas, quartas e sextas-feiras às 12h

Biblioteca na Praia: terças e quintas-feiras às 14h

Treinamento Funcional: terças, quintas e sábados ás 10h e 18h

Jump: segundas, quartas e sextas-feiras às 18h

Kangoo: terças, sextas-feiras às 20h

Yoga: segundas e quintas-feiras às 19h

Futmesa: disponível o dia todo diariamente

Link para notícia no site Tua Rádio

Feira orgânica de Marau faz ação especial de natal

os clientes poderão desfrutar de um coquetel natalino com degustação de panetones orgânicos

A Feira orgânica de Marau terá nesta segunda-feira, 23/12, das 16h às 19h, uma ação especial de natal. No estacionamento do ginásio do colégio Gabriel Taborin e da faculdade FABE, além da comercialização dos produtos sem agrotóxicos, os clientes poderão desfrutar de um coquetel natalino com degustação de panetones orgânicos entre outros itens de forma gratuita. A feira ocorre sempre às quartas-feiras, mas em virtude desta semana no dia tradicional das vendas ser comemorado o natal, os organizadores anteciparam para segunda-feira as atividades.  

Em entrevista para a Tua Rádio Alvorada, Susi Freddi, integrante do movimento Sou Orgânico, responsável pela organização, afirmou que a feira orgânica ganhará mais um dia de atendimento em Marau. Com parceria firmada entre o grupo e o Sindicato da Alimentação – STIA, no sábado 18/01, às 7h30, em frente à sede do sindicato haverá a venda de produtos orgânicos.

Link para notícia no site Tua Rádio

Fluxo na Rodoviária de Caxias do Sul cresce 110% com a chegada do fim do ano

Litoral gaúcho é o destino mais procurado pelos caxienses

As rodoviárias de todo o Brasil recebem um aumento de viajantes com a vinda do final do ano, muito causado pelo Natal e o Ano Novo. Nesta época, a rodoviária de Caxias do Sul vê o número de passageiros crescerem 110%, pois ao longo dos meses, em média, são recebidos cinco mil pessoas. Nas últimas semanas, o local começou a acolher 15 mil caxienses.

Com a vinda do calor, o principal destino é o Litoral gaúcho. Praias como Arroio do Sal, Curumim (Capão da Canoa) e Paraíso (Torres) são os lugares preferidos. Essa procura reflete na adição de ônibus aos passageiros. A rodoviária caxiense calcula que são disponibilizados 15 carros extras para os locais mais procurados.

Em entrevista à Tua Rádio São Francisco, a gerente de vendas do espaço, Valéria Gazzola, pontua que o interior e a Região da Fronteira do Rio Grande do Sul recebem bastante demanda. Cidades como Ijuí, Erechim, Teotônia e Santana do Livramento estão com os ônibus esgotados.

“O interior e a nossa região fronteiriça também são procurados. Estamos com carros esgotados para Ijuí, Erechim, Teotônia e Santana do Livramento. Todos são monitorados pelas empresas transportadoras, que conseguem disponibilizar mais algum carro que não esteja contemplado na malha e conforme a disponibilidade das rodoviárias.”. ressalta.

Um problema com a chegada do final do ano são as grandes demandas por passagens, que reflete no esgotamento dos bilhetes de viagem. A rodoviária de Caxias disponibiliza com um mês de antecedência o acesso para os passageiros a fim de evitar uma aglomeração de pessoas no local. Gazzola reforça que a comunidade pode comprar sua passagem pelo site www.rodoviariacaxias.com.br ou pelos totens de autoatendimentos disponíveis no espaço físico para quem utiliza cartão de crédito ou débito.

“O nosso site não é para ser buscado no Google, porque entra outros endereços eletrônicos que não são os atualizados da estação rodoviária. O site é uma oportunidade de o cliente comprar do conforto da sua residência ou direto do seu trabalho. Para este ano, também contratamos mais dois totens de autoatendimento, com um design mais moderno e com uma linguagem mais moderna. Eles servem para aliviar as filas dos guichês.”, avalia.

Para esta alta temporada, a rodoviária de Caxias do Sul esclarece que não houve reajuste da passagem para dezembro, algo que ocorreu no mesmo mês em 2018. O que acontece é que como há a disponibilidade de ônibus diretos para os destinos, isso pode acrescer no valor da passagem, pois existe uma economia de tempo na viagem.

Link para notícia no site Tua Rádio