Secretário de Turismo explica projeto de feiras virtuais promocional dos melhores roteiros turísticos do Estado

No dia 20 de setembro, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas RS (Sebrae RS), em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo do RS (Sedetur) e com o Comitê da Retomada do Turismo RS, lançaram uma plataforma que pretende inovar o cenário turístico gaúcho. A iniciativa Viva o RS (www.vivaors.com.br) tem como proposta ser uma feira virtual promocional dos melhores roteiros turísticos do Estado.

Disponível para o público por 40 dias e com diversas parcerias, as atrações serão organizadas por regiões e por estilos de viagem, dando maior autonomia e liberdade ao usuário, e ajudando o comércio turístico local, pois gera tráfego para agências e receptivos venderem os pacotes. Além disso, a plataforma conta com uma avançada assistente digital de viagens, que oferece dicas e sugestões personalizadas de acordo com o perfil e experiência de cada visitante.

​O secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Rodrigo Lorenzoni, falou sobre o programa em entrevista à Tua Rádio Cacique.

Regiões contempladas:

 Porto Alegre: A capital dos gaúchos é um destino de negócios e eventos, com uma atraente e dinâmica vida cultural e muitas opções de lazer.

 Hortênsias: Destino mais visitado do Rio Grande do Sul e um dos melhores destinos brasileiros, de acordo com a imprensa especializada. Destaque especial para os eventos Natal Luz e Sonho de Natal, em Gramado e Canela.

 Uva e Vinho: A arquitetura, a história e a gastronomia típica da imigração italiana constroem o ambiente da Serra Gaúcha. As encostas desenhadas pelos vinhedos e as charmosas instalações das vinícolas abrem suas portas e recebem, como ninguém, para a experiência mais tradicional e atraente do mundo: a degustação dos vinhos e espumantes, a harmonização, a gastronomia.

 Campos de Cima da Serra: Programas de ecoturismo e aventura que garantem experiências e emoções na impactante paisagem dos cânions nos parques nacionais Aparados da Serra e Serra Geral.

 Rota das Missões: Destaque para o Patrimônio Cultural da Humanidade, o Sítio Arqueológico São Miguel Arcanjo e as ruínas das igrejas transmitem a energia e a emoção de uma volta ao passado, aos séculos XVII e XVIII, e constituem o mais representativo conjunto arquitetônico dos antigos 7 Povos das Missões em território brasileiro.

 Costa Doce: A beleza arquitetônica da imigração ibérica em uma região tocada pela imensidão das águas lagunares e pela costa oceânica, destino de sol e praia consagrado por gaúchos, uruguaios e argentinos.

 Vale do Paranhana: A emoção da aventura no ar, nas montanhas e nas corredeiras do Paranhana, o bem-estar, o autoconhecimento e a transcendência da meditação budista. Tudo em meio a natureza da Mata Atlântica.

 Vale Germânico: Símbolo maior e berço da imigração alemã, quase dois séculos depois, São Leopoldo é o ponto de partida da Rota Romântica, um percurso rodoviário inspirado na experiência da Baviera, sul da Alemanha, que oferece belas paisagens, cultura e hospitalidade.

 Vale do Taquari: O slogan “Vale do Acolhimento – venha explorar nossos caminhos” apresenta o que a região tem de melhor: várias opções de roteiros culturais e rurais, como o Caminho dos Moinhos, Caminhos da Forqueta, Vale Encantado, Rota da Erva-Mate, Rota Germânica, entre outros.

 Pampa Gaúcho e Fronteira: A fronteira e nos vastos campos do Pampa Gaúcho já foram palcos da história do Rio Grande do Sul. Guerras entre índios, espanhóis e portugueses, batalhas para defender as fronteiras, lutas pelos ideais libertários dos gaúchos; capítulos que ajudaram na formação da tradição e identidade do Estado, das quais resultou o atual mapa do Rio Grande do Sul.

 Turismo responsável

De acordo com as orientações de distanciamento controlado do Rio Grande do Sul, a plataforma Viva o RS está consciente de sua responsabilidade e seguindo a risca as indicações do governo estadual. As principais dicas são:

• Sejam conscientes: só viajem com a saúde 100% em dia;

• Cuidem-se: ao se deslocar, é fundamental que sejam mantidas as precauções de higiene e prevenção;

• Escolha destinos favoráveis: a baixa concentração de habitantes por km² é um bom aliado do distanciamento social;

• Planeje com antecedência: os estabelecimentos estão preparados e as regras estabelecidas pelos órgãos oficiais devem ser cumpridas para a segurança de todos.

Link para notícia no site Tua Rádio

Retomada da economia no terceiro trimestre anima empresários gaúchos

Presidente do LIDE RS, Eduardo Fernandez, destaca expectativas positivas mesmo com retorno gradual das atividades.

A interrupção das atividades econômicas por causa da pandemia causou preocupação no setor empresarial. Entretanto, durante a pandemia, a indústria começoua a apresentar bom desempenho no terceiro trimestre. Esse indicador positivo animou os empresários gaúchos.

O presidente do Grupo de Líderes Empresariais do RS (LIDE RS), Eduardo Fernandez, reforça que algumas atitudes do Governo Federal, que facilitou a concessão de crédito, auxiliou durante estes meses. Somado a isso, a demanda reprimida no início do ano foi atendida a partir do começo do segundo semestre.

Entretanto, Fernandez manifesta preocupação com alguns setores que enfrentam dificuldades no momento, como o entretenimento e alimentação.

Ele concedeu entrevista ao No Ponto da Tua Rádio São Francisco, nesta sexta-feira (25). 

(Ouça a entrevista na íntegra abaixo do título)

Link para notícia no site Tua Rádio

Encaminhado o Termo de Referência para licitação do Aeroporto de Vila Oliva ao governo federal

Prefeitura de Caxias do Sul entregou o documento de oito mil páginas à Secretaria Nacional de Aviação Civil nesta quinta-feira (24/09)

O Termo de Referência para licitação do Aeroporto Regional da Serra Gaúcha foi entregue nesta quinta-feira (24/09) à Secretaria Nacional de Aviação Civil (SAC). O documento de oito mil páginas foi encaminhado pela Secretaria Municipal de Planejamento (Seplan), por meio de um ofício assinado pelo titular da pasta, Adivandro Rech, e o prefeito de Caxias do Sul, Flávio Cassina.

A papelada aguarda aprovação da SAC, para que continue o processo licitatório de contratação do projeto executivo da obra.  Em paralelo, o Município espera receber a licença-prévia ambiental da Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam).

Outra etapa do processo em andamento é o pagamento das desapropriações dos terrenos. A área possui 445 hectares e está localizada no distrito de Vila Oliva. O Executivo municipal pretende usar R$ 20 milhões dos R$ 30 milhões, obtidos pelo financiamento com a Caixa, para indenizar os proprietários. O restante será para obras viárias e de infraestrutura, principalmente, no entorno de onde estará localizado o empreendimento.

O orçamento estimado para a construção do empreendimento é de R$ 200 milhões e o recurso será proveniente do Fundo Nacional da Aviação Civil. O aeródromo terá capacidade de operação para Boeing 737, terminal de passageiros de 4,7 mil m² e 500 vagas de estacionamento, pátio com 26 mil m², pista com 1,9 quilômetros de comprimento e 45 de largura, podendo receber oito aeronaves simultaneamente.

Link para notícia no site Tua Rádio

Brasil apresenta aumento nas exportações de carne bovina

Este conteúdo esta disponível, também, no áudio da matéria

Segundo informações divulgadas pela Secex – Secretaria de Comércio Exterior, o Brasil exportou cerca de 94 mil toneladas de carne bovina até  a terceira semana do mês de setembro deste ano, uma média diária de embarques de  7.259,2 mil toneladas. Os números representam uma alta de 10,24% em comparação ao mesmo período do ano passado (6.585,1). Para falar sobre este período de alta e o que ele representa a Tua Rádio Alvorada conversou com Diego Magnabosco, representante comercial da Frigosul.

Segundo ele, a exportação de proteína brasileira, de modo geral,  vem crescendo ano a ano. Nos últimos dois anos, explica Diego, esse crescimento está relacionado, também, a participação da China como principal parceiro comercial do Brasil para a exportação de carne bovina. Essa parceria ajudou a impulsionar a demanda no exterior com um aumento de 160% em valor e 156% em volume, em uma comparação feita entre os anos de 2019 e 2020.

Diego fala ainda sobre o abastecimento interno. Segundo ele, a exportação não é de grande interferência neste setor e é vista como uma forma de incentivo a produção. Hoje, explica ele, 70% da produção nacional é de consumo brasileiro, o país exporta cerca de 30% do que é produzido. Ele ainda aponta que não há um problema de abastecimento no Brasil, a menos que seja pontual e rapidamente revertido.

A entrevista completa com Diego Magnabosco está disponível no áudio da matéria e no facebook da Tua Rádio Alvorada.

Link para notícia no site Tua Rádio

Inova RS promove encontro com lideranças da região

Programa visa a parceria entre academia, governo, sociedade civil e empresas para a promoção da inovação no estado

Como incluir o Rio Grande do Sul no mapa global da inovação? É a isso que se propõe o programa do governo do estado Inova RS, o qual visa à criação de parcerias estratégicas com as áreas empresariais, acadêmicas e governamentais para a promoção da inovação. Com esse objetivo, está marcado para o dia 28 de setembro, a partir das 14h, a primeira reunião do Inova RS com lideranças da região Produção e Norte.

A região Produção e Norte conta com mais de 130 municípios integrantes no projeto, contudo oito cidades estão mais intimamente ligadas ao programa de implantação do Inova RS que são Carazinho, Erechim, Frederico Westphalen, Marau, Não-Me-Toque, Passo Fundo, Soledade e Tapejara. O encontro on-line deve reunir prefeitos, diretores, dirigentes e representantes de associações que possam contribuir para defender e priorizar projetos inovadores.

Inova RS

>Inova RS é dividido em oito regiões representativas do Estado: Metropolitana e Litoral Norte; Sul; Fronteira Oeste e Campanha; Central; Noroeste e Missões; Produção e Norte; Serra e Hortênsias; Região dos Vales. Atualmente o RS é o quinto estado brasileiro mais inovador e o 4º colocado em competitividade global em setores tecnológicos, conforme o Índice FIEC de Inovação dos Estados – 2018. O programa estimula o investimento em inovação tecnológica para potencializar o crescimento do estado, tornando o RS um lugar capaz de gerar, reter e atrair empreendedores, negócios e investimentos intensivos em conhecimento.

Link para notícia no site Tua Rádio

HUB da CDL vê retomada de eventos corporativos com expectativa positiva

Porém, grupo entende que é possível a realização de outros tipos de cerimônias.

Nesta semana o Governo do Estado vai publicar um decreto autorizando o retorno, com restrições, de eventos corporativos. Entre os critérios, está a realização somente em cidades que estejam sob a bandeira amarela ou laranja no plano de distanciamento controlado.

Entre as ações autorizadas estão feiras, seminários, congressos e convenções. O gestor do HUB de eventos da CDL de Caxias do Sul, Sidnei Staudt, compreende que também é possível retornar outros tipos de cerimônias. Porém, a autorização do Governo do Estado gera uma expectativa do setor em Caxias. Em entrevista ao Encontro Certo, desta segunda-feira (21), ele analisou os próximos passos da retomada.

(Ouça a entrevista na íntegra abaixo do título)

Link para notícia no site Tua Rádio

Governo do Estado desiste da Reforma Tributária atual

Consciente de que a derrota era iminente na Assembleia Legislativa, o governo do Estado desistiu da Reforma Tributária. Pelo menos como foi apresentada, incluindo as alterações divulgadas na segunda-feira passada. O fim de semana será marcado por novas negociações, que incluem a manutenção da isenção dos produtos da cesta básica e da alíquota de 3% do IPVA. Neste item, continuaria valendo a cobrança do imposto para carros com 30 anos, não mais 20 anos, como ocorre hoje.

A possibilidade de taxação de veículos híbridos e elétricos, hoje isentos, está em análise. Um dos pontos dos novos planos do governo, que deve gerar mais polêmica, é a manutenção, por tempo a ser estabelecido pelos deputados, das alíquotas de 30% no ICMS de combustíveis, energia e telecomunicações. Os índices voltam ao patamar de 25% em dezembro.

Do projeto original entre os itens mantidos está  extinção da Difa, o chamado Imposto de Fronteira. A redução na alíquota básica também irá ocorrer de forma escalonada. No caso do ITCD, um novo projeto, estabelecendo parcelamentos, está em estudo.

“Reconhecemos que tentamos e não fomos compreendidos ou as propostas foram mesmo rejeitadas. Vamos buscar adequações, em um período de transição, já que entre os consensos, estão os fatos de que o povo gaúcho não aguenta mais falar em impostos e privilégios do setor público e que precisamos manter os serviços essenciais, buscando o equilíbrio fiscal”, disse o líder do governo, Frederico Antunes (PP), à coluna. Outros pontos que serão levados à mesa são as PECs dos duodécimos e do teto de gastos e a Reforma da Previdência dos Militares.

Pressão conjunta por reforma nacional

O governo gaúcho irá intensificar as articulações e a pressão pela aprovação de uma Reforma Tributária ampla a eficaz no Congresso Nacional, por meio do movimento conjunto com outros estados e com a bancada federal.

Informações: CP

Link para notícia no site Tua Rádio

Lars Grael participa da Semana Global de Saúde, Segurança e Meio Ambiente da BRF

Evento ocorre de forma digital, de 21 a 25/09

A BRF realizará a Semana Global de Saúde, Segurança e Meio Ambiente (SSMA) em grande parte de suas unidades no mundo, de 21 a 25/09. A ação que entra em sua décima edição tem como lema: “O cuidado é a base para um ambiente seguro. Cuidar de todos é nosso Compromisso”. As atividades envolverão os cerca de 90 mil colaboradores e mais os terceirizados, com eventos virtuais e, no caso dos presenciais, sem aglomerações em razão das medidas protetivas adotadas pela empresa no combate à Covid-19.

Na abertura oficial da Semana Global da SSMA, segunda-feira (21), será exibido um vídeo gravado pelo CEO da BRF, Lorival Luz.

Dia 25, para fechar com destaque a Semana Global, ocorrerá uma webinar com o velejador e consultor na área de esportes, Lars Grael, com o tema “Ajuste as velas e desafie seus limites”. Grael participou de quatro Olimpíadas entre 1984, em Los Angeles, e 1996, em Atlanta, nos Estados Unidos. Em 1998, sofreu um grave acidente quando disputava uma regata no Espírito Santo. Lars Grael vai compartilhar histórias de superação e de como praticar o cuidado e a percepção de risco são fundamentais para um ambiente seguro.

A programação prevê, ainda, ações em ergonomia, com foco em comportamento e treinamento; saúde, priorizando atitudes preventivas sobre a Covid-19 e medidas voltadas ao Setembro Amarelo; temas sobre segurança e os Riscos de Alto Potencial (RAPs) e Equipamentos de Proteção Individual (EPIs);  exposições sobre percepção de risco em meio ambiente, água e energia e, ainda, apresentações sobre os cuidados no trânsito, Regras de Ouro – normas da Companhia que devem ser seguidas por todos os colaboradores para garantir um ambiente profissional seguro.

 

Link para notícia no site Tua Rádio

Inova RS promove encontro com lideranças para discutir a inovação

Programa visa a parceria entre academia, governo, sociedade civil e empresas para a promoção da inovação no estado

Como incluir o Rio Grande do Sul no mapa global da inovação? É a isso que se propõe o programa do governo do estado Inova RS, o qual visa à criação de parcerias estratégicas com as áreas empresariais, acadêmicas e governamentais para a promoção da inovação. Com esse objetivo, está marcado para o dia 28 de setembro, a partir das 14h, a primeira reunião do Inova RS com lideranças da região Produção e Norte.

A região Produção e Norte conta com mais de 130 municípios integrantes no projeto, contudo oito cidades estão mais intimamente ligadas ao programa de implantação do Inova RS que são Carazinho, Erechim, Frederico Westphalen, Marau, Não-Me-Toque, Passo Fundo, Soledade e Tapejara. O encontro on-line deve reunir prefeitos, diretores, dirigentes e representantes de associações que possam contribuir para defender e priorizar projetos inovadores.

Inova RS

>Inova RS é dividido em oito regiões representativas do Estado: Metropolitana e Litoral Norte; Sul; Fronteira Oeste e Campanha; Central; Noroeste e Missões; Produção e Norte; Serra e Hortênsias; Região dos Vales. Atualmente o RS é o quinto estado brasileiro mais inovador e o 4º colocado em competitividade global em setores tecnológicos, conforme o Índice FIEC de Inovação dos Estados – 2018. O programa estimula o investimento em inovação tecnológica para potencializar o crescimento do estado, tornando o RS um lugar capaz de gerar, reter e atrair empreendedores, negócios e investimentos intensivos em conhecimento.

Link para notícia no site Tua Rádio

Professor comenta alterações propostas na Reforma Tributária RS

Depois de quase dois meses de diálogo com sociedade, deputados estaduais, lideranças empresariais e entidades setoriais, incluindo uma série de 12 encontros regionais no interior do Estado, o governador Eduardo Leite anunciou, em reunião com os deputados da base aliada nesta segunda-feira (14/9), ajustes iniciais nos projetos que formam a Reforma Tributária RS.

Na manhã desta quinta-feira (17), o professor do curso de Direito da Universidade de Passo Fundo, Júlio Cezar Giacomini falou sobre as mudanças que são propostas e de que maneira o cidadão deve ser impactado. De acordo com ele, produtos básicos, que são utilizados todos os dias pelos gaúchos devem ter alteração nos preços. Ouça.

Como a aprovação precisa ocorrer até o fim de setembro, para que haja tempo de cumprir a exigência de noventena e os efeitos da reforma possam valer a partir do dia 1° de janeiro de 2021, quando acaba o prazo da majoração de alíquotas sobre álcool, gasolina, energia e telecomunicações e da alíquota básica, os projetos foram protocolados em regime de urgência. A previsão é de que comecem a ser apreciados nesta semana, quando trancam a pauta.

Reforma Tributária RS

ICMS

1. Retirar contribuição de 10% dos insumos agrícolas para o Fundo Devolve-ICMS.

2. Simples Gaúcho: mantém isenção até R$ 360 mil de forma permanente e não somente em 2021, o que beneficia 74% das empresas gaúchas.

3. Alíquota intermediária de 12%

 

A proposta inicial previa reduzir de cinco (12%, 18%, 20%, 25% e 30%) para duas (17% e 25%). Agora, a ideia é ter uma terceira alíquota, de 12%, que incidirá sobre os seguintes produtos de forma escalonada:

 

• Produtos alimentícios atualmente isentos (hortifrutigranjeiros; leite pasteurizado; ovos; pão francês; maçãs e peras). Transição zero (2020), 7% (2021) e 12% (2022 em diante);

• Cesta básica de alimentos, que atualmente tem redução de base de cálculo (RBC) com alíquota efetiva de 7%. Transição 7% (2020), 12% (2021 em diante);

• Diesel e GNV (mantém alíquota nominal de 12% em vez de ir a 17% com RBC para 12%).

 

4. Alíquota para blue chips

Pela proposta inicial, as chamadas blue chips – energia elétrica residencial e comercial, telecomunicações e combustíveis –, que estavam majoradas em 30% desde 2015, voltariam ao patamar de 25% em 1º de janeiro de 2021.

Devido às alterações feitas na Reforma, o governo está propondo reduzir o ICMS nesses itens, para 27%, de forma temporária, até 2025 – quando vence o Ampara (fundo de combate à pobreza), que já incide 2% sobre os demais itens.

 

IPVA

1. Alíquotas progressivas por potência

Com o objetivo de tributar mais patrimônio e propriedade e menos produção e consumo, pois pesam mais no bolso da população de menor renda, a proposta era aumentar de 3% para 3,5% a alíquota de IPVA para automóveis e camionetas.

Agora, o governo propõe alíquotas progressivas de 3% a 4% conforme a potência do veículo. Os carros de menor potência – que representam 35% da frota – seguem com as alíquotas atuais, e os de maior valor – 25% da frota – sobem para 4%.

 

• Até 80 HP = 3%

• De 80 HP a 100 HP = 3,5%

• De 101 HP a 120 HP = 3,75%

• Acima de 120 HP = 4%

 

2. Mudança na isenção de veículos

Na proposta original, o governo previa isenção do IPVA para veículos fabricados há mais de 40 anos (e não 20 anos, como na atual legislação, que beneficia 46% dos veículos). Atendendo a demandas, a isenção passaria a ser para veículos com mais de 30 anos.

 

3. Retirada da isenção para híbridos e elétricos

Para equilibrar a as mudanças feitas na Reforma, o governo retirou a proposta que previa estender para os veículos híbridos, até 2023, a isenção já existente para os veículos elétricos.

 

4. Revogação da alíquota específica das locadoras

A revogação vai para o regime geral de tributação, então, pagará alíquota de acordo com o tipo de veículo

 

ITCD

 

1. Programa de incentivo à regularização

O ITCD é o imposto sobre a transmissão gratuita de bens móveis ou imóveis e também de direitos, incluindo a sucessão (causa mortis). Com o mesmo objetivo de tributar mais patrimônio e menos produção e consumo, a proposta inicial de adotar faixas de alíquotas progressivas para causa mortis, de 7% e 8%, e de alíquotas progressivas para doações, de 5% e 6%, foi mantida.

O governo propõe criar, ainda, um programa de incentivo à regularização de propriedades que estejam em débito. Os detalhes ainda serão definidos.

Demais aperfeiçoamentos, destacando-se:

1. Reforço da previsão da retirada da Difal (Diferencial de alíquotas, “imposto de fronteira”) na lei

2. Detalhamento em lei dos parâmetros de devolução do Fundo

3. Diferimento parcial do ICMS nas operações com Substituição Tributária (ST)

4. Atendimento aos pleitos do vinho (regras de diferimento parcial para redução da carga).

Link para notícia no site Tua Rádio

Casamento drive-in e diversificação das atividades são alternativas para o setor de eventos em Lagoa Vermelha

Uma das medidas de prevenção ao novo Coronavírus é evitar a aglomeração de pessoas. Com isso, o segmento de eventos sofre desde o mês de março com a impossibilidade de exercer as atividades.

Em Lagoa Vermelha, o setor buscou diversificar os serviços para reduzir os prejuízos. Segundo Vinicius Moraes, que atua na empresa Giseli Eventos, recentemente foi realizado um casamento drive-in, que seguiu todos os protocolos de segurança que são impostos pelo governo.

Na festividade, os convidados ficaram dentro de seus automóveis e os noivos transitavam por uma passarela. Telões também foram montados e exibiram tudo o que acontecia.

Segundo os Felipe Daros e Dionatan Oliboni, que possuem casas noturnas, há uma grande expectativa pela retomada dos eventos.

Enquanto as festas não voltam, uma das alternativas, segundo eles, é a realização de “barzinhos” com lotação de público limitada a 30% da capacidade total.

Nesta semana a primeira experiência deve ser realiza.  Os participantes deverão permanecer sentados e distantes uns dos outros. Ouça a entrevista e saiba mais.

Link para notícia no site Tua Rádio

Após diálogo com deputados e entidades setoriais, governador anuncia ajustes na Reforma Tributária RS

Depois de quase dois meses de diálogo com sociedade, deputados estaduais, lideranças empresariais e entidades setoriais, incluindo uma série de 12 encontros regionais no interior do Estado, o governador Eduardo Leite anunciou, em reunião com os deputados da base aliada nesta segunda-feira (14/9), ajustes iniciais nos projetos que formam a Reforma Tributária RS.

“Ouvimos e dialogamos muito e acredito que atendemos à maioria dos pleitos, ao menos aqueles que mantinham os pilares da Reforma. Claro que não haveria como atender a tudo e ficar somente com aquilo que reduz impostos sob pena de precarização dos serviços públicos e queda ainda maior nos investimentos. Mas chegamos a uma proposta mais próxima daquilo que escutamos da comunidade gaúcha e que, agora, pode ser apreciada em Plenário”, destacou o governador, acrescentando que as propostas ainda estão sujeitas a alterações.

Ao completar o ciclo de reformas que começou em 2019 no Rio Grande do Sul, as mudanças encaminhadas em 10 de agosto à Assembleia buscam simplificar a relação dos cidadãos e das empresas com os tributos, garantir redução significativa da carga de ICMS para as pessoas de baixa renda e aumentar a competitividade do setor privado, com uma distribuição mais racional do peso dos impostos.

Como a aprovação precisa ocorrer até o fim de setembro, para que haja tempo de cumprir a exigência de noventena e os efeitos da reforma possam valer a partir do dia 1° de janeiro de 2021, quando acaba o prazo da majoração de alíquotas sobre álcool, gasolina, energia e telecomunicações e da alíquota básica, os projetos foram protocolados em regime de urgência. A previsão é de que comecem a ser apreciados nesta semana, quando trancam a pauta.

Se não for promovida uma reforma tributária no RS, o Estado perderá R$ 2,85 bilhões em arrecadação, dos quais cerca de R$ 850 milhões são das prefeituras. Além de buscar compensar essa queda na arrecadação promovendo um sistema tributário mais eficiente e justo, a Reforma inclui entre os seus projetos um código de boas práticas tributárias e um programa de estímulo à conformidade tributária – Nos Conformes RS.

Os aperfeiçoamentos feitos nas propostas giram em torno, principalmente, de ICMS e IPVA, que foram os pontos mais discutidos durante as rodadas de diálogo sobre a reforma, que tinha como um dos objetivos de tributar mais patrimônio e propriedade e menos produção e consumo, pois pesam mais no bolso da população de menor renda, reduzindo a regressividade do imposto.

“Apesar dos ajustes, os princípios da reforma estão preservados. Tínhamos oito macroestratégias definidas. Estamos fazendo, entre outras alterações, uma simplificação no número de alíquotas, mantivemos a política de redução da carga de ICMS e de aumento da participação dos impostos sobre patrimônio, não mexemos nos valores previstos para devolução do ICMS, a carga tributária continua caindo para todas as faixas de renda. No ponto de vista de consistência, a Reforma, com seus méritos e objetivos iniciais, está mantida mesmo esses ajustes”, detalhou o secretário da Fazenda, Marco Aurelio Cardoso.

A equipe técnica do governo do Estado se colocou à disposição para, nas próximas 72 horas, esclarecer dúvidas dos parlamentares. Participaram da reunião com os deputados o vice-governador Ranolfo Vieira Júnior, o chefe da Casa Civil, Otomar Vivian, e o procurador-geral do Estado, Eduardo Cunha da Costa.

PRINCIPAIS AJUSTES

ICMS

1. Retirar contribuição de 10% dos insumos agrícolas para o Fundo Devolve-ICMS.

2. Simples Gaúcho: mantém isenção até R$ 360 mil de forma permanente e não somente em 2021, o que beneficia 74% das empresas gaúchas.

3. Alíquota intermediária de 12%

A proposta inicial previa reduzir de cinco (12%, 18%, 20%, 25% e 30%) para duas (17% e 25%). Agora, a ideia é ter uma terceira alíquota, de 12%, que incidirá sobre os seguintes produtos de forma escalonada:

• Produtos alimentícios atualmente isentos (hortifrutigranjeiros; leite pasteurizado; ovos; pão francês; maçãs e peras). Transição zero (2020), 7% (2021) e 12% (2022 em diante);
• Cesta básica de alimentos, que atualmente tem redução de base de cálculo (RBC) com alíquota efetiva de 7%. Transição 7% (2020), 12% (2021 em diante);
• Diesel e GNV (mantém alíquota nominal de 12% em vez de ir a 17% com RBC para 12%).

4. Alíquota para blue chips
Pela proposta inicial, as chamadas blue chips – energia elétrica residencial e comercial, telecomunicações e combustíveis –, que estavam majoradas em 30% desde 2015, voltariam ao patamar de 25% em 1º de janeiro de 2021.
Devido às alterações feitas na Reforma, o governo está propondo reduzir o ICMS nesses itens, para 27%, de forma temporária, até 2025 – quando vence o Ampara (fundo de combate à pobreza), que já incide 2% sobre os demais itens.

IPVA

1. Alíquotas progressivas por potência
Com o objetivo de tributar mais patrimônio e propriedade e menos produção e consumo, pois pesam mais no bolso da população de menor renda, a proposta era aumentar de 3% para 3,5% a alíquota de IPVA para automóveis e camionetas.

Agora, o governo propõe alíquotas progressivas de 3% a 4% conforme a potência do veículo. Os carros de menor potência – que representam 35% da frota – seguem com as alíquotas atuais, e os de maior valor – 25% da frota – sobem para 4%.

• Até 80 HP = 3%
• De 80 HP a 100 HP = 3,5%
• De 101 HP a 120 HP = 3,75%
• Acima de 120 HP = 4%

2. Mudança na isenção de veículos
Na proposta original, o governo previa isenção do IPVA para veículos fabricados há mais de 40 anos (e não 20 anos, como na atual legislação, que beneficia 46% dos veículos). Atendendo a demandas, a isenção passaria a ser para veículos com mais de 30 anos.

3. Retirada da isenção para híbridos e elétricos
Para equilibrar a as mudanças feitas na Reforma, o governo retirou a proposta que previa estender para os veículos híbridos, até 2023, a isenção já existente para os veículos elétricos.

4. Revogação da alíquota específica das locadoras
A revogação vai para o regime geral de tributação, então, pagará alíquota de acordo com o tipo de veículo

ITCD

1. Programa de incentivo à regularização
O ITCD é o imposto sobre a transmissão gratuita de bens móveis ou imóveis e também de direitos, incluindo a sucessão (causa mortis). Com o mesmo objetivo de tributar mais patrimônio e menos produção e consumo, a proposta inicial de adotar faixas de alíquotas progressivas para causa mortis, de 7% e 8%, e de alíquotas progressivas para doações, de 5% e 6%, foi mantida.
O governo propõe criar, ainda, um programa de incentivo à regularização de propriedades que estejam em débito. Os detalhes ainda serão definidos.

Demais aperfeiçoamentos, destacando-se:

1. Reforço da previsão da retirada da Difal (Diferencial de alíquotas, “imposto de fronteira”) na lei
2. Detalhamento em lei dos parâmetros de devolução do Fundo
3. Diferimento parcial do ICMS nas operações com Substituição Tributária (ST)
4. Atendimento aos pleitos do vinho (regras de diferimento parcial para redução da carga)

Link para notícia no site Tua Rádio

Caixa promove nova edição da campanha de renegociação de dívidas "Você no Azul"

Clientes poderão ter até 90% de desconto no pagamento de dívidas comerciais

A Caixa lançou nesta semana a campanha Você no Azul para renegociação de dívidas de contratos comerciais em atraso. A ação visa atender a demanda de 3 milhões de pessoas físicas e 359 mil empresas que estão com pagamentos pendentes.

Conforme explicou o Superintendente de Rede da Caixa na Serra Gaúcha, Rodrigo Canani Medeiros, a renegociação é destinada somente para dívidas comerciais. “Dívida de cheque especial, dívidas de CDC, dívidas no cartão de crédito até no crédito consignado tanto de pessoas físicas quanto jurídicas. Não estram nesse escopo de descontos as dívidas habitacionais. As dívidas relativas ao crédito imobiliário já têm outras formas de renegociação”, explicou.   

Ainda durante entrevista, Medeiros salientou os benefícios para os clientes que aderirem à negociação: “A principal vantagem é o desconto. Conforme o tempo de atraso, tipo de contrato, valor que já foi pago, a campanha vai conceder um desconto sobre o valor da dívida de até 90%”. A ação será realizada até 31 de dezembro 2020 e visa atender as pessoas que estejam com dívidas vencidas no montante entre R$ 50 e R$ 5 milhões.

Devido à pandemia e ao grande fluxo de pessoas nas agências Caixa devido os pagamentos dos benefícios emergenciais, a instituição disponibilizou canais alternativos para a renegociação das dívidas.  

:: WhatsApp no número 0800 726 0104, opção 3;

::Telefone no número 0800 726 8068, opção 8;

 :: Site http://www.caixa.gov.br/negociar.

:: Lotéricas para valores até R$ 2 mil. Basta informar o CPF para pagar a dívida.

:: Redes sociais do banco. As condições estão disponíveis também pelo Twitter (twitter.com/caixa) e pelo Messenger do Facebook (facebook.com/caixa).

Além disso, algumas regiões do País irão receber o caminhão Você no Azul durante a campanha. Para saber mais, ouça a entrevista com o Superintendente de Rede da Caixa na Serra Gaúcha, Rodrigo Canani Medeiros, AQUI.

Link para notícia no site Tua Rádio

Banco Central apresenta nova cédula de R$ 200

O Banco Central apresentou nesta quarta-feira (2) a nova cédula de R$ 200, que passa a ter valor legal imediatamente e começa a circular conforme a demanda. Ao todo, serão disponibilizadas 450 milhões de unidades da nota até o fim do ano.

Para o presidente do BC, Roberto Campos Neto, a introdução da nova cédula era fundamental para evitar um eventual desabastecimento do pepel-moeda frente ao aumento da demanda por dinheiro em espécie desde o início da pandemia do novo coronavírus.

A cédula de R$ 200 traz cores cinza e sépia predominantes e homenageia o lobo-guará, animal típico da fauna do cerrado brasileiro, e atualmente ameaçado de extinção. A nota tem o mesmo formato e dimensões da cédula de R$ 20 (14,2cm x 6,5cm). A decisão de manter o formato, segundo o BC, é para melhor adaptação aos caixas eletrônicos e demais equipamentos automáticos que aceitam e fornecem cédulas de dinheiro.

Características da nova cédula

A cédula de R$ 200 é impressa em papel fiduciário, que tem uma textura mais firme e áspera que o papel comum. Pelo tato, é possível sentir um alto-relevo em algumas áreas da nota, como nas legendas “Banco Central do Brasil” e “República Federativa do Brasil”, nos numerais impressos na frente e no verso, na faixa vertical de folhas, nas flores e no fruto, na efígie da República (frente) e no lobo-guará (verso).

Sob luz ultravioleta, é possível enxergar o número 200 na frente e a numeração vermelha do verso aparece na cor amarela. Além disso, pequenos fios coloridos se tornam visíveis. Ao colocar a nota na altura dos olhos, na posição horizontal, é possível ver o número 200 sob o desenho de um arbusto, no canto direito inferior da cédula, em sua face frontal.

A marca-d’água da nova cédula permite visualizar, se colocada contra a luz, a figura de um lobo-guará e o número 200, em tons que variam do claro ao escuro. Também ao posicionar a cédula contra a luz, o fio de segurança fica visível, próximo ao meio da nota.

A partir de hoje e até o final de setembro, o governo federal vai veicular uma campanha publicitária de apresentação da nova cédula de R$ 200 nos meios de comunicação e na internet. Assita o vídeo da apresentação.

Link para notícia no site Tua Rádio

Sine de Caxias possui vagas para preenchimento urgente

Interessados precisam ir à agência durante o período da manhã para atendimento.

São mais de 20 vagas, em sete funções, que a agência do Sine em Caxias do Sul tem interesse em preencher com urgência. O local funciona de segunda a sexta, das 8h às 14h. Durante o período da manhã são distribuídas senhas para atendimento referente às vagas. O atendimento ocorre com horário marcado, para evitar aglomerações.

As vagas disponíveis são:

– ANALISTA DE PCP
-ESTIRADOR DE TUBO – 2 vagas
-ESTOFADOR -1 vaga
– OPERADOR DE IMPRESSORA OFFSET
-MONTADOR SOLDADOR -20 vagas
– SERVENTE DE OBRAS – 5 vagas
– ASSISTENTE ADMINISTRATIVO

Sobre o seguro-desemprego, o procedimento precisa ser encaminhado pelo aplicativo da Carteira de Trabalho Digital. Em caso de dúvidas ou dificuldades, é necessário agendar um horário para atendimento na agência. Os telefones são (54) 3223-7071 / 3223-0408 / 3215-4900 / 984326548. O Sine fica na Av. Júlio de Castilhos, nº 1.478, no Centro.

 

Link para notícia no site Tua Rádio

Sine disponibiliza 32 vagas de emprego em Flores da Cunha

O trabalhador interessado deve mandar o currículo para o e-mail [email protected], somente para as vagas anunciadas

A semana inicia com 32 oportunidades de emprego no Sistema Nacional do Emprego (SINE) de Flores da Cunha. O trabalhador interessado deve mandar o currículo para o e-mail [email protected], somente para as vagas anunciadas, identificando a mesma no assunto do e-mail, informações e duvidas podem ser esclarecidas pelo telefone (54) 32793600, ramal 266. Lembrando que devido prevenção ao Covid-19 não está ocorrendo atendimento presencial.

Vagas – Agosto/Setembro 2020

– COORDENADOR DE PRODUÇÃO – TÉCNICO PCP

– MONTADOR  ( montagem de máquinas  e implementos)

– MOTORISTA CARRETEIRO – CNH E – ROTAS ENTRE  RS E PR

– MOTORISTA CNH D

– CONFERENTE DE CARGA E DESCARGA

– ASSISTENTE ADMINISTRATIVO VENDAS

– ANALISTA DE MARKETING

– PSICÓLOGA

– TÉCNICA EM ENFERMAGEM

– EDUCADOR FÍSICO

– PEDAGOGA

– FARMACÊUTICA

– TÉCNICO EM INFORMÁTICA

– TÉCNICO EM MANUTENÇÃO ELÉTRICA

– PROJETISTA/VENDEDOR- desenvolver projeto/design de móveis em Autocad e Sketchup

– VENDEDOR EXTERNO  c/ experiência – salário + comissões

– VENDEDOR – com experiência mercado online

– CONSULTOR COMERCIAL

– SOLDADOR   2 vagas 1 c/exp em solda TIG e outro  MIG MAG

– AUXILIAR DE SOLDADOR  – 2 vagas

– MONTADOR DE ESTRUTURAS METÁLICAS

– TORNEIRO MECÂNICO – Torno e frezza

– OPERADOR DE MÁQUINA DE ENVASAR

– PINTOR

– OPERADOR  DE TORNO CNC

– AUXILIAR DE PRODUÇÃO – Vagas masc

– AUXILIAR DE LIMPEZA  – 2 Vagas

– COZINHEIRA

– CONFEITEIRA – c/ experiência

 

Link para notícia no site Tua Rádio

Hong Kong libera importações de frigorífico da Aurora após testes negativos para Covid-19

Notícia foi confirmada pelo presidente da ABPA, marauense Ricardo Santin

As autoridades sanitárias de Hong Kong informaram hoje que estão liberadas as importações de carne de frango produzidas pela Aurora Alimentos (SIF 601). Os embarques dessa planta estavam temporariamente suspensos para a realização de testes em amostras do produto. Os exames comprovaram a ausência de riscos de contaminação por Covid-19. O Centro para a Segurança dos Alimentos e o Departamento para Higiene de Alimentos e Meio Ambiente de Hong Kong emitiram nesta sexta-feira (28) a autorização para retomada das importações. A decisão aconteceu após os esclarecimentos feitos pelo Ministério da Agricultura do Brasil, com o apoio da cooperativa e da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). 

“A retomada dos embarques comprova a segurança dos produtos brasileiros. O conhecimento técnico-científico prevaleceu. Todos os questionamentos foram esclarecidos”, comemorou o presidente da ABPA, marauense Ricardo Santin. Destaque entre os produtores de aves e de suínos do Brasil, a Aurora Alimentos é um dos exemplos do bem sucedido trabalho empregado pelo setor produtivo para a preservação da saúde dos colaboradores e a garantia da qualidade dos alimentos em meio à pandemia.  

Protocolos rígidos validados pelo Hospital Israelita Albert Einstein e a Portaria Interministerial n° 19 (composta pelos Ministérios da Saúde e da Agricultura, juntamente com a Secretaria Especial de Trabalho e Previdência) estabelecem os parâmetros que colocam os níveis de exigência empregados no Brasil entre os mais elevados no mundo. “Ao mesmo tempo, é fundamental lembrar que a Organização Mundial da Saúde e os demais órgãos internacionais de saúde humana e animal indicam a ausência de risco de contaminação por meio dos alimentos. A ciência garante a total segurança ao consumidor final, o que é complementado pelos cuidados adotados pelas empresas em prol da saúde dos trabalhadores e para a segurança dos alimentos’, completa Santin.

Link para notícia no site Tua Rádio

Serra Gaúcha apresenta retomada na criação de empregos com ajuda do setor industrial

Pesquisa do Observatório do Trabalho da UCS apresenta que Bento Gonçalves, Carlos Barbosa e Garibaldi ajudaram na retomada em julho

A Serra Gaúcha apresentou recuperação na criação de empregos formais no mês de julho, em meio à pandemia da covid-19. Depois de meses de retração, o Observatório do Trabalho da Universidade de Caxias do Sul (UCS) mostra que Bento Gonçalves, Carlos Barbosa e Garibaldi foram as cidades que impulsionaram a retomada na região. Os dados são da Carta Mensal do Mercado de Trabalho, divulgados pelo núcleo de pesquisa nesta semana.

O setor industrial foi o responsável pelos índices positivos nos três municípios. Em Bento, a indústria criou 733 postos de trabalho; em Carlos Barbosa, a categoria ajudou na abertura de 268 empregos; e em Garibaldi, o auxílio foi de 393 vínculos empregatícios. Ao todo, as localidades produziram 570 atividades na Serra.

Porém, Caxias do Sul segue com números baixos nesse quesito. A cidade continua com o pior desempenho entre as 14 cidades abrangidas pelo observatório. O município fechou 280 postos de trabalho, com o setor de serviços puxando os indicadores negativos. Mesmo com o desempenho abaixo, a indústria foi a área que mais contratou pessoas, apresentando saldo positivo na criação de empregos com carteira assinada.

No Rio Grande do Sul, o saldo de empregos foi positivo. O estado criou 1,3 mil vagas de emprego, com a contratação de 59,1 mil pessoas contra a demissão de 57,8 mil trabalhadores. Como na região, a indústria liderou a abertura de vínculos empregatícios.

Clique AQUI e veja os indicadores completos do Observatório do Trabalho do mês de julho.

Link para notícia no site Tua Rádio

Sine de Caxias do Sul tem mais de 80 vagas de emprego disponíveis em diferentes áreas

Atendimento na agência ocorre de segunda a sexta, das 8h às 14h

A agência FGTAS/SINE de Caxias do Sul tem 86 vagas de emprego disponíveis em diversos setores. Dentre as vagas ofertadas, mais de 20 estão com baixa procura por parte dos candidatos.

A agência atende de segunda a sexta, das 8h às 14h. Todas as manhãs, ocorre a distribuição de senhas para atendimento referente às vagas de emprego. Nas fichas constam os horários, para não gerar aglomerações.

Quanto ao Seguro-Desemprego, o procedimento é feito de forma online pelo aplicativo da Carteira de Trabalho Digital. Caso o cidadão tenha dúvidas ou não consiga realizar o pedido na plataforma, é preciso agendar um horário para o atendimento na própria agência. Os telefones para contato são: (54) 3223-7071 / 3223-0408 / 3215-4900 / 98432-6548.     

 

Confira algumas vagas disponíveis:

:: Analista de pcp (programação e controle da produção): obrigatório ensino superior completo ou em andamento. Experiência registrada na Carteira de Trabalho. Para planejar, controlar e programar a produção. Controlar suprimentos (matéria-prima e insumos). Tratar informações em registros de cadastros e relatórios/instruções de trabalho. Residir próximo aos bairros: Sanvitto; Cidade Nova; Santa Fé; Belo Horizonte; Vila Ipe; Canyon; Brandalise; Centro.

 

:: Atendente de padaria: obrigatório experiência registrada na Carteira de Trabalho. Disponibilidade para trabalhar também finais de semana. Para atendimento aos clientes, reposição dos produtos, servir cafés e lanches, limpeza do ambiente. Trabalhar das 14h-20h, de segunda a sábado (domingos intercalados). Necessário residir próximo ou no bairro Planalto/Vila Verde.

 

:: Auxiliar de linha de produção: obrigatório Ensino Médio Incompleto. Experiência registrada na Carteira de Trabalho de no mínimo de 6 meses com metalúrgica. Será um diferencial possuir o curso de lid e metrologia e curso de empilhadeira.

 

:: Carregador (armazém)  / EXCLUSIVA PCD: vaga exclusiva para Pessoa com Deficiência. Obrigatório Ensino Fundamental completo. Experiência registrada na Carteira de Trabalho de mínimo de 6 meses. CNH a ou b. Disponibilidade para trabalhar também durante o final de semana. (vagas diurnas e noturnas). Para atuar nas áreas de recebimento de produtos (móveis em madeira, linha branca e porta de veículos);

 

:: Consultor: Ensino Médio incompleto. Experiência em informática. Experiência na área de vendas devidamente comprovado. Experiência com telemarketing e negociação será um diferencial. Excelente comissionamento. Necessário trabalhar em Flores da Cunha.

 

:: Costureira em geral: Urgente – obrigatório Ensino Fundamental (pode ser incompleto). Experiência comprovada na Carteira de Trabalho. Disponibilidade para trabalhar de segunda a sábado. A experiência deve ser em casacos de lã. Saber trabalhar com as maquinas de costura reta, overlock e galoneira. (obrigatoriamente)

 

:: Estirador de tubo de metal: obrigatório comprovada experiência em  Carteira de Trabalho como operador de dobradeira/ curvadora de tudo com clp. Obrigatório ensino fundamental completo.

 

:: Estofador de móveis: obrigatório Ensino Médio completo. Experiência em Carteira de Trabalho específica. Para estofar cadeiras e poltronas. 

 

:: Fresador CNC:  vaga disponível em Xanxerê/SC. Obrigatório experiência em Carteira de Trabalho na área específica de fresador cnc. Para realizar operações de fresa. Elaborar e programar tendo como referência o desenho mecânico da pesa usinada. Realizar o preset de ferramentas para as operações de usinagem em maquinas cnc. Salário base de R$3.000,00.

 

:: Instalador de sistemas eletroeletrônicos de segurança: obrigatório Ensino Médio completo. Experiência em Carteira de Trabalho. CNH categoria B. Para trabalhar com instalação de alarmes. Controle de acesso. Conhecimento em informática também é necessário.

 

:: Maquinista de offset: obrigatório Ensino Médio incompleto. Experiência em Carteira de Trabalho na área. Para operar a impressora offset, regulando e acionando por meio da manipulação dos dispositivos de controle para imprimir caixas em offset e outras funções.

 

:: Mecânico de automóvel: Vaga para quem quiser se mudar para Capão da Canoa – RS. Obrigatório experiência em Carteira de Trabalho de no mínimo 6 meses. Ensino Fundamental incompleto. Que tenha pratica na área automotiva

 

:: Mecânico de manutenção de máquinas, em geral: obrigatório Ensino Médio completo e curso técnico na área (como automação industrial, mecânica). Experiência registrada em Carteira de Trabalho de, no mínimo, 6 meses. CNH categoria B. Para execução de manutenção industrial corretiva diversas. Apresentar certificado dos cursos de nr10 e nr35 na agência do Sine.

 

:: Mecânico de manutenção e instalação de aparelhos de climatização e refrigeração: 4 vagas disponíveis. Obrigatório Ensino Médio completo. CNH A e B. Experiência como técnico de ar condicionado.

 

:: Mecânico de motor a diesel: Urgente – obrigatório Ensino Fundamental. Experiência registrada em Carteira de Trabalho de, no mínimo, 6 meses. CNH categoria B. Ser organizado e proativo.

 

:: Operador de máquinas-ferramenta convencionais: Vaga de operador de máquina guilhotina e/ou dobradeira. Obrigatório Ensino Médio (pode ser incompleto). Experiência registrada em Carteira de Trabalho de, no mínimo de 6 meses nas duas máquinas, mas preferencialmente dobradeira cnc. Será um diferencial possuir o curso de lid e metrologia e curso de empilhadeira.

 

:: Operador de tesoura mecânica e máquina de corte, no acabamento de chapas e metais: obrigatório experiência em Carteira de Trabalho com máquina de corte a laser. Para executar programa de produção através de ordens de fabricação, abastecer a máquina de corte a laser, carregar o programa na máquina a laser através de pen drive. executar o processo de corte de chapas e tubos metálicos a laser ou similiares com aparelho de medição e metrologia.

 

:: Oxicortador a mão e a máquina: obrigatório Ensino Fundamental incompleto. Experiência na Carteira de Trabalho de 6 meses. Para operar programas de computador para manusear a maquina plasma, cnc, equipamentos, LID, utilizar equipamentos de medição e consumíveis. Sem conhecimento nas máquinas não adianta ser encaminhado.

 

:: Representante comercial autônomo: obrigatório Ensino Médio completo. CNH A ou B. Trabalho home office, sem horário fixo. Para representar a empresa de energia solar. Apenas comissionado. Conhecimento sobre painéis fotovoltaicos.

 

:: Serralheiro: obrigatório Ensino Fundamental incompleto. Experiência em Carteira de Trabalho de mínimo de 6 meses com serralheria. CNH B. Para cortar, soldar, medir e produzir peças em ferro.

 

:: Serralheiro: obrigatório Ensino Fundamental. Experiência em Carteira de Trabalho de, no mínimo, 6 meses como serralheiro de alumínio especificamente. CNH B. Para cortes de perfil de alumínio em serra de bancada, montagem das linhas de esquadrias em alumínio. Corte e manuseio de vidro e ferramentas relacionadas aos processos. Interpretação de planilhas de corte, medidas e desenhos. Confecção, reparação e instalação de esquadrias.

Link para notícia no site Tua Rádio

Gaúchos terão retorno financeiro sempre que varejo registrar desempenho positivo

Além da devolução de parte do ICMS a famílias de baixa renda, por meio do Fundo Devolve-ICMS, consumidores gaúchos, de todas as classes sociais, poderão ter retorno financeiro do tributo pago. Isso porque o governo do Estado está propondo, na Reforma Tributária do RS, a criação do Receita Certa, uma das medidas que integram a agenda Receita 2030.

A ação assegura que parte do aumento real da arrecadação com o ICMS proveniente do comércio varejista retorne, trimestralmente, a quem estiver cadastrado no programa Nota Fiscal Gaúcha (NFG) e que solicite a inclusão do CPF na nota fiscal na hora da compra.

A devolução seguirá faixas de percentuais conforme houver o incremento real de arrecadação. Por exemplo, se o comércio varejista apresentar crescimento nas receitas tributárias entre 5% e 10%, o Estado disporá de R$ 16 milhões que retornarão aos consumidores, proporcionalmente às suas compras com CPF na nota fiscal, realizadas no último trimestre.

É um instrumento de combate à informalidade no varejo, incentivando o consumidor a solicitar nota fiscal nas suas compras em todos os estabelecimentos varejistas, independente do porte. “

Como funcionará

Se aprovado na Reforma Tributária RS, o retorno do ICMS do Receita Certa seguirá as mesmas regras utilizadas nos sorteios mensais do NFG. A diferença é que será calculado o percentual de participação de cada cidadão para a realização do rateio. A cada R$ 1 em compras será gerado um ponto.

Por exemplo, para o consumidor saber o valor que receberá ao acumular 4.500 pontos no trimestre, será calculado o quanto o seu número de pontos representa no bolo total de pontos que todos os participantes do programa obtiveram no trimestre.

Estimando que o valor a ser distribuído no trimestre seja de R$ 16 milhões, pelo fato de o incremento real na arrecadação ter ficado na faixa entre 5% e 10%, e no total foram gerados 4,2 bilhões de pontos no trimestre, o consumidor receberá o equivalente a R$ 17,14.

Quem participar do programa, estiver inscrito no NFG e solicitar CPF nas notas, terá um valor a receber, se o setor varejista apresentar incremento real da arrecadação. O resgate do valor seguirá os moldes que já ocorrem com os pagamentos dos sorteios mensais do NFG e do Receita da Sorte, por meio de depósito em conta bancária. Além disso, se estuda que o valor possa abater o IPVA e fazer doação a entidades, entre outros.

 

Link para notícia no site Tua Rádio

Pela segunda semana consecutiva, comércio poderá adotar protocolo de bandeira laranja em Lagoa Vermelha

O comércio de Lagoa Vermelha poderá adotar protocolos de bandeira laranja, pela segunda semana consecutiva, após instituição do modelo de gestão compartilhada do Distanciamento Controlado.

Na tarde da última segunda-feira, 24 de agosto, o governo do Estado voltou a indicar bandeira vermelha para a região de Passo Fundo, mesmo assim, o comitê regional entendeu que os dados relativos à pandemia do novo Coronavírus, permitem o protocolo laranja para as atividades comerciais.

O decreto que prevê o regramento para Lagoa Vermelha deverá ser publicado nesta terça-feira, 25 de agosto, pela Prefeitura municipal.

A validade da medida seguirá até a próxima segunda-feira, 31 de agosto.

Link para notícia no site Tua Rádio

Coprel inaugurou Subestação Marau 2

Inauguração ocorreu de forma online, pelo Facebook da cooperativa

A Subestação de Energia Marau 2 foi inaugurada na quarta-feira, 12/08, por meio de uma live realizada através do Facebook da Coprel. O maior investimento da Cooperativa para 2020 –  14 milhões de reais – impulsiona o crescimento dos setores da agricultura, como pecuária, avicultura, suinocultura, desenvolvimento de agroindústrias, e também a indústria. A nova subestação proporcionará infraestrutura de energia para 5.720 famílias de 11 municípios: Marau, Camargo, Casca, Ciríaco, David Canabarro, Gentil, Montauri, Muliterno, Nicolau Vergueiro, Santo Antônio do Palma e Vila Maria.

O investimento total contemplou a construção de 4,5km de linha de transmissão em 138kV e instalação de dois transformadores, que atuam de forma simultânea, em redundância; isso significa que, em caso de falhas ou necessidade de manutenção em um dos equipamentos, o outro segue operando normalmente, sem que seja necessário desligamento de cargas.  Antes da Subestação, a Coprel possuía somente um alimentador em Marau. Agora são quatro novos alimentadores, com tensão de operação em 23kV que possibilitam manobras  para contingência e suprimento de novas cargas. Toda esta tecnologia torna o sistema elétrico mais robusto e confiável.

“A nova subestação melhora os níveis de tensão e aumenta em quase 3 vezes a disponibilidade de energia para a região. Agora temos capacidade para suprir o crescimento da carga para os próximos 15 anos para atender as indústriais e todo o setor agroindustrial. Outro fato importante é que a subestação é telecomanda pelo Centro de Operação, em Ibirubá, contando com a qualidade da internet via fibra da Coprel Telecom”, celebra o presidente Jânio Vital Stefanello.

O governador do estado, Eduardo Leite, também participou da live. Para Leite, “o povo gaúcho necessita de uma energia de qualidade, principalmente para o setor produtivo”. “A energia tem tudo a ver com o desenvolvimento. Parabéns pela dedicação da Coprel, que é nossa parceira para levar cada vez mais energia de qualidade para o campo e o desenvolvimento do nosso estado”, destacou, ainda, o governador.

André Pepitone da Nóbrega, diretor geral da ANEEL, disse que a obra proporciona mais bem-estar para a população, grandes avanços para os produtores rurais da região e a condição de atrair novos invesimentos, gerando mais emprego, renda e prosperidade para a economia. “A ANEEL, desde o início reconhece a importância das cooperativas para o setor elétrico que trazem um inestimável valor em estar próximo aos associados, com energia de qualidade e atendimento personalizado. Temos certeza da qualidade do serviço  que a Coprel está ofertando aos seus associados”, ressaltou André da Nóbrega.

Diversas lideranças regionais e prefeitos das cidades atendidas pela nova subestação acompanharam a live que também teve a participação os deputados estaduais, Vilmar Zanchin e Sérgio Turra, conselheiros da Coprel e diversas lideranças regionais.

O vídeo da transmissão permanece disponível no Facebook da Coprel.

Link para notícia no site Tua Rádio

Dez plantas gaúchas poderão exportar miúdos de suínos para Singapura

País asiático já figura entre os três maiores importadores de carne suína brasileira

A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) foi informada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento sobre a abertura do mercado de Singapura para miúdos de suínos produzidos no país. A autorização é válida para as 29 frigoríficos brasileiros que já são habilitadas A exportar carne suína com e sem osso para a nação asiática. Dez plantas ficam no Rio Grande do Sul. Singapura é um importante parceiro comercial do setor. Em 2020, passou a ocupar o terceiro lugar no ranking dos principais importadores de carne suína brasileira, atrás apenas da China e de Hong Kong.

De janeiro a julho deste ano, comprou 32 mil toneladas – 49% a mais do que no mesmo período de 2019. Para Francisco Turra, que presidente a ABPA, a liberação das vendas de miúdos para Singapura ocorre em um momento altamente favorável nos negócios com este mercado.

Em 2020, nove novas plantas foram habilitadas para embarcar produtos. A abertura do mercado para um segmento de produto tão apreciado na região reforça a posição asiática como novo maior polo mundial dos negócios internacionais para a proteína animal do Brasil, segundo ele. As plantas habilitadas no RS: Adele, em Frederico Westfalen; Alibem, em Santa Rosa e em Santo Ângelo; Aurora, em Sarandi; BRF, em Lajeado; Dalia, em Encantado; JBS Seara, em Seberi, Três Passos e Caxias do Sul; Languiru, em Poço das Antas.

Link para notícia no site Tua Rádio

Imigrantes enfrentam dificuldades para ingressarem no mercado de trabalho formal em Caxias do Sul

Conforme coordenador da agência FGTAS/SINE, Maurício Adamatti, muitos possuem graduação, especializações e cursos técnicos, mas competitividade gerada pela alta no desemprego dificulta contratações

A busca por uma oportunidade no mercado de trabalho formal é uma realidade de cerca de 12,8 milhões de brasileiros, de acordo com os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Mensal (PNAD Contínua). A pandemia também impactou no fechamento de postos de trabalho e gerou dificuldades para a criação de novas vagas.

Porém, além dos brasileiros na busca por empregos há parcela da população composta por imigrantes que também está enfrentando dificuldades para se inserir no mercado de trabalho. Conforme o coordenador da Agência FGTAS/SINE de Caxias do Sul, Maurício Adamatti, o número de estrangeiros em busca de emprego neste ano cresceu, porém a taxa de desemprego no país deixa o mercado mais competitivo o que dificulta a colocação deles no emprego formal. “Conforme as pessoas estão sendo demitidas, o currículo delas fica disponível e é muito alto, então se cria uma competitividade muito maior entre os próprios brasileiros. Para a pessoa que é estrangeira ela tem que concorrer com os brasileiros e, às vezes, o empresário faz a discriminação porque ela é estrangeira”.

Adamatti também afirmou que muitos imigrantes que buscam a colocação no mercado de trabalho possuem altos níveis de qualificação. “Os currículos de alguns venezuelanos são excelentes, contêm uma, duas graduações, cursos técnicos. Porém eles não conseguem se encaixar no mercado de trabalho, pois não são dadas oportunidades para eles”.

Conforme o coordenador da agência FGTAS/SINE, a entidade estava alinhando estratégias junto á Prefeitura de Caxias do Sul para criar parcerias com empresas para colocar os trabalhadores imigrantes no mercado formal de trabalho, porém a pandemia e a crise econômica impediu o andamento de alguns projetos. Adamatti também defendeu que o assunto deve ser avaliado em âmbito federal, no sentido de criar oportunidades para que os estrangeiros acolhidos no país possam ter uma vida digna: “A gente precisa criar essa força pra poder dar uma chance também para essas pessoas que merecem, porque estão aqui no nosso País e não podem ficar em estado de vulnerabilidade”. Ouça a entrevista completa AQUI.

 

Caxias do Sul está no ranking das cidades que mais criaram vagas de trabalho no primeiro semestre

Mesmo com as dificuldades econômicas devido à pandemia do novo coronavírus, a agência SINE de Caxias do Sul foi a terceira do Estado a ofertar mais vagas de trabalho no primeiro semestre: 921.

Conforme Adamatti, as áreas de higienização industrial, mecânica e auxiliares de eletricistas foram as que mais contrataram nos primeiros seis meses do ano. Ele também explicou como está funcionando o atendimento na agência FGTAS/SINE tanto para o encaminhamento para o mercado de trabalho quanto para o seguro-desemprego. Ouça AQUI.       

Link para notícia no site Tua Rádio

Imigrantes enfrentam dificuldades para ingresso no mercado de trabalho formal em Caxias do Sul

Conforme coordenador da agência FGTAS/SINE, Maurício Adamatti, muitos possuem graduação, especializações e cursos técnicos, mas competitividade gerada pela alta no desemprego dificulta contratações

A busca por uma oportunidade no mercado de trabalho formal é uma realidade de cerca de 12,8 milhões de brasileiros, de acordo com os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Mensal (PNAD Contínua). A pandemia também impactou no fechamento de postos de trabalho e gerou dificuldades para a criação de novas vagas.

Porém, além dos brasileiros na busca por empregos há parcela da população composta por imigrantes que também está enfrentando dificuldades para se inserir no mercado de trabalho. Conforme o coordenador da Agência FGTAS/SINE de Caxias do Sul, Maurício Adamatti, o número de estrangeiros em busca de emprego neste ano cresceu, porém a taxa de desemprego no país deixa o mercado mais competitivo o que dificulta a colocação deles no emprego formal. “Conforme as pessoas estão sendo demitidas, o currículo delas fica disponível e é muito alto, então se cria uma competitividade muito maior entre os próprios brasileiros. Para a pessoa que é estrangeira ela tem que concorrer com os brasileiros e, às vezes, o empresário faz a discriminação porque ela é estrangeira”.

Adamatti também afirmou que muitos imigrantes que buscam a colocação no mercado de trabalho possuem altos níveis de qualificação. “Os currículos de alguns venezuelanos são excelentes, contêm uma, duas graduações, cursos técnicos. Porém eles não conseguem se encaixar no mercado de trabalho, pois não são dadas oportunidades para eles”.

Conforme o coordenador da agência FGTAS/SINE, a entidade estava alinhando estratégias junto á Prefeitura de Caxias do Sul para criar parcerias com empresas para colocar os trabalhadores imigrantes no mercado formal de trabalho, porém a pandemia e a crise econômica impediu o andamento de alguns projetos. Adamatti também defendeu que o assunto deve ser avaliado em âmbito federal, no sentido de criar oportunidades para que os estrangeiros acolhidos no país possam ter uma vida digna: “A gente precisa criar essa força pra poder dar uma chance também para essas pessoas que merecem, porque estão aqui no nosso País e não podem ficar em estado de vulnerabilidade”. Ouça a entrevista completa AQUI.

 

Caxias do Sul está no ranking das cidades que mais criaram vagas de trabalho no primeiro semestre

Mesmo com as dificuldades econômicas devido à pandemia do novo coronavírus, a agência SINE de Caxias do Sul foi a terceira do Estado a ofertar mais vagas de trabalho no primeiro semestre: 921.

Conforme Adamatti, as áreas de higienização industrial, mecânica e auxiliares de eletricistas foram as que mais contrataram nos primeiros seis meses do ano. Ele também explicou como está funcionando o atendimento na agência FGTAS/SINE tanto para o encaminhamento para o mercado de trabalho quanto para o seguro-desemprego. Ouça AQUI.       

Link para notícia no site Tua Rádio

Venda de veículos seminovos e usados cai 16% no primeiro semestre, em Caxias do Sul

Dados foram compilados pela Fenauto e Denatran, também com números do estado e da Serra Gaúcha

A Região da Serra Gaúcha apresentou queda de 17% na venda de veículos seminovos e usados no primeiro semestre deste ano. Em Caxias do Sul, o cenário foi de uma baixa de 16% para 2020. Os dados são da Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores (Fenauto) e do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran).

A Serra comercializou 49.139 frotas nos seis meses iniciais de 2020. Caxias repassou 22.241 veículos do tipo à comunidade. Em entrevista à Tua Rádio São Francisco, o presidente da Associação dos Revendedores de Veículos Automotores do Rio Grande do Sul (Agenciauto-RS), Rodrigo Dotto, faz um balanço sobre os impactos da pandemia da Covid-19 nesses números. (Entrevista completa aqui)

No estado, a estimativa é que houve um tombo de 15% nas vendas de veículos seminovos e usados. Foram comercializados 416.262 automóveis neste período em 2020.

Link para notícia no site Tua Rádio

Viagens para compras e de turismo sofrem brusca redução em função da pandemia

As restrições sanitárias decorrentes da pandemia do novo Coronavírus impactaram fortemente o setor do turismo. Em Lagoa Vermelha, os clientes que compraram pacotes de viagens previstas para este ano, estão reagendando os passeios para 2021.

Segundo a proprietária da agência ACATUR, Maria Clarisse Madalozzo, as indefinições quanto ao futuro, ainda impedem a retomada do setor. De acordo com ela, também os hotéis precisarão se adaptar à nova realidade, para garantir a segurança dos turistas.

Volmir Cirino, que atua na empresa Serra Azul, afirmou que houve redução do número de viagens aos grandes centros, por parte dos lojistas que buscam por peças de roupas. Segundo ele, 40% das viagens foram canceladas, e as restantes são feitas com limitação de passageiros.

Saiba mais sobre a adaptação do setor de viagens, ouvindo a entrevista concedida na manhã desta quarta-feira, 05 de agosto.

Link para notícia no site Tua Rádio

75 anos de Fecomércio: presidente da entidade reflete sobre momento vivido pelos comerciantes

A Federação do Comércio de Bens e de Serviços do Estado do Rio Grande do Sul chegou aos 75 anos na segunda-feira, 3 de agosto, enfrentando um dos principais desafios da história do setor terciário: garantir às empresas o direito de abrir, realizar negócios, gerar e manter empregos.

No seu aniversário, a Fecomércio-RS pede um comércio de portas abertas, reconhecendo todos os esforços do setor em estabelecer e aderir a protocolos que priorizam a segurança e a saúde de todos.

Em entrevista à Tua Rádio Cacique, o presidente da entidade Luiz Carlos Bohn falou sobre as demandas dos comerciantes, e comentou a flexibilização para o funcionamento do setor, anunciada pelo governador Eduardo Leite.

Link para notícia no site Tua Rádio

Retrô Car Club avalia fim da isenção da cobrança do IPVA para veículos de até 40 anos de fabricação

O fim da isenção da cobrança de IPVA para carros com idade entre 20 e 40 anos e a ampliação de 0,5 ponto percentual da alíquota (de 3%) aplicada para veículos leves devem representar incremento de R$ 740 milhões aos cofres públicos do Estado. Atualmente o montante arrecadado gira em torno de R$ 3 bilhões.

A medida é um dos pilares da reforma tributária proposta pelo governador Eduardo Leite, e busca ampliar a base tributária dos atuais 54% para 75% de 6,9 milhões de carros com emplacamento no Rio Grande do Sul.

Se aprovada na Assembleia Legislativa, a reforma tributária prevê, entre outros pontos, que a cobrança de IPVA com alíquota de 3,5% passe a ocorrer para todos os carros fabricados a partir de 1981.

Em entrevista ao programa Conectado na manhã desta quarta-feira, os membros do grupo Retrô Car Club de Lagoa Vermelha, Eleandro Zulianello e Evandro Fortuna, estiveram falando sobre o retorno da cobrança do imposto para os veículos mais antigos.

Conforme os colecionadores, carros antigos já têm uma manutenção mais cara, e há dificuldade de encontrar peças para reposição. A tributação pode encarecer ainda mais a manuntenção desses veículos. Ouça.

 

Link para notícia no site Tua Rádio

Mesmo com flexibilização do comércio, CDL projeta queda de 30% nas vendas para o Dia dos Pais

Segundo a Pesquisa de Intenção de Compras da entidade, perda do poder aquisitivo da população é um dos principais fatores para diminuição das vendas

As datas comemorativas são sempre importantes para o comércio, pois impulsionam as vendas. Porém, este ano, por conta da pandemia que impacta nas restrições no atendimento e perda do poder aquisitivo da população, a CDL Caxias projeta uma queda de 30% nas vendas para o Dia dos Pais, na comparação com o ano passado. Esta estimativa leva em consideração a bandeira laranja que flexibiliza o funcionamento do comércio. Segundo a Pesquisa de Intenção de Compras da entidade, caso permanecesse a bandeira vermelha, a queda seria de 50%.

Ainda de acordo com o estudo, metade dos entrevistados afirmou que o coronavírus afeta muito na hora da compra. O levantamento apurou, ainda, que 64% da população declarou que a renda da família foi muito prejudicada por conta da crise provocada pela Covid-19. Assim mesmo, o ticket médio, ou seja, o valor a ser gasto no presente será de R$ 188, segundo a pesquisa. Outro dado apontado é que 86% dos consumidores devem comprar no comércio local. Desses, 55% devem ir a lojas de rua do centro, 15,63% nas de bairros, 8% em shopping e apenas 8% pretendem comprar via comércio eletrônico.

O gerente Administrativo Financeiro da CDL Caxias do Sul, Carlos Alberto Cervieri, afirmou durante entrevista na Tua Rádio São Francisco, que as compras em lojas físicas são fundamentais para movimentar o setor: “Pelas próprias pesquisas o consumidor caxiense não tem o hábito da compra eletrônica, ele prefere ir até o estabelecimento para verificar o produto, experimentar, ter o contato físico”. Cervieri também afirmou que micros e pequenos empreendedores não estão adaptados às plataformas de e-commerce. “O pequeno e micro comerciante não está preparado para a venda eletrônica, isso é mais para os grandes comerciantes. Por isso lutamos pelas flexibilizações, por menor que sejam, para que os consumidores possam fazer essa compra e a data do Dia dos Pais não ser tão negativa para o setor”.

Quanto aos serviços mais procurados na data, como almoço em restaurantes, a pesquisa apontou que 86,21% da população pretendem fazer um almoço especial em casa e 10,34% devem ir fazer a refeição em restaurante. Sobre os presentes mais procurados, vestuário e moda (54%), calçados (16%) e perfumes e cosméticos (15%) aparecem no topo da lista de preferências.   

Durante a entrevista, Cervieri também afirmou que o comércio caxiense está preparado, de acordo com os protocolos de segurança, para atender os clientes. “Nós sempre solicitamos aos associados que tomem todas as medidas e garantias de segurança para os consumidores. Fornecimento de álcool gel, máscaras, distanciamento, número de clientes na loja, número de funcionários. Então, o comércio sempre fez o seu tema de casa”. Ouça a entrevista completa AQUI.   

Link para notícia no site Tua Rádio

Plano de Recuperação Empresarial, desenvolvido em Lagoa Vermelha, é alternativa para empresários que enfrentam dificuldades

Segundo o Sebrae, em função da pandemia do novo Coronavírus, o Monitoramento dos Pequenos Negócios identificou que 21% das empresas estão fechadas.  Houve também queda no faturamento dos pequenos negócios. Segundo o estudo, 76% das empresas foram impactadas negativamente; para 48% delas, a queda no faturamento foi superior a 50%.

Em função disso, a prefeitura de Lagoa Vermelha fechou uma parceria com o Sebrae para dar suporte aos pequenos empresários. Em entrevista à Tua Rádio Cacique, o secretário do Desenvolvimento Econômico, Lucas Mota falou sobre o Plano de Recuperação Empresaria tem atendido os empreendedores que precisam de orientação sobre como contornar a crise.

Segundo Lucas, apesar de o momento ser de preocupação e incerteza, a economia local tem mostrado recuperação, e registrou saldo positivo entre as contrações e demissões no período relativo ao mês de junho, com 22 admissões. O bom resultado está ligado ao fato de o setor moveleiro ter registrado aquecimento nos últimos meses.

Para os empresários que precisam de ajuda podem contatar o (54) 3358-9130, para receber informações sobre como se capacitar. Ouça a entrevista e saiba mais.

Link para notícia no site Tua Rádio

Conta de luz da Coprel fica, em média, 8% menor a partir desta quinta-feira

Se preferir, ouça este conteúdo no player de áudio da matéria

Uma ação realizada pela Coprel no ano passado começa a ter impacto positivo para os cooperantes. Nesta semana, a ANEEL – Agência Nacional de Energia Elétrica, homologou as novas tarifas de energia da Coprel Cooperativa de Energia, por meio da Resolução Homologatória nº 2.744/2020. Com isso, as tarifas de energia ficarão, em média, 8,36% menores a partir de 30 de julho. Os cooperantes do Grupo B, que em sua maioria são pequenos comércios, residências e propriedades rurais, terão uma redução média de 7,90%.  Os clientes da classe residencial urbana, que perceberão uma queda de 12,84% em suas tarifas.  

Para as indústrias e grandes consumidores pertencentes ao Grupo A, a redução média será de 8,87%, podendo variar para mais ou para menos em função do perfil de utilização da energia e demanda ao longo do mês. Esta redução nas tarifas só foi possível devido ao planejamento da Coprel, que foi a primeira cooperativa de energia do país a promover um leilão de energia, organizado em julho de 2019, que reduziu significativamente os custos com a compra de energia que são repassados aos cooperantes. As baixas nas tarifas deverão ocorrer também no processo de reajuste do ano que vem. Nas simulações feitas, a previsão é de que em julho/2021 as tarifas da Coprel estejam em média 20% menores que as atuais (isso se não ocorrerem mudanças drásticas na economia e na legislação do setor elétrico).

Os novos valores de tarifas passarão a valer na energia consumida a partir do dia 30 de julho. Como o consumo do mês de agosto é pago somente em setembro, será a partir deste mês que os cooperantes vão perceber a redução no custo da energia. O reajuste anual das tarifas de energia das cooperativas e concessionárias de todo o Brasil é regulado pela ANEEL, considerando, entre outros fatores, o preço da energia comprada, os custos dos encargos setoriais, as tarifas de transmissão e o mercado atendido pela cooperativa. Este reajuste tarifário é anual, e no caso da Coprel, o anúncio pela ANEEL é feito sempre no mês de julho.

Link para notícia no site Tua Rádio

Caxias do Sul tem quarto mês consecutivo com saldo negativo nos empregos formais

Em junho, foram fechados 607 postos de trabalho com carteira assinada

A economia caxiense segue sofrendo os impactos da pandemia do novo coronavírus. Pelo quarto mês consecutivo, a cidade teve saldo negativo na geração de empregos formais, ou seja, com carteira assinada. Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia, e que foram divulgados pelo Observatório do Trabalho da Universidade de Caxias do Sul (UCS) nesta quarta-feira (29), o município registrou o encerramento de 607 postos de trabalho formal em junho. O dado é resultado das 2,9 mil admissões e 3,5 mil desligamentos registrados no período.  

O resultado negativo de junho foi motivado principalmente pelos Serviços e pela Indústria, que tiveram 290 e 259 empregos encerrados, respectivamente. A Agropecuária, por outro lado, foi o único setor que apresentou criação de postos de trabalho, com duas admissões. Mesmo com o saldo negativo, junho foi o mês com menos demissões neste ano. O recorde de desligamentos foi no mês de abril com encerramento de 5.231 postos de trabalho.  

No primeiro semestre, Caxias do Sul fechou 6,9 mil empregos formais, enquanto nos seis primeiros meses de 2019 houve a criação de 3,4 mil vagas com carteira assinada. Em todo o estado do Rio Grande do Sul no acumulado do ano houve o fechamento de 94,5 mil empregos formais.

Link para notícia no site Tua Rádio

Campanha do Sicredi motiva consumo local e disponibiliza hotsite para apoiar empreendedores

Movimento “Eu coopero com a economia local” viabiliza conteúdo digital gratuito como forma de amenizar efeitos da pandemia

Através da campanha “Eu coopero com a economia local”, o Sicredi tem o propósito de impulsionar os negócios dos empreendedores de cada localidade de atuação da cooperativa. “É uma necessidade eminente para todos”, ressalta o gerente regional do Sicredi Aliança RS/SC, Andrigo Vanz. Em entrevista à Tua Rádio Alvorada, o gestor ressalta que diante do momento delicado para todos em função da pandemia do novo coronavírus, há, por trás dos números, divulgados diariamente, pessoas, famílias que têm suas vidas interrompidas e seus empregos e negócios ameaçados. Assim, diz Andrigo, os desafios exigem um movimento de cooperação comunitária ainda maior, que colaborem para a redução dos impactos da pandemia. 

Com o objetivo de estimular as pessoas a adquirirem produtos e serviços nos pequenos negócios de seus bairros e regiões, a cooperativa disponibiliza materiais para auxiliar na reorganização financeira dos empreendedores. O conteúdo está compilado no hotsite   economialocal.sicredi.com.br. O endereço, afirma Andrigo, direciona o usuário ao aplicativo Sicredi Conecta, uma plataforma de compra e venda exclusiva para associados Sicredi.

Ouça no player de áudio, a entrevista completa com o gerente Andrigo Vanz.

Link para notícia no site Tua Rádio

Mudanças no Modelo de Distanciamento Controlado do RS devem ser encaminhadas na próxima semana

Pauta está com a Famurs, que recebeu um retorno do governado na segunda-feira (27) e aguarda manifestação das associações de municípios

A Prefeitura de Caxias do Sul aguarda uma resposta do governador Eduardo Leite (PSDB) sobre a flexibilização do Modelo de Distanciamento Controlado do Rio Grande do Sul. Com um retorno esperado para esta semana, o Município deseja reabrir o comércio não essencial e restaurantes na bandeira vermelha, com 25% do quadro funcional e atendimento restrito ao público. A pauta está com o presidente da Federação das Associações de Municípios do Estado (Famurs), Maneco Hassen, que falou à Tua Rádio São Francisco como está a situação do tema com o governo estadual.

Ele afirma que o governador respondeu à entidade ainda na segunda-feira (29/07), sugerindo alterações no documento assinado pelas 27 associações de municípios. No mesmo dia, as recomendações foram enviadas aos líderes das regiões para que respondam até sexta-feira (31/07). O grupo poderá ser contra, a favor ou contestar as medidas solicitadas pelo governo estadual.

Hassen conta que Leite pretende transferir a responsabilidade de eventuais mudanças na política de distanciamento para aos líderes municipais. As condições são que o governo estadual continue a decidir as bandeiras preliminares ao final de cada sexta-feira. Os prefeitos poderiam debater se adotam ou não as medidas restritivas. Caso não queiram, o presidente da Famurs reforça que a definição deverá ser por unanimidade, por meio de argumentos técnicos para solicitar a mudança e conseguir a flexibilização das atividades econômicas. Os argumentos seriam enviados ao Governo do Estado, que determinaria a possibilidade de modificação. Esse novo regime seria adotado para as regiões que permanecessem ou entrassem na bandeira vermelha.

Hassen acredita que na próxima semana o debate consiga ser encaminhado com o governador. Ele também visualiza que possa ocorrer um entendimento entre as partes para iniciar o modelo. Mesmo assim, o presidente não estipula uma data para começo, uma vez que depende da agenda de Leite e de como discorrerá o debate.

Clique na aba “Ouvir Notícia” e confira a entrevista completa com o presidente da Famurs, Maneco Hassen.

Link para notícia no site Tua Rádio

Entidades empresariais defendem reabertura do comércio não essencial com 25% da capacidade, em Caxias

Instituições reafirmam posicionamento para flexibilização do atendimento na bandeira vermelha

As entidades empresariais de Caxias do Sul se manifestaram na segunda-feira (27/07) sobre a decisão do governador Eduardo Leite (PSDB) em deixar a região da Serra Gaúcha na bandeira vermelha do Modelo do Distanciamento Controlado. Em nota, a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), o Sindicato do Comércio Varejista (Sindilojas) e a Câmara de Indústria, Comércio e Serviços (CIC) foram contra a determinação do governo estadual e são a favor de uma flexibilização para alguns setores independentemente da cor da bandeira.

A CDL afirma que deseja a permissão do funcionamento do comércio não essencial com 25% da capacidade e portas abertas para atender à comunidade caxiense. A entidade, junto com as outras instituições e a prefeitura, procura que o Governo do Estado libere esse pedido e também que autorize a reabertura de bares e restaurantes na mesma quantidade. A CDL ainda sugere a realização de eventos no município, por meio de criação de protocolos de segurança contra a Covid-19.

“Já estamos com quase 1,5 mil trabalhadores demitidos pelo varejo caxiense, 23,43% do saldo negativo das demissões no município. Ao mesmo tempo em que vemos tantas restrições ao comércio, não temos observado uma diminuição no número do coronavírus, o que nos dá condições de buscarmos esse entendimento por parte do governo de que o comércio, em especial os micro e pequenos, não pode continuar sendo sacrificados por mais tempo”, defende o presidente.

Sindilojas Caxias também almeja reabertura

O Sindilojas também adere ao posicionamento da CDL. O sindicato é a favor que o comércio varejista não essencial possa atuar na mesma proporção que outros segmentos do setor. Em nota, é reivindicado que os estabelecimentos atuem com 25% do quadro funcional e atendam regularmente os clientes.

A entidade defende que comércio aberto é sinônimo de segurança e respeito aos protocolos de saúde. Ela diz que os espaços colaboram para preservar a saúde dos caxienses para evitar a contaminação pelo coronavírus. Segundo a instituição, o uso de máscara é obrigatório para funcionários e clientes, é estimulado o uso do álcool gel nos estabelecimentos, cumprindo as regras para a prova de roupas e priorizando o atendimento limitado de clientes no interior da loja.  A presidente do Sindilojas Caxias, Idalice Manchini defende que os cuidados devem ser mantidos, independentemente do enquadramento de bandeira.

“A situação atual está insustentável. Os índices de saúde a cada dia se agravam mais e não podemos ficar mais na dependência da mudança de bandeira para abrir as portas. Queremos que haja um tratamento igualitário para o comércio como um todo. Da forma como está, o desequilíbrio entre quem cumpre a bandeira vermelha e quem ignora é evidente. Se é para atender, que seja com 25% dos funcionários e limitação de pessoas para o acesso aos estabelecimentos.”, acredita.

CIC Caxias mostra preocupação

A CIC Caxias apresenta-se muito preocupada com as restrições ao funcionamento de empresas e os possíveis reflexos das medidas sobre a atividade econômica local.

“Temos dito reiteradas vezes que a falta de previsibilidade está afetando os negócios e enfraquecendo a capacidade de as empresas manterem as vendas e, consequentemente, os empregos”, argumenta o presidente da entidade, Ivanir Gasparin.

Para ele, a população de Caxias e Região precisam continuar colaborando com o distanciamento social e evitando, sempre que possível, se expor ou expor outras pessoas ao risco de contágio.

Link para notícia no site Tua Rádio

Economista avalia impactos e tendências do mercado com a pandemia do novo Coronavírus

As incertezas que provoca a pandemia do novo Coronavírus, não estão restritas à seara da saúde, há um grande anseio para saber qual será o rumo da economia brasileira e global.

Na manhã desta segunda-feira, 27 de julho, o programa Temática ouviu a economista, e coordenadora do curso de Ciências Econômicas da UPF, professora Dra. Cleide Fatima Moretto, que falou sobre o primeiro impacto da crise econômica na vida dos brasileiros, e a tendência do mercado para os próximos meses.

Segundo ela, o Brasil, que tem como característica a produção ligada ao setor primário, não será tão abalado quanto outros países que têm base econômica distinta. Ainda assim, espera-se uma redução considerável do PIB, e retração da economia mundial.

Ela também avaliou a movimentação do Dólar e a desvalorização do Real, uma vez que há oscilações nas exportações e no ingresso de capital estrangeiro no país. Ouça.

Link para notícia no site Tua Rádio

Felipe Roso toma posse junto a diretoria do Sistema Fiergs/Ciergs

Se preferir, ouça este conteúdo no player de áudio da matéria

O empresário marauense Felipe Roso assumiu cargo junto a diretoria do Sistema Fiergs/Ciergs, que representa a classe empresarial do Rio Grande do Sul. A gestão 2020/2023 foi empossada há poucos dias, com o compromisso de, neste momento, defender o equilíbrio entre o isolamento social e uma dinâmica estável das atividades econômicas.

Em entrevista para a Tua Rádio Alvorada, Roso, num discurso otimista, revelou acreditar no papel do segmento, de ser gerador de emprego e de divisas. Porém, reforçou a necessidade dos incentivos governamentais, tanto na área estrutural quanto nas reformas tributária e administrativa que estão em análise.

Pelos próximos meses, as agendas de Roso junto ao Ciergs, será de forma virtual. A presidência do Sistema Fiergs/Ciergs segue com o empresário Gilberto Petry, reeleito para o cargo. A entrevista de Felipe Roso, na íntegra, está disponível no player de áudio.

Link para notícia no site Tua Rádio

Entidades do setor produtivo começam a apresentar sugestões para a Reforma Tributária

As primeiras sugestões de entidades ligadas ao setor produtivo gaúcho para a Reforma Tributária apresentada pelo governador Eduardo Leite na semana passada começaram a ser debatidas. Desde quarta-feira (22/7), encontros virtuais setoriais contaram com a presença de gestores das secretarias da Fazenda (Sefaz) e de Governança e Gestão Estratégica (SGGE) e da Procuradoria-Geral do Estado, além das entidades que apresentaram algumas das suas ponderações, como Fecomércio, Fiergs, Federasul e Farsul. As reuniões foram individuais e de acordo com as prioridades de cada segmento.

Durante a semana, a Secretaria da Fazenda também participou de reuniões para tratar da primeira fase da proposta de Reforma Tributária Federal, detalhada pelo Ministério da Economia. A proposta que trata da unificação de dois tributos federais e de medidas de simplificação não afeta em nada o trâmite do projeto do Rio Grande do Sul, que terá, nos próximos dias, intensificação do diálogo com a sociedade.

Os presidentes das entidades representativas da economia do Estado estiveram acompanhados de vice-presidentes, coordenadores técnicos e assessorias para apresentar suas primeiras análises sobre o conjunto de informações apresentadas pelo governo, que incluem minutas de textos a serem encaminhadas para a Assembleia nas próximas semanas.

O secretário Marco Aurelio Cardoso explicou que o objetivo dessas primeiras reuniões é ouvir, entender como cada entidade avalia o conjunto de propostas e avançar ao limite do possível das análises a partir das sugestões que começam a ser apresentadas. “Esse é o mesmo processo de diálogo conduzido pelo governador nas demais reformas, com fases de discussão com a sociedade até chegarmos aos projetos finais que serão encaminhados à Assembleia. Temos convicção de que a Reforma Tributária representa um grande avanço para a economia gaúcha, com mais simplificação, competitividade e justiça tributária, preservando, também, os atuais patamares de arrecadação”, disse.

Entre os pontos destacados pelo titular da SGGE, Claudio Gastal, nos encontros estão a amplitute e a consistência do projeto. “É uma reforma que desde a sua concepção atua sobre os grandes problemas do sistema tributário do Estado. Precisamos ver os benefícios globais desse projeto, que se somam a outras medidas estruturantes, como as reformas administrativa e previdenciária, privatizações e concessões, sobre as quais seguimos igualmente avançando”, afirmou.

Link para notícia no site Tua Rádio

Donos de restaurantes protestam a favor da reabertura para atendimento na bandeira vermelha, em Caxias

Manifestação ocorreu nesta sexta-feira (24), em frente à sede da prefeitura, com proprietários de estabelecimentos comerciais apoiando a causa

Manifestações para flexibilização de atividades na bandeira vermelha marcaram a sexta-feira (24/04), em Caxias do Sul. Em frente à sede da prefeitura, donos de estabelecimentos comerciais e restaurantes da cidade solicitaram um encontro com o prefeito Flávio Cassina (PTB), com o intuito de que fosse mediada uma conversa com o governo estadual para rever o Modelo de Distanciamento Controlado. A principal pauta era do setor gastronômico, que deseja abrir os empreendimentos para que a comunidade possa usar as mesas para consumo.

O movimento é nomeado como #somos essenciais. O Sindicato Empresarial de Gastronomia e Hotelaria (Segh) – Região Uva e Vinho –  foi um dos apoiadores do protesto. Em entrevista á Tua Rádio São Francisco, o presidente da entidade, Vicente Perini, explica que os proprietários acreditam que sejam essenciais para a população, uma vez que fornecem alimentação aos trabalhadores em seus intervalos. E, muitas vezes, os funcionários pedem a tele entrega e consomem o alimento em lugares inapropriados, necessitando de um espaço.

Sobre o encontro com Cassina, ele conta que a categoria foi recepcionada pelo prefeito. A justificativa do Executivo foi de que a Associação dos Municípios da Encosta Superior do Nordeste (Amesne) conversa com o Governo do Estado para que os líderes municipais tenham mais autonomia para decidir sobre o modelo de distanciamento. Também teria sido entregue um documento ao governador Eduardo Leite (PSDB) solicitando a demanda dos restaurantes. Outra pauta foi a dos comerciantes, que querem atendimento presencial nas lojas com, pelo menos, dois atendentes para cada dois clientes.

Perini avalia que os estabelecimentos gastronômicos possuem estrutura para seguir as normas sanitárias e atender com responsabilidade as pessoas. Desde a pandemia da gripe H1N1, em 2009, os locais possuem os procedimentos necessários de atuação. Há álcool em gel para os colaboradores, desde a cozinha até o atendimento, além da higienização das mesas e chão. A Covid-19 fez ampliar esse cuidado, com restaurantes adquirindo termômetros para aferição de temperatura e respeitando o distanciamento entre as mesas.

O protesto também contou com as categorias de bares e restaurantes, com apoio também da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) da cidade. O sindicato espera que até segunda-feira (27/07) haja uma resposta do Governo do Estado para as reivindicações. Nesta data, será escolhida oficialmente em qual bandeira a região de Caxias do Sul estará no modelo de distanciamento.

Link para notícia no site Tua Rádio

Setor de serviços apresenta queda de 13,7% na economia de Caxias do Sul em maio

No mês também foram desligados mais de dois mil trabalhadores com carteira assinada

A economia de Caxias do Sul cresceu 14,7% no mês de maio, em comparação a abril deste ano. A informação é da Câmara de Indústria, Comércio e Serviços (CIC) da cidade, que apresentou os resultados econômicos nesta quinta-feira (23/07), por videoconferência. Dos principais setores (Indústria, Comércio e Serviços), o ramo industrial puxou os indicadores positivos.

A categoria apresentou um crescimento de 28,5%. A Indústria foi seguida pelo Comércio, que teve um aumento de 20,8% em maio. O setor de Serviços destoou dos outros, exibindo uma queda de 13,7%. A economista e integrante da Diretoria De Economia e Finanças da CIC, Maria Carolina Gullo, explica que a diferença foi reflexo da flexibilização nas bandeiras para reabertura dos estabelecimentos no Rio Grande do Sul, efetuada pelo governo estadual e pela prefeitura. O segmento Serviços foi o menos impactado com as mudanças. Ela prevê que em junho a categoria possa apresentar melhoras. (Ouça a fala dela)

Os índices do mercado de trabalho diminuíram 2% no município em maio. Foram demitidos 2.887 trabalhadores formais de todos os ramos econômicos. A Indústria encerrou 1.911 vínculos empregatícios, encabeçando esse saldo negativo. Logo em seguida, o setor de Serviços, junto com a Agropecuária, fecharam 783 empregos. A área do Comércio desvinculou 193 pessoas dos postos de trabalho.

Segundo a economista, a maioria das indústrias caxienses trabalham sob demanda, ocasionando em mais ou em menos contratações de funcionários para atender aos pedidos. Caso estejam baixas as solicitações pelos produtos, colaboradores de áreas ligadas à produção são demitidos. Outra justificativa é que a categoria está em um processo de automatização para algumas atividades, substituindo a mão de obra pela tecnologia. (Ouça a fala dela)

Mesmo com o progresso, as três categorias mostraram resultados abaixo se equiparado ao mesmo mês do ano anterior. A Indústria caiu 19,9%, o Comércio 30,4% e o Serviços 38%.

Clique aqui e veja os indicadores econômicos completos do mês de maio.

Link para notícia no site Tua Rádio

Projeto de socorro a agricultores familiares é aprovado pela Câmara dos Deputados

A Câmara dos Deputados aprovou na última segunda-feira (20) uma série de medidas emergenciais que visam ajudar agricultores familiares impactados pela crise econômica

A Câmara dos Deputados aprovou na última segunda-feira (20) uma série de medidas emergenciais que visam ajudar agricultores familiares impactados pela crise econômica em decorrência da pandemia da Covid-19. O Projeto de Lei 735/20  de autoria do deputado Enio Verri (PT-PR) e de outros parlamentares — amplia o acesso ao auxílio emergencial e prorroga o prazo para pagamento de dívidas, por exemplo. O texto aprovado segue para análise do Senado. 

Autor do substitutivo, o deputado Zé Silva (Solidariedade-MG) incluiu os empreendedores familiares, pescadores, extrativistas, silvicultores e aquicultores entre os beneficiários das medidas. De acordo com o deputado Enio Verri, a expectativa é de que cinco milhões de famílias sejam beneficiadas com o PL. Ele afirma que os produtores eram “invisíveis” e o grupo que faltava ser alcançado com as medidas de socorro durante a pandemia. 

Auxílio

De acordo com o PL, o agricultor familiar que não recebeu o auxílio emergencial do Governo Federal vai poder receber R$ 3 mil em cinco parcelas de R$ 600. No caso da mulher ser a única provedora da família, o valor sobe para R$ 6 mil. Originalmente, o benefício financeiro pago pela Caixa Econômica Federal era destinado aos trabalhadores informais, microempreendedores individuais (MEI), autônomos e desempregados, também como forma de minimizar os impactos econômicos por causa da pandemia do novo coronavírus. 

Para ter acesso ao benefício, o agricultor familiar não pode ter emprego formal, nem receber benefício previdenciário, exceto o Bolsa Família ou seguro-desemprego de defeso. Além disso, a renda da família mensal por pessoa não pode ultrapassar R$ 522,50 ou R$ 3.135 no caso da soma dos rendimentos de todos os indivíduos da casa. 

O pagamento desse auxílio, caso a lei seja aprovada, seria feito pelos bancos federais por meio de uma poupança digital em moldes semelhantes ao que já ocorre com o auxílio emergencial. No caso de pessoas que não tenham acesso à tecnologia, o saque vai poder ocorrer nas agências bancárias por meio de CPF e RG. 

O acesso ao benefício ainda depende da pessoa estar cadastrada no CadÚnico do governo. Nos casos em que o potencial beneficiário não fizer parte do registro, deverá se cadastrar por meio de uma plataforma digital a ser disponibilizada por entidade credenciada na Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Anater). 

Suspensão de dívidas

O Projeto de Lei também promete socorro aos agricultores familiares e demais beneficiários incluídos pelo deputado Zé Silva em uma outra frente: a prorrogação de dívidas. O texto adia em um ano o pagamento das parcelas vencidas ou a vencer em 2020 que têm origem em financiamento contratados por agricultores e suas cooperativas de produção. A norma se aplica para dívidas contraídas no Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF). 

Além disso, quem está com alguma dívida rural daquelas previstas na Lei 13.340/16 vai ter um novo prazo para renegociar os débitos: 30 de dezembro de 2021. O prazo anterior acabou no fim do ano passado. A flexibilização vale para empréstimos obtidos junto aos fundos constitucionais de financiamento do Nordeste (FNE) ou do Norte (FNO). Autor do projeto, o deputado Enio Verri cita o auxílio e a suspensão das dívidas como medidas cruciais de socorro aos agricultores familiares. 

Linha de Crédito

O texto também autoriza o Conselho Monetário Nacional (CMN) a criar linhas de crédito rural no âmbito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). Pelo PL, poderiam acessar o financiamento de até R$ 10 mil os agricultores familiares com renda familiar de até três salários mínimos, o equivalente a R$ 3.135,00. 

Depois de obter o empréstimo, o beneficiário terá cinco anos para começar a pagar a uma taxa de 1% ao ano. De acordo com o projeto, a linha de crédito ficaria disponível até 30 de dezembro de 2021 e 20% do valor poderia ser usado para “manutenção familiar”. 

A taxa de juros cai para 0,5% ao ano e a parcela do vencimento tem 20% de desconto para pagamento em dia quando quem obtiver a linha de crédito for uma agricultora familiar e única provedora da casa, detalha o texto. 

Programa de Aquisição de Alimentos

O PL também prevê a criação de uma versão emergencial do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). Este programa compra alimentos produzidos pela agricultura familiar e distribui a pessoas em situação de insegurança alimentar e nutricional. Segundo o texto, o agricultor que não vendeu à Companhia Nacional de Alimentos (Conab) nos últimos dois anos vai ter a oportunidade de se cadastrar junto à entidade para poder comercializar sua produção durante a pandemia. 

O deputado Enio Verri explica que a ideia é garantir a continuidade da produção de alimentos da agricultura familiar, que sofreu com a interrupção das aulas em todo o país, já que as escolas da rede pública são responsáveis pelo consumo de boa parte dessa produção. Assim, o objetivo é garantir que a oferta permaneça direcionada para os estudantes mais vulneráveis, para consumo em casa. 

O programa emergencial estabelece uma compra no valor máximo de R$ 4 mil por unidade familiar produtora e de R$ 5 mil no caso da mulher agricultora.  

O PL aprovado pelos deputados também cria outras medidas. Entre elas, um Fomento Emergencial de Inclusão Produtiva Rural para agricultores familiares em situação de pobreza e extrema pobreza no valor de R$ 2,5 mil, que poderá ser usado para a elaboração de um projeto, que contemple, entre outras coisas, a construção de cisternas ou o uso de tecnologias para acesso à água. 

Estudos preliminares da assessoria técnica dos autores da proposta estimam que as medidas previstas no PL 735/20 devem custar mais de R$ 6 bilhões aos cofres públicos. 

 

Link para notícia no site Tua Rádio

Trabalhadores nascidos em janeiro poderão sacar valores do FGTS Emergencial no sábado, dia 25

A Caixa creditou na segunda-feira (20) o saque emergencial do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para trabalhadores nascidos em abril, na conta poupança social digital. Por hora, a movimentação poderá ser feita somente pelo aplicativo CAIXA TEM.

O novo saque tem como objetivo enfrentar o estado de calamidade pública em razão da pandemia de covid-19. No total, serão liberados, de acordo com todo o calendário, mais de R$ 37,8 bilhões para aproximadamente 60 milhões de trabalhadores.

Em entrevista à Tua Rádio Cacique, o superintendente de rede da CAIXA, Eduardo Rockenbach falou sobre o benefício e calendário de depósitos.

Segundo Rockenbach, todos os trabalhadores que têm direito receberão os valores automaticamente, o recurso fica disponível até 30 de novembro. Depois desse prazo, caso não tenha sido movimentado, o valor retorna ao fundo. Ouça a entrevista.

Nascidos em

Crédito na conta poupança social digital

Disponível para Saque em espécie ou transferência para outras contas

Janeiro

29/06/2020

25/07/2020

Fevereiro

06/07/2020

08/08/2020

Março

13/07/2020

22/08/2020

Abril

20/07/2020

05/09/2020

Maio

27/07/2020

19/09/2020

Junho

03/08/2020

03/10/2020

Julho

10/08/2020

17/10/2020

Agosto

24/08/2020

17/10/2020

Setembro

31/08/2020

31/10/2020

Outubro

08/09/2020

31/10/2020

Novembro

14/09/2020

14/11/2020

Dezembro

21/09/2020

14/11/2020

Link para notícia no site Tua Rádio

Entidades do comércio e empresariais manifestam apreensão com manutenção da bandeira vermelha

Sindilojas, CDL e CIC reivindicam revisão no modelo de Distanciamento Controlado

As lideranças de entidades do comércio e empresariais de Caxias do Sul lamentaram a permanência da Serra Gaúcha na bandeira vermelha do Distanciamento Controlado. A confirmação foi feita pelo governador Eduardo Leite na tarde desta segunda-feira (20). O Sindicato dos Dirigentes Lojistas (Sindilojas), a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) e a Câmara de Indústria, Comércio e Serviços (CIC) divulgaram nota afirmado que a medida resultará em mais prejuízos para o setor.

Segundo a CDL, um cálculo baseado nos números de arrecadação de ICMS estima que o comércio caxiense deixará de faturar R$ 3,3 milhões por dia na bandeira vermelha, representando uma queda de 53% nas vendas do setor, devido a suspensão dos atendimentos presenciais dos estabelecimentos não essenciais. O presidente da CDL Caxias, Renato Corso, ainda criticou o Poder Público quanto à liberação do retorno do futebol profissional: “Enquanto algumas atividades estão sendo retomadas, como é o caso do futebol, estabelecimentos que atendem poucas pessoas por dia não podem receber consumidores ou ainda o caso de centenas de profissionais de eventos, que não podem trabalhar, nem realizar atividades para até 30 pessoas, por exemplo. Perdeu-se a lógica do distanciamento”.

Para a presidente do Sindilojas Caxias, Idalice Manchini, o comércio da cidade tem respeitado os protocolos como a exigência do uso da máscara e o fornecimento do álcool em gel. Ela ainda afirmou que os cuidados reforçam o argumento de que o comércio oferece segurança aos clientes para manter as portas abertas, independente da bandeira vigente: “Estamos buscando, com o respaldo da Fecomércio, o direito de atender os nossos clientes com 100% de funcionários para a bandeira amarela, 75% na laranja, 50% na vermelha e até 25% na preta. Essa é uma saída coerente para que possamos manter os postos de trabalho. Precisamos buscar um equilíbrio entre a saúde e a economia”, propõe.

O presidente da CIC, Ivanir Gasparin, disse por meio de nota que as empresas estão tendo dificuldade para manter as atividades e os empregos devido à falta de previsibilidade. “As empresas já não têm mais como suportar as consequências deste modelo. É preciso encontrar meios de preservar a saúde pública sem comprometer a economia. A falta de previsibilidade afeta os negócios e enfraquece a capacidade de as empresas manterem as vendas e, consequentemente, os empregos”, argumentou.

As entidades também enviaram ao governador Eduardo Leite, uma solicitação para que seja feita a revisão do modelo do Distanciamento Controlado para que os municípios tenham maior autonomia na decisão de adoção dos protocolos.                  

Link para notícia no site Tua Rádio

Para atender demanda crescente, setor moveleiro contrata trabalhadores e amplia turnos em Lagoa Vermelha

A pandemia do novo Coronavírus e o distanciamento social tiveram um efeito positivo sobre o setor moveleiro. Diferente da maioria dos outros negócios, a indústria que produz móveis registrou aumento na demanda pelo produto.

Com as vendas subindo, as fábricas precisaram se adaptar ao crescimento inesperados, e estão contratando pessoas e ampliando os turnos de trabalho.

Em Lagoa Vermelha, a Doripel Móveis está abrindo mais um turno noturno, e deve contratar pelo menos 30 pessoas nesta semana.

Segundo o gerente comercial da empresa, novas vagas também devem ser abertas nas semanas seguintes. Ouça a entrevista e saiba mais.

Link para notícia no site Tua Rádio

CIC de Caxias do Sul entrega solicitações para mudanças na política das bandeiras ao governador Eduardo Leite

Documento foi encaminhado nesta quinta-feira (16/07), com assinaturas de instituições privadas e públicas da região da Serra Gaúcha

A Câmara de Indústria, Comércio e Serviços (CIC) de Caxias do Sul enviou uma correspondência ao governador Eduardo Leite solicitando mudanças na política do Modelo de Distanciamento Controlado do Rio Grande do Sul (RS), feito para o combate à Covid-19. O documento foi entregue nesta quinta-feira (16/07), com assinaturas de prefeitos, entidades patronais, deputados estaduais, presidentes de sindicatos e empresários da Região da Serra Gaúcha.

Entre os pedidos, estão fornecer mais autonomia aos prefeitos para lidar com os protocolos do governo estadual e flexibilizar algumas restrições de atividades econômicas contidas nas bandeiras, principalmente na vermelha e na preta. Em entrevista à Tua Rádio São Francisco, o presidente da CIC de Caxias, Ivanir Gasparin, visualiza que o principal objetivo é estabelecer uma rede de diálogo com o governador, mostrando as preocupações da classe empresarial nesta pandemia. Nesta falta de comunicação, ele cita que os líderes dos executivos municipais não possuem poder de escolha para a cor das bandeiras e observa que a Macrorregião de Caxias do Sul deveria sofrer desmembrada em pequenas regiões, a fim de evitar ações mais rígidas a cidades com indicadores baixos referentes ao novo coronavírus.

Quanto às flexibilizações, o Governo do Estado permitiu nesta semana que certas atividades fossem retomadas, respeitando as medidas sanitárias no RS. Para o comércio não essencial, os estabelecimentos podem atuar na bandeira vermelha, mediante atendimento por drive-thru ou pegue e leve. Gasparin avalia que essa pequena liberação auxilia os setores, mas acredita que o Estado precisa realizar mais políticas econômicas. Ele crê que esse intervalo de menos de uma semana para escolher qual a bandeira que as regiões vão ficar, impacta as atividades.

O melhor modelo

O presidente da entidade afirma que, mesmo com algumas oposições às decisões de Eduardo Leite, o Modelo de Distanciamento Controlado é a melhor opção para lutar contra a Covid-19. Ele destaca que só quer alterar poucos critérios do programa e pede que o governo estadual seja mais presente na disponibilização de ajuda sanitária aos municípios da região. Gasparin crê que os prefeitos e as entidades empresariais estão colaborando para a saúde da Serra Gaúcha e o governador necessita propor uma solução, como fornecer novos leitos ou construir hospitais de campanha para aumentar a capacidade de atendimento.

Gasparin confia que Leite responderá as reivindicações do empresariado, mesmo com as pressões sofridas desde o início da pandemia no RS. Por fim, ele acha que Caxias do Sul voltará para a bandeira laranja. A justificativa seria que os prefeitos se mobilizaram para custear recursos à prevenção do vírus, como abrindo novos leitos.

Confira a entrevista completa na aba “Ouvir Notícia”.

Link para notícia no site Tua Rádio

No Dia do Comerciante, presidente do Sindilojas avalia momento vivido pelo setor

Nesta quinta-feira, 16 de julho, é comemorado o dia do comerciante. Em entrevista para a Tua Rádio, o presidente do Sindilojas, Reinaldo Girardi falou sobre os desafios enfrentados pelos lojistas de Lagoa Vermelha.

De acordo com ele, os desafios são grandes, e a pandemia do novo Coronavírus desestabilizou o setor. Ele lamentou a impossibilidade de abertura das lojas, o desemprego e a inadimplência.

Ouça entrevista com Reinaldo Girardi.

 

Link para notícia no site Tua Rádio

LDO 2021 é aprovada com congelamento de orçamento em todos os Poderes

Os deputados estaduais aprovaram, durante sessão plenária virtual na tarde desta quarta-feira (15/7), o projeto de Lei 110/2020, que dispõe sobre as diretrizes para a elaboração da Lei Orçamentária para o exercício econômico-financeiro de 2021. A proposta foi aprovada de forma unânime, com 53 votos favoráveis.

Neste ano, em um acordo inédito construído pelo governador Eduardo Leite junto aos demais Poderes e órgão autônomos, a LDO 2021 fixou o duodécimo com fonte do Tesouro em R$ 5,9 bilhões no ano, mantendo o mesmo patamar do mês de abril deste ano. A partir disso, haverá uma economia de R$ 410 milhões aos cofres públicos, com a possibilidade de repetição do contingenciamento também em 2022. A LDO foi protocolada na Assembleia Legislativa em 14 de maio, com a presença de todos os chefes dos Poderes.

“Este acordo foi fruto de um bom entendimento entre o Executivo e os demais Poderes e órgãos autônomos, que demonstraram imensa solidariedade ao compreenderem a gravidade da situação que estamos enfrentando. Mostramos, todos juntos, que é possível haver entendimento e trabalho conjunto, em uma mesma direção, para atender os anseios da sociedade. Esse planejamento realista é necessário, especialmente em momentos de crise”, afirmou o governador Eduardo Leite.

O texto da LDO 2021 estabelece as despesas totais em R$ 51,482 bilhões. Com isso, o resultado primário (quando são desconsideradas algumas despesas, como os serviços da dívida), tem deficit estimado em R$ 3,9 bilhões, quase três vezes o que está projetado para este ano.

Além dos impactos da Covid-19 sobre a atividade econômica, a arrecadação do ICMS poderá registrar recuo de 6,7% em 2021 também em decorrência do fim das alíquotas majoradas no final do ano. A receita prevista com o principal tributo ficará em R$ 35 bilhões, o que igualmente trará reflexos nos repasses da cota-parte aos municípios.

As despesas com pessoal e os encargos sobre a folha estão projetados em R$ 32,529 bilhões – acréscimo de 5,8% na comparação com 2020. A proposta da LDO 2021 não considera ainda, nas suas projeções eventuais, auxílios federais ao longo do próximo ano e trabalha com cenários sem a adesão ao Regime de Recuperação Fiscal (RRF). Para efeitos orçamentários, são considerados os serviços da dívida com a União, embora o Estado não esteja pagando as prestações mensais desde julho de 2017, amparado por uma liminar do Supremo Tribunal Federal (STF). Isso representa um alívio ao redor de R$ 4 bilhões por ano sobre as contas públicas.

“A votação de hoje é o reflexo da incansável disposição ao diálogo do governador Eduardo Leite. É um acordo histórico que vai proporcionar uma contenção de mais de R$ 410 milhões e uma demonstração de solidariedade dos demais Poderes e órgãos autônomos do Estado”, reforçou o secretário-chefe da Casa Civil, Otomar Vivian. Além disso, Vivian destacou o esforço do Parlamento. “O protagonismo da Assembleia Legislativa, presidida pelo deputado Ernani Polo, e do líder do governo, deputado Frederico Antunes, foi reforçado com a aprovação unânime da LDO 2021”, finalizou.

Link para notícia no site Tua Rádio

Lagoa Vermelha: apesar da crise, empesas que trabalham com venda de móveis pela internet registram crescimento

A indústria moveleira de Lagoa Vermelha passa por um momento complicado, em função da crise econômica desencadeada pela pandemia do novo Coronavírus, a maioria das empresas teve prejuízo em função da queda das vendas.

Apesar disso, empresas que trabalham com o e-commerce, se fortaleceram durante o período e registraram crescimento de 30%. Ainda assim, o setor, que trabalha com vendas pela internet, representa pouco mais de 3% do faturamento da indústria local.

Em entrevista para a Tua Rádio Cacique, o presidente do SINCON e responsável pela Barcelona Móveis, Valter Ferreira da Silva e o gerente de Vendas, Exportações e Feiras da Evidência Móveis, Vinícius de Aguiar Trevisol, falaram sobre o movimento da economia local.

Segundo eles, o Auxilio Emergencial, liberado pelo Governo, e a alta do dólar seguraram, em partes, a queda das vendas. Ouça a entrevista e saiba mais.

Link para notícia no site Tua Rádio

Pegue e leve, drive-thru e tele-entrega: CDL avalia novas possibilidades de atendimento sob bandeira vermelha

Em entrevista à Tua Rádio Cacique na manhã desta terça-feira, 14 de julho, o presidente do CDL, Genoir Cerri avaliou o anúncio de bandeira vermelha feito na noite da segunda-feira, pelo governador do Rio Grande do Sul.

O protocolo restringe a atividade do comércio, limitando o acesso de clientes ao interior dos estabelecimentos. Apesar disso, o governador anunciou uma flexibilização para o setor, e agora, além da tele-entrega, os comerciantes poderão adotar o pegue e leve (take away) e drive-thru.

Além disso, há a possibilidade de o cliente acessar o interior da loja para pagamento de débitos.

Genoir voltou a pedir engajamento da população, para que sigam com o uso de EPI. Ouça a entrevista.

Link para notícia no site Tua Rádio