Soja, em patamares históricos, anima produtores para a nova safra

Nesta semana, o preço da saca de soja na região chegou a R$ 138,00

Nesta semana, o preço da saca de soja na região chegou a R$ 138,00. O valor da commodity forma-se a partir do indexador do buschel na Bolsa de Chicago, considerando as variáveis locais, atualmente, num cenário de aumento no valor do dólar perante o real e do prêmio, que é a lei da oferta e procura, indicando intenções de compra. Segundo o presidente da Acergs – Associação das Empresas Cerealistas do Rio Grande do Sul, Roges Pagnussat, o valor da soja está em patamares históricos e preço de porto, ultrapassa os R$ 145,00. Mesmo com o dólar tendo caído um pouco nos últimos dias, explica ele, a soja não baixou. Se preferir, ouça este conteúdo no player de áudio da matéria.

O reflexo desta alta, para a economia brasileira, é animador. Conforme o presidente, a balança comercial do agronegócio vem se mantendo positiva também pelo grau de exportação de soja. Neste sentido, ele entende que o primordial é dar condição para que o produtor produza mais com menores custos, para que se exporte o excedente. Ao contrário, uma produção mais voltada à exportação, acaba por elevar preços no mercado interno, inclusive nas gôndolas dos supermercados, a exemplo do que está sendo percebido com o arroz. No Porto de Rio Grande, 75% das movimentações estão relacionadas às exportações de soja. A entrevista, na íntegra, está disponível no ambiente de podcast.

Como tendência para a próxima safra, que já está em vias de implantação, Roges estima uma elevação na área plantada com a oleaginosa e também novos investimentos em tecnologia, considerando que cerca de 35% da safra 2020/2021 já esteja comercializada nas vendas futuras. “O produtor está confiante pois precisa se recuperar das perdas da safra passada. Neste período do ano passado, as vendas futuras chegavam a 38% para uma estimativa de safra de mais de 20 milhões de toneladas porém, foram colhidos apenas 13,5 milhões de toneladas”, explica o profissional, recordado da estiagem que atingiu o Rio Grande do Sul. Considerando isso, Roges finaliza defenendo que as lavouras de soja deverão receber o maior pacote tecnológico já aplicado por produtores, nos últimos tempos.

Link para notícia no site Tua Rádio

Prazo para Declaração Anual de Rebanho encerra em outubro

proprietários que não realizarem o processo podem receber multa

Outubro é o último mês para a realização da Declaração Anual Obrigatória de Rebanho, o prazo que foi prorrogado em 2020, devido a pandemia da Covid – 19, encerra no dia 31 de outubro. Como explica, Maurício Flores, médico veterinário responsável pela Inspetoria Veterinária e Zootécnica de Marau, cerca de 380 produtores dos municípios de Marau, Vila Maria, Nova Alvorada e Camargo ainda não realizaram o processo. 

De acordo com Maurício, a declaração é obrigatória para todos os produtores que tiverem animais de espécie de produção em suas propriedades (bovinos, equinos, caprinos, aves, peixes e abelhas). Como um processo de caráter obrigatório, a não declaração destes animais pode gerar multa de 60 UPFs (Unidade Padrão Fiscal), somada a 3 UPFs por animal não declarado.

Link para notícia no site Tua Rádio

Prazo para Declaração Anual de Rebanho encerra em outubro

proprietários que não realizarem o processo podem receber multa

Outubro é o último mês para a realização da Declaração Anual Obrigatória de Rebanho, o prazo que foi prorrogado em 2020, devido a pandemia da Covid – 19, encerra no dia 31 de outubro. Como explica, Maurício Flores, médico veterinário responsável pela Inspetoria Veterinária e Zootécnica de Marau, cerca de 380 produtores dos municípios de Marau, Vila Maria, Nova Alvorada e Camargo ainda não realizaram o processo. 

De acordo com Maurício, a declaração é obrigatória para todos os produtores que tiverem animais de espécie de produção em suas propriedades (bovinos, equinos, caprinos, aves, peixes e abelhas). Como um processo de caráter obrigatório, a não declaração destes animais pode gerar multa de 60 UPFs (Unidade Padrão Fiscal), somada a 3 UPFs por animal não declarado.

Link para notícia no site Tua Rádio

Fiscal agropecuária explica riscos das sementes enviadas do exterior

Pelo menos dez agricultores gaúchos relataram de recebido, sem solicitação, pacotes com sementes que foram enviados do exterior.

Os pacotes, aparentemente asiáticos, não devem ser abertos, segundo a engenheira agrônoma e fiscal estadual agropecuária da Secretaria Estadual da Agricultura do RS, Liese de Vargas Pereira.

Ela explica que essas plantas ainda não foram identificadas, e podem representar risco para o bioma brasileiro.

Liese orienta os produtores e população em geral, que, caso recebam pacotes de sementes não encomendados, entreguem o material nas Inspetorias ou Escritórios de Defesa Agropecuária (Inspetoria Veterinária) mais próxima do seu município.

Em Maringá, no Paraná, uma agricultora plantou as semente. De acordo com relatos, o pé cresceu rápido e passou a produzir muitas sementes. O espécime foi apreendido pelos órgãos locais.

Saiba mais ouvindo as entrevista.

Link para notícia no site Tua Rádio

Lagoense atua em projeto que pretende resgatar e conservar parte da diversidade genética da erva-mate no RS

Um projeto para resgatar, multiplicar e conservar o material genético de erva-mate (Ilex paraguariensis) de árvores matrizes selecionadas nos remanescentes florestais nativos no Rio Grande do Sul começa a ser estruturado como ação do Programa Gaúcho para a Qualidade e a Valorização da Erva-mate. O projeto tem previsão de início ainda neste ano, com intensificação nos cinco polos ervateiros do Estado a partir de 2021.

Em entrevista ao programa Conectado, o lagoense e engenheiro agrônomo e extensionista da Emater/RS-Ascar Ilvandro Barreto de Melo que está envolvido nesse projeto falou sobre a iniciativa e a importância da erva-mate.

Além de ser símbolo do Rio grande do Sul, muitos municípios tem o produto como primeira economia.

Segundo Ilvandro, só na região do município de Machadinho, são 490 famílias que trabalham com a produção de erva-mate, a região conta com uma grande estrutura exportando o produto para seis países.

Embora tenha alcance estadual, a formatação seguirá a estrutura geográfica dos polos ervateiros do RS, com a finalidade de respeitar ao máximo a característica e a distribuição das populações locais da espécie em acordo a cada região ervateira do Estado.

Segundo Melo, o projeto “permitirá conservar na linha do tempo, para as futuras gerações, parte da expressiva diversidade genética presente na árvore símbolo do Rio Grande do Sul, que além de economia, é cultura, convivência social, sustentabilidade, identidade e simbolismo do povo sul-americano”. Ouça a entrevista.

 

Link para notícia no site Tua Rádio

Qualidade: produtores de Lagoa Vermelha lançam Cooperativa de Carnes

Discussões realizadas entre membros do Sindicato Rural, fizeram nascer a ideia da criação de uma cooperativa de carnes em Lagoa Vermelha. Em reunião no último dia 15 de setembro, 24 criadores assinaram o estatuto e deram início ao projeto.

Além da produção do alimento, o grupo pretende mapear a cadeia de consumo da carne, e passar a fornecer o produto para o mercado local.

Antes de o abate ocorrer, por meio da Cooperativa, 47 passos deverão ser cumpridos pelo grupo. Nessas etapas, está previsto o desenvolvimento de uma logo marca, parceria com frigorífico já instalado, entre outros.

Quando houver o funcionamento efetivo, o consumidor poderá acompanhar no rótulo da embalagem da carne, informações sobre o corte, origem do animal, raça, idade, entre outros.

O inicio do trabalho está previsto para 2021. A sede da cooperativa será junto ao Sindicato Rural. Ouça a entrevista com Alisson Mondadori Hoffmann, integrante da Cooperativa de Carnes de Lagoa Vermelha.

Link para notícia no site Tua Rádio

Painel Fato Rural acontece na terça-feira com foco na inovação e teconologia para o campo

Evento é promovido pelo Jornal Fato Regional com apoio da Tua Rádio Alvorada

O jornal Fato Regional está organizando a primeira edição do Painel Fato Rural, com o tema “Inovação e Tecnologia no Campo”. Será uma exposição de produtos e tendências para a agricultura, com especialistas em implementos, gestão da propriedade rural, energia fotovoltaica e perspectivas para o mercado de grãos. O evento virtual acontece na terça-feira, 22/09, a partir das 19h, na página do Fato Regional no Facebook e também na página da Tua Rádio Alvorada.

Foram convidados como expositores e estarão falando sobre suas áreas de atuação, Daniel Ferrari – coordenador do setor de implementos rodoviários da empresa Robustec Indústria e Comércio; Janielen Pissolato Deliberal – coordenadora do curso de Gestão do Agronegócio da Fabe Marau; Ricardo Rizzotto – diretor/proprietário da EOS Solar Energias Renováveis e José Luiz Leite dos Santos – presidente da Coagrisol. A mediação do painel será de Nauro Nizzola, coordenador da Regional Sindical/Fetag de Passo Fundo. Também está prevista a participação especial do ex-Ministro da Agricultura, Francisco Sérgio Turra. O público poderá interagir com os painelistas mediante mensagens.

Link para notícia no site Tua Rádio

Preço do algodão sobe, mas não deve refletir no vestuário

Custo da fibra elevou em cerca de 20%, com influência do preço do dólar.

A pandemia do coronavírus também contribuiu na alta do algodão. Nos últimos meses, o custo da fibra subiu cerca de 20%. A influência principal é por conta do dólar. Porém, o setor avalia que a alta não vai refletir no custo do vestuário.

O presidente do Sindicato das Indústrias de Fiação, Tecelagem e Malharias (Fitemasul), Elias Biondo, explica que a indústria têxtil foi bastante afetada durante a pandemia. Entretanto, sobre o aumento no custo do algodão, entende que nos próximos meses as indústrias vão normalizar o estoque. Além disso, o varejo ainda está em processo de retomada nas vendas. Portanto, o consumidor não vai sentir o efeito.

(Ouça a entrevista entrevista na íntegra)

Link para notícia no site Tua Rádio

Safra de Verão 2020/2021 deve ser a segunda maior da história do Estado

Produção é estimada em 40% superior na comparação com a safra passada.

A Emater-RS/Ascar comunicou, nesta quinta-feira (17), que a safra de Verão 2020/2021 deverá ser a segunda maior da história do Rio Grande do Sul. São esperadas 32,5 milhões de toneladas dos grãos de verão (milho, feijão, arroz e soja).

A produção deverá ser 40,27% maior nesta safra comparando com a passada. A área plantada também aumentou em 1,85%, totalizando 7,8 milhões de hectares. O presidente da Emater-RS, Geraldo Sandri, explicou, em entrevista ao No Ponto da Tua Rádio São Francisco, que a soja continua a ser a maior cultura do Estado.

(Ouça a entrevista na íntegra abaixo do título)

Link para notícia no site Tua Rádio

Painel Fato Rural acontece na terça-feira com foco na inovação e teconologia para o campo

Evento é promovido pelo Jornal Fato Regional com apoio da Tua Rádio Alvorada

O jornal Fato Regional está organizando a primeira edição do Painel Fato Rural, com o tema “Inovação e Tecnologia no Campo”. Será uma exposição de produtos e tendências para a agricultura, com especialistas em implementos, gestão da propriedade rural, energia fotovoltaica e perspectivas para o mercado de grãos. O evento virtual acontece na terça-feira, 22/09, a partir das 19h, na página do Fato Regional no Facebook e também na página da Tua Rádio Alvorada.

Foram convidados como expositores e estarão falando sobre suas áreas de atuação, Daniel Ferrari – coordenador do setor de implementos rodoviários da empresa Robustec Indústria e Comércio; Janielen Pissolato Deliberal – coordenadora do curso de Gestão do Agronegócio da Fabe Marau; Ricardo Rizzotto – diretor/proprietário da EOS Solar Energias Renováveis e José Luiz Leite dos Santos – presidente da Coagrisol. A mediação do painel será de Nauro Nizzola, coordenador da Regional Sindical/Fetag de Passo Fundo. Também está prevista a participação especial do ex-Ministro da Agricultura, Francisco Sérgio Turra. O público poderá interagir com os painelistas mediante mensagens.

Link para notícia no site Tua Rádio

Novo manual da BRF reforça cuidados com produtores integrados

Orientações de boas práticas e normas de segurança se destinam a quase 10 mil produtores em 8 estados brasileiros

A BRF, uma das maiores companhias de alimentos do mundo, se preocupa em disseminar suas rotinas protetivas não apenas nas fábricas, mas em toda a cadeia, do campo à mesa do consumidor. Em sintonia com esse objetivo, a empresa acaba de lançar um guia que consolida as boas práticas e normas de segurança voltadas para os quase 10 mil produtores integrados de aves e suínos, distribuídos em mais de 360 municípios, de 8 estados brasileiros.

“Estamos lançando o Manual de Práticas Seguras na Agropecuária para disseminar os cuidados de forma rápida. É específico e direcionado para nossos integrados, conforme a realidade das granjas, reforçando nosso compromisso com a segurança”, explica o diretor de Agropecuária Corporativo da BRF, Guilherme Brandt.

Ao lado da Qualidade e da Integridade, a Segurança é um dos compromissos básicos da BRF. A meta é zero acidente, por isso toda ocorrência tem de ser reportada, para serem rastreadas as causas e mitigados os riscos. O manual, acessível para os integrados via Portal BRF e app AgroBRF, além da edição física que receberão, chama a atenção para os principais riscos de acidentes e as dicas para evitá-los.

Ao receber o guia, os integrados têm o compromisso de assinar a confirmação de terem conhecimento do manual e da responsabilidade de incorporar as boas práticas, com a consciência de que a saúde e a segurança deles, da família e de outras pessoas passam pelo seu comprometimento.

O conteúdo foi elaborado pelo time Corporativo e referendado pelas diretorias regionais, para ser executado em diferentes regiões do país e espelhar a realidade do dia a dia das granjas. O manual, alinhado com o Sistema de Excelência Operacional (SEO) e as Boas Práticas de Produção da Companhia, reforça as 10 regras de ouro da BRF para prevenir acidentes.

O lançamento do guia ocorreu durante webinar especial que reuniu os produtores integrados com a alta liderança da empresa, para dialogar sobre temas como cuidados e mudanças de rotinas decorrentes da pandemia de Covid-19, além de perspectivas de crescimento do negócio. Pela primeira vez foi programado um evento para reunir todos os produtores integrados, extensionistas e sanitaristas, além do Time Agro da empresa, somando cerca de 10 mil convidados.

Fonte: Imprensa BRF

Link para notícia no site Tua Rádio

Cotrijal celebra 63 anos com transmissão de shows online

A Cotrijal chega aos seus 63 anos com muitos motivos para festejar. É a maior cooperativa agropecuária do Rio Grande do Sul e mesmo neste ano desafiador segue deixando sua marca como uma fiel parceira do produtor e das comunidades onde está presente, gerando desenvolvimento econômico e social.

Para comemorar sua trajetória de sucesso, a Cotrijal brinda associados, colaboradores, clientes, fornecedores e a comunidade como um todo com evento on-line comemorativo ao aniversário, na noite de 14 de setembro.

A programação inicia às 19h30 e terá shows musicais, participação dos associados e de personalidades. Apresentado pelo tradicionalista Neto Fagundes, o evento será transmitido através do canal do YouTube e também pelo Facebook da Cotrijal. As grandes atrações são João Luiz Corrêa e o Grupo Campeirismo e a Banda Passarela.

O evento também marcará o lançamento da campanha comemorativa aos 63 anos e terá conteúdo que destaca a importância da presença da cooperativa na região.

Saiba mais sobre a atividade ouvindo a entrevista com o vice-presidente da cooperativa, Enio Schroeder.

Link para notícia no site Tua Rádio

Alunos da CESURG realizam levantamento sobre rebanho de bovinos na região

Por exemplo, Marau conta com 7.394 bovinos de corte, distribuídos em 1.120 propriedades

O Rio Grande do Sul possui o sexto maior rebanho bovino do Brasil. Dentre as cadeias produtivas pecuárias, a bovinocultura apresenta grande importância econômica, histórica e cultural no Estado. A pecuária de corte sempre foi mais intensa na região da campanha, porém nossa região vem ganhando cada vez mais adeptos a essa atividade. Com o objetivo de identificar o número de bovinos destinados a pecuária de corte nos municípios de Casca, Marau, Nova Alvorada, Montauri, David Canabarro e Guaporé, os alunos do 9º nível do curso de Agronomia da Faculdade CESURG Marau, na disciplina de Bovinocultura de Corte ministrada pelo professor Tiago Bordin, fizeram um levantamento utilizando dados fornecidos pela Inspetoria Veterinária e Zootécnica, Emater/RS-ASCAR e Secretarias da Agricultura de cada município.

Marau, conta com 7.394 bovinos de corte, distribuídos em 1.120 propriedades, dois frigoríficos para o abate, totalizando 2.200 cabeças abatidas mensalmente. Para atender a essa demanda de animais abatidos mensalmente por estes dois abatedouros o município teria que ter aproximadamente 19.006 bovinos, desta forma faz-se necessária a vinda de bovinos de fora do município. No município de Casca constam 4.347 bovinos destinados a bovinocultura a de corte e nenhum abatedouro para bovinos. Estes animais estão divididos em 102 propriedades focadas somente à criação de bovinos de corte e 96 são consideradas mistas, pois possuem animais também destinados à bovinocultura de leite.  

Nova Alvorada possui rebanho de 1.907 bovinos de corte, distribuídos em 95 propriedades rurais e não conta com nenhum abatedouro. David Canabarro possui um rebanho de 3.250 animais, distribuídos em 19 propriedades rurais. Montauri, possui um rebanho de 4.483 cabeças, porém não foram apresentados os dados que diferem quantos destes são destinados a produção de leite e quantos para o corte. Um dado curioso é que este município possui 3.6 bois para cada habitante. Já o município de Guaporé possui 2.449 cabeças de bovinos de corte.

De acordo com o professor Tiago Bordin, os dados demonstram a importância da atividade na nossa região e refletem a sua grandeza e o potencial de crescimento, que até então parecia estar mais ligada a região dos campos. “Estamos vivenciando um momento nunca visto antes na pecuária de corte brasileira, avançamos, ganhamos espaço no mercado mundial, desbancamos líderes fortes do ranking de maiores exportadores de carne bovina. Tudo isso graças ao esforço e investimentos em tecnologia que elevou não só a produtividade como também a qualidade do produto brasileiro, fazendo com que se tornasse competitivo e chegasse ao mercado de mais de 150 países”.

Segundo Bordin, a nossa região está se diversificando, abrindo espaço para novas alternativas e as propriedades rurais estão preparadas para este crescimento. “As projeções de preço do kg do boi gordo até o mês de dezembro deste ano são animadoras e tomara que se concretizem, pois nossos produtores aumentarão seu faturamento e o crescimento desta atividade na nossa região se tornará um grande destaque’ finalizou o professor.

Link para notícia no site Tua Rádio

Estimativa inicial da Emater/RS aponta que safra de verão pode ser a segunda maior do Estado

Depois de severa estiagem, a agricultura gaúcha se recupera. É o que aponta a primeira Estimativa da Safra de Verão 2020/2021 da Emater/RS-Ascar, conveniada da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr). O levantamento indica a segunda maior safra gaúcha da história.

Em área total de 7,8 milhões de hectares (1,8% superior ao período anterior), deverá haver produção 40,2% maior do que a safra passada, alcançando 32,5 milhões de toneladas dos principais grãos de verão (soja, milho, arroz e feijão). A maior safra do Estado foi em 2017, com mais de 33,6 milhões de toneladas de grãos colhidos.

Devido à pandemia e ao isolamento social, os dados foram divulgados em entrevista coletiva de imprensa virtual, na manhã desta quinta-feira (10/9). Participaram o secretário da Agricultura, Covatti Filho, e o presidente da Emater/RS, Geraldo Sandri. Cerca de 110 pessoas acompanharam o lançamento da estimativa por meio da transmissão no Facebook e no Youtube.

De acordo com o levantamento, a soja tem a expectativa de maior aumento na produção (68,8%) e na produtividade (65,7%) em relação à última safra, possibilitando colheita de cerca de 19 milhões de toneladas. É projetado rendimento de 3,1 toneladas por hectare, em área de 6 milhões de hectares, apenas 1,6% maior que no ano anterior.

Segundo o diretor técnico da Emater/RS Alencar Rugeri, os dados apresentados foram coletados de 7 a 21 de agosto. “É importante ressaltar que estão baseados na tendência apresentada pelas produtividades médias municipais registradas ao longo dos últimos 10 anos. E, por isso, estão muito acima do resultado obtido na última safra que foi prejudicada pela estiagem”.

Confira a estimativa para os demais grãos de verão

Milho
Área: 786,9 mil ha (+4,7%)
Produção: 5,9 milhões ton (+43%)
Produtividade: 7,5 ton/ha (+34,8%)

Arroz
Área: 967,4 mil hectares (+1,7%)
Produção: 7,5 milhões ton (-2,1%)
Produtividade: 7,8 ton/ha (-3,9%)

Feijão primeira safra
Área: 37,3 mil ha (+0,8%)
Produção: 64,5 mil ton (+19%)
Produtividade: 1,7 ton/ha (+17,6%)

Milho silagem
Área: 356,8 mil hectares (+0,7%)
Produção: 12,9 milhões ton (+43%)
Produtividade: 36,2 ton/ha (+41,6%)

Link para notícia no site Tua Rádio

Inspetoria orienta produtores quanto ao final da campanha de vacinação contra a Aftosa

A partir do reconhecimento de zona livre da aftosa sem vacinação, por parte do Ministério da Agricultura, os criadores de gado e búfalos no Rio Grande do Sul não precisarão mais vacinar os rebanhos.

Ainda assim, conforme o chefe da Inspetoria Veterinária e Zootécnica de Lagoa Vermelha, Márcio Chilante, os produtores precisam se manter vigilantes e acompanhar a criação. De acordo com ele, o Estado também intensificará o monitoramento desses rebanhos.

Chilante disse que a declaração de rebanho continuará sendo exigida. O anuncio de zona livre sem vacinação deverá abrir novos mercados para a carne gaúcha, já que outros países dão preferência às regiões com o selo.

Lagoa Vermelha possui aproximadamente 31 mil cabeças de gado. Ouça a entrevista e saiba mais.

Link para notícia no site Tua Rádio

Encerra na sexta o prazo de inscrição para recebimento de sementes de milho

Programa em parceira com a Syngenta vai distribuir sementes gratuitas para produtores de leite

Encerra na próxima sexta-feira, 11/09, o prazo para os produtores de leite de Marau, vinculados a uma indústria de laticínios, demonstrarem interesse em participar do programa que vai distribuir sementes de três cultivares de milho, voltado para silagem e grão. É uma parceria entre a Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, Emater, Prefeitura Municipal e a multinacional Syngenta.

A marca está fornecendo 20 mil sacas de sementes em 254 municípios gaúchos. Em Marau, segundo Elder Dal Prá, chefe do escritório municipal da Emater, são 136 produtores que podem se beneficiar com o recebimento gratuito das sementes. A classificação, conforme ele, foi feita pelo governo estadual e considera alvo produtores que tiveram índice de produção entre 100 e 300 litros por dia, no ano de 2019 com incremento de produção no comparativo com 2018.

As inscrições podem ser feitas na Emater ou na Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural. A única contrapartida dos produtores, conforme explica Dal Prá, é o produtor beneficiado participar de pelo menos um evento de capacitação a ser oferecido no decorrer dos próximos meses, pelo município ou na região. Mais informações pelo telefone 3342.1944. Você pode ouvir mais detalhes no conteúdo em áudio, disponível no player desta matéria.

Link para notícia no site Tua Rádio

Fepam emite licença para instalação de primeira usina de etanol a partir da batata-doce

A Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) emitiu nesta sexta-feira (4/9) a Licença Prévia e de Instalação Unificadas da primeira usina de etanol no Rio Grande do Sul. O que diferencia este empreendimento é que ele utilizará batata-doce como matéria-prima, enquanto os demais têm como base cana-de-açúcar.

Para a presidente da Fepam, Marjorie Kauffmann, “empreendimentos como esse são de extrema importância, principalmente em um Estado agrícola como o Rio Grande do Sul, porque possibilitam a variação de matéria-prima e ajudam a manter a sustentabilidade econômica”. Com a licença, o empreendedor está autorizado a instalar a usina, que será construída em uma área de três hectares no município de Carazinho.

O empresário Henrique Sudbrack Leonhardt, que trouxe a ideia após uma visita a uma usina no Mato Grosso, identificou no Rio Grande do Sul um grande potencial para produzir etanol a partir da batata-doce, já que o Estado é um dos maiores produtores do país. Segundo ele, mais de 400 famílias da agricultura familiar serão beneficiadas. “Essas famílias cultivam batata-doce há dois anos, com produção específica para a usina na transformação em etanol”, informou.

Toda a mão de obra utilizada é do Rio Grande do Sul e, além das famílias beneficiadas, cerca de 50 pessoas serão empregadas, quando a usina estiver em funcionamento. De acordo com Leonhardt, haverá aproveitamento de 100% da batata-doce. O álcool será utilizado nos postos da família, e o farelo, vendido para a indústria de ração.

Para a usina começar a funcionar, ainda é preciso a emissão da licença de operação por parte da Fepam, após solicitação do empresário e análise dos técnicos da fundação.

Link para notícia no site Tua Rádio

Rogério Timbola é eleito presidente do Sindicato Rural de Marau

Posse será na próxima terça-feira, em evento fechado para evitar aglomerações

 Foi finalizado o processo eleitoral do Sindicato Rural de Marau. Dos cerca de 200 associados aptos a votar, um total de 52 esteve na entidade para dar seu aval à nova diretoria. A votação consistia em sim ou não, por se tratar de chapa única. Todos os votos foram favoráveis. Com isso, Rogério Timbola – produtor rural e técnico agropecuário, assume a presidência do sindicato nos próximos três anos. A posse acontece na próxima terça-feira, 08/09, em evento fechado para evitar aglomerações.

Timbola dá sequência a um trabalho de quase 40 anos que vinha sendo feito pelo produtor Miguel Brocco. Em sua diretoria, o novo presidente terá Glaucio Ribeiro como vice, Suzana Rigo e Julia Bortoluzzi como secretárias, Pércio Brocco e Antonio Gilmar Borges como tesoureiros. Na suplência da nova gestão estão Cláudio Trichez, Rosanio Zanco, Dirceu Argenton, Adelar Macagnan, Volnei Triches e Osmar Zanin. O conselho fiscal é formado por Selvino Pasa, Jorival Basso e Rodrigo Coradi (efetivos) e Altair José Perin, Ademir Rodigueri e Henrique Manica (suplentes).

Link para notícia no site Tua Rádio

Maior e mais moderno evento do agronegócio, Expointer 2020 Digital será de 26 de setembro a 4 de outubro

A maior feira agropecuária da América Latina não vai passar em branco no calendário deste ano. Pelo contrário. Lançada nesta segunda-feira (31/8) com o nome de Expointer 2020 Digital, esta edição, que ocorrerá de 26 de setembro a 4 de outubro, promete ser lembrada como o maior e mais moderno evento do agronegócio em plataformas digitais já realizado do Brasil.

O formato inovador foi apresentado em transmissão ao vivo nas redes sociais com participação do governador Eduardo Leite e do titular da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), Covatti Filho, além da presença, por vídeo, dos secretários Marco Aurelio Cardoso (Fazenda), Arita Bergmann (Saúde) e Otomar Vivian (Casa Civil) e de representantes de entidades copromotoras e patrocinadores.

“Quem lida com agronegócio já enfrenta as intempéries e, aliás, começou o ano enfrentando uma grande estiagem, mas estamos aqui hoje, participando de mais uma Expointer, e os produtores celebram as suas próprias façanhas, superando as dificuldades. Agora que a pandemia, infelizmente, não nos permite estarmos juntos no parque Assis Brasil, partimos para o que a tecnologia nos proporciona, que é nos aproximarmos e nos conectarmos virtualmente para que possamos divulgar as nossas potencialidades e celebrar negócios, movimentando a nossa economia a partir do agronegócio”, disse o governador.

Leite destacou, ainda, que esta edição histórica da feira será realizada justamente no ano em que a casa oficial da Expointer, em Esteio, completa 50 anos:

“O Parque de Exposições Assis Brasil que, ao longo dos seus 50 anos, recebeu milhares de visitantes, hoje não recebe visitas, mas vai visitar a cada um através do mundo virtual. E com a ajuda da tecnologia, vai alcançar as diferentes frentes em que a Expointer atua, agricultura familiar, maquinário, inovações e avançada genética, tudo na casa e no escritório de quem lida com agronegócio, a partir da internet. É um esforço louvável de governo, principalmente através do secretário Covatti, de todas as entidades copromotoras e dos produtores gaúchos, digno dos maiores aplausos”, afirmou o governador.

Conforme o secretário da Agricultura, o modelo da Expointer 2020 Digital será híbrido: ao mesmo tempo em que vai oferecer atividades presenciais no parque, respeitando todos os protocolos de saúde e distanciamento social por causa da pandemia, terá transmissão integral e ao vivo em uma plataforma digital exclusiva do evento, disponível em www.expointer.rs.gov.br (o site está em atualização).

“Será a primeira Expointer on-line da história e vai criar novas possibilidades de negócios, ampliando a rede de contatos dos produtores, indústria e todos os demais segmentos do agronegócio”, disse Covatti.

Com ajuda da tecnologia, a Expointer 2020 Digital viabilizará negócios de forma moderna e ágil em âmbito regional, nacional e pelo mundo todo. A exposição de máquinas agrícolas já começou no último final de semana. Segundo o Sindicato da Indústria de Máquinas e Implementos Agrícolas no Estado (Simers), a plataforma on-line criada pela entidade (www expointerdigitalagro.com.br) já recebeu mais de 4 mil clientes e com origem em 10 países além do Brasil. 

As atividades tradicionais da Expointer, como competições, entre as quais o Freio de Ouro, apresentações e leilões, serão realizadas de forma presencial, sem a participação de público visitante e observando os protocolos de saúde, mas transmitidas integralmente pela internet.

“É uma das únicas feiras da América Latina que se realizará com todos os cuidados sem presença de público neste ano de 2020. É um formato seguro que mostra a força e a pujança da Expointer e de todos que fazem o evento. Afinal, é muito mais do que uma exposição agropecuária, é um patrimônio do RS”, pontuou Leonardo Lamachia, presidente da Federação Brasileira das Associações de Criadores de Animais de Raça (Febrac).

Um dos espaços oficiais mais visitados da feira, o Pavilhão da Agricultura Familiar também terá inovação. Os agricultores poderão expor seus produtos no local, mas gerar negócios em vendas on-line e em salas de negociação. Com uma vitrine que extrapola o espaço do Assis Brasil, os clientes poderão ir buscar seus produtos no parque, em um sistema inovador de drive-thru, sem sair do carro, ou pedir tele-entrega.

“A Expointer Digital nunca vai substituir o contato pessoal no parque e o aperto de mão por celebrar um negócio, mas tenho certeza que será um sucesso e em 2021 vai se agregar ao formato presencial, multiplicando a força e o potencial da nossa feira”, afirmou o prefeito de Esteio, Leonardo Pascoal.

A seguir, veja alguns dos recursos inéditos da Expointer Digital, disponíveis no site:

QUATRO CANAIS DE TV WEB
Desenvolvida exclusivamente para a Expointer 2020, a plataforma de transmissão ao vivo do evento conta com quatro canais de TV web, que exibirão todos os conteúdos de interesse dos produtores e a programação dos nove dias da exposição.

Canal Expointer Digital: vai exibir toda a programação, com as provas técnicas, leilões, agendas de acontecimentos, debates, entrevistas e muita informação para quem vive o agronegócio e também para o público em geral (que este ano não terá acesso ao parque por causa da pandemia), em conteúdos também veiculados em telejornais e boletins produzidos por equipes de reportagem.

Canal do Agro: envolverá o universo do agronegócio em todas as suas nuances, mostrando as novidades tecnológicas, o contexto do plantio, dos maquinários e implementos agrícolas, dos mercados, a pesquisa e os avanços científicos ligados ao mundo rural.

Canal da Pecuária: abordará tudo que envolve a criação das raças exibidas na Expointer, com participação de produtores e especialistas ligados ao segmento. Além dos animais expostos na feira, o canal exibirá leilões, lançamentos, provas técnicas e de morfologia, competições e outras atividades, com muita informação em debates e entrevistas voltados para os produtores.

Canal Shows: exibirá as apresentações artísticas da programação da feira, em lives com dezenas de grupos musicais.

PORTAL EXPOINTER DIGITAL 2020

Para exposição das marcas e viabilização dos negócios, foram criados espaços exclusivos em três modelos: ouro, prata e padrão.

Modelo ouro
Possibilitará ao expositor funcionalidades como grade de programação com dia, horários e temas de programas com veiculação nos canais de TV web da feira. Haverá salas de negociação, com atendimento de clientes via videocall e possibilidade de agendamento de reunião. Os visitantes poderão falar também via chat com um consultor, além de outro espaço exclusivo de bate-papo para conteúdos do expositor em formato webinar ou reunião, como nas plataformas Zoom ou Meet.
Os visitantes poderão, ainda, aproveitar um espaço para transmissão de lives próprias ao vivo ou gravadas, com conteúdos restritos, exclusivos para com acesso através de vouchers enviados pela própria ferramenta.
O produtor ou marca expositora terá também espaço dedicado à apresentação de produtos e serviços com cliques para suas páginas de seus sites, e a agenda de conteúdos do seu canal próprio de bate-papo.

Modelo prata
Terá praticamente todas as funcionalidades do Ouro, como a grade de programação dos canais da Expointer 2020 Digital. As Salas de Negociação e do Fale com o Consultor. Playlist própria e conteúdos em destaque, que podem ser ao vivo ou gravados, e ainda espaço dedicado à apresentação de produtos, com links às paginas em seu site.

Modelo padrão
O estande padrão vem com funcionalidades como o Fale com o Consultor, conteúdo em destaque, ao vivo ou gravado, e também espaço para produtos e serviços lincados às páginas de seu site.
Para as associações e criadores de raças, a Expointer 2020 Digital planejou, além das transmissões de leilões, provas técnicas e provas de morfologia ao vivo no Canal da Pecuária, a catalogação dos animais não rematados e suas fichas técnicas, com clique para atendimento via WhatsApp para possíveis negociações direta entre interessado e o representante do animal.

EXPOSIÇÃO E COMÉRCIO DA AGRICULTURA FAMILIAR
Além de um espaço físico especial no parque, os pequenos produtores de estrutura familiar terão um ambiente virtual de negócios na plataforma. Lá estarão seus produtos organizados e expostos com fácil visualização, podendo viabilizar negócios com pedidos de compra via WhatsApp com possibilidade de entrega em domicílio (tele-entrega) ou busca no parque (pegue-leve).

Respeitando as regras de distanciamento social, foi montada uma estrutura tipo drive-thru para que os compradores retirem seus produtos sem sair dos carros e sem contato físico com os entregadores.

ESPAÇOS PARA MÍDIA
A plataforma da Expointer 2020 Digital oferece também um recurso exclusivo para as empresas de comunicação, que darão link direto para suas programações em seus sites ou canais de transmissão.

INDÚSTRIA DE MÁQUINAS
Neste ano, não haverá exposição de máquinas e implementos agrícolas, mas o setor também terá espaço na Expointer 2020 Digital para comercialização e lançamento de seus produtos. A exposição virtual organizada pelo Sindicato das Indústrias de Máquinas e Implementos Agrícolas no Rio Grande do Sul (Simers) já começou no último sábado (29/8).

No portal, produtores rurais podem se conectar com vendedores de máquinas e implementos de forma fácil sem sair de casa. As vendas pela plataforma seguem até o dia 6 de setembro. Depois, o endereço continuará disponível, com os contatos das empresas.

Ao lado do governo do Estado, as entidades copromotoras da Expointer são Farsul, Febrac, Fetag, Ocergs e Simers, além da prefeitura de Esteio.

Link para notícia no site Tua Rádio

"O comum não é mais o lugar da gente", diz ex-presidente da ABPA, ao incentivar a diversidade rural

Se preferir, ouça este conteúdo no player de áudio da matéria

Há cerca de 15 dias, o marauense Francisco Turra deixou a presidência da ABPA – Associação Brasileira de Proteína Animal. Desde então, passou a atuar no conselho consultivo da entidade e a liderar uma nova iniciativa: Turra – Consultoria em Agronegócio. Significa que, paralelamente, o marauense apoiará de forma institucional o novo presidente da associação, Ricardo Santin, e autará como palestrante em eventos, conversando, num primeiro momento, sobre o que será do agronegócio no pós-pandemia.

Em entrevista para a Tua Rádio Alvorada, nesta segunda-feira, 31/08, ele respondeu parte deste questionamento: o que vem pela frente, no setor primário? Segundo o ex-ministro, o rural está ganhando um novo significado. Turra revela que durante estes seis meses de enfrentamento a Covid-19, pôde-se perceber em vários países mundo, um retorno ao meio rural, na expectativa de uma vida mais tranquila. Essa tendência, segundo ele, também se revela no Brasil.

“Hoje em dia, o interior está mais valorizado do que nunca. Antigamente se tinha a ideia de que agricultura era produzir soja, milho. Tudo bem, é muito importante. Mas hoje em dia tem gente que com a produção de lúpulo fica feliz e ganha dinheiro. O mel está ganhando muito espaço. As pessoas tem que se especializar, incentivar o filho a estudar. O comum não é mais o lugar da gente”, diz ele.

O agronegócio, como defende Turra, não tem tamanho de propriedade. O que precisa é visão, criatividade, conhecimento e gestão. Ele cita o exemplo da cidade de Holambra, em São Paulo, polo da produção brasileira de flores, que nos primeiros seis meses deste ano, aumentou em 30% a sua produção e também a exportação. A entrevista, na íntegra está disponível no box de podcast.

Link para notícia no site Tua Rádio

Produtores de leite de Marau são beneficiados em programa que oferta sementes de milho

Se preferir, ouça este conteúdo no player de áudio da matéria

Marau é um dos 254 municípios gaúchos beneficiados com um novo programa voltado aos produtores de leite, executado em parceria entre a Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, Emater, Prefeitura Municipal e a multinacional Syngenta. A marca está fornecendo 20 mil sacas de sementes de três cultivares de milho, sendo duas indicadas para a produção de silagem e uso na alimentação animal e outra para o cultivo do grão.

Segundo Elder Dal Prá, chefe do escritório municipal da Emater, são 136 produtores que podem se beneficiar com o recebimento gratuito das sementes. A classificação, conforme ele, foi feita pelo governo estadual e considera alvo produtores que tiveram índice de produção entre 100 e 300 litros por dia, no ano de 2019 com incremento de produção no comparativo com 2018. Esses produtores, de acordo com Dal Prá, podem, a partir desta segunda-feira, 31/08, manifestar interesse no programa, fazendo contato diretamente com o escritório local da Emater ou com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural.

O prazo de inscrição encerra no dia 11 de setembro. A única contrapartida, explica o profissional, é o produtor beneficiado participar de pelo menos um evento de capacitação a ser oferecido no decorrer dos próximos meses. Ainda de acordo com Elder Dal Prá, na região, o município de Marau é o que possui o maior número de produtores no extrato beneficiado pelo programa, que também considera a ligação destes produtores, com as empresas beneficiadoras. Além disso, as sementes que serão distribuidas em toda a região ficarão armazenadas em Marau.

Link para notícia no site Tua Rádio

Pesquisadores falam sobre projeto que busca o melhoramento genético de carneiros

O programa Conectado da manhã desta sexta-feira, 28 de agosto, conversou com o professor da faculdade de Medicina Veterinária da UPF, Ricardo Zanella, e com o estudante, bolsista do curso, Luiz Arthur Legal. Os dois estão à frende de uma pesquisa com foco nas biotécnicas reprodutivas, para melhoramento genético de carneiros.

Os cientistas encontraram em Lagoa Vermelha um parceiro para o desenvolvimento do trabalho. O produtor Cesar Magrin, contribui fornecendo alguns dos animais.

A pesquisa, que iniciou no ano passado, já mostra bons resultados e representa o primeiro passo de uma caminhada que deve culminar em carneiros com características que permitirão maior ganho de peso, por exemplo. Ouça a entrevista e saiba mais.

Link para notícia no site Tua Rádio

Eleição do Sindicato Rural de Marau está confirmada para a próxima semana

Se preferir, ouça este conteúdo no player de áudio da matéria

Em Marau, o ano de 2020 também ficará marcado pela transição da presidência do Sindicato Rural. Após 39 anos no comando da entidade, o produtor rural Miguel Benjamin Brocco passará o cargo para o médico veterinário Rogério Timbola. A eleição, num primeiro momento, estava marcada para abril porém, precisou ser adiada em função da pandemia de coronavírus. O pleito, simbólico, está confirmado para os dias 31 de agosto e 1º de setembro, próximas segunda e terça-feiras.

Em entrevista para a Tua Rádio Alvorada, Brocco explica que são em torno de 200 associados aptos a votar e que todas as medidas de segurança em saúde serão observadas durante o pleito. O Sindicato Rural estará recebendo os votos de sim ou não entre 8h e 17h, ininterruptamente. Os nomes que compõem a chapa, além de Timbola, são Gláucio Ribeiro como vice-presidente, Suzana Rigo como primeira secretária, Julia Bortoluzzi como segunda secretária, Percio Brocco como primeiro tesoureiro e Antônio Gilmar Borges como segundo tesoureiro.

Confira a chapa completa clicando aqui.

Link para notícia no site Tua Rádio

Carneiros criados em Lagoa Vermelha são utilizados em estudo da UPF sobre biotécnicas reprodutivas

Curso de Medicina Veterinária desenvolveu treinamento e práticas na área que se consolidaram com o nascimento dos cordeiros nas últimas semanas

O nascimento de cordeiros registrado no Cepagro da UPF, nas últimas semanas, são resultados de cuidados intensos dedicados aos ovinos durante todo seu ciclo de desenvolvimento. Desde o final do último ano, professores e estudantes de Medicina Veterinária têm se dedicado ao estudo de biotécnicas reprodutivas em pequenos ruminantes.

Nesse sentido, um treinamento realizado com a Associação Gaúcha de Buiatria foi realizado e abordou práticas referentes a coleta e manipulação de sêmen ovino, bem como a inseminação artificial por meio de laparoscopia.

O professor do curso de Medicina Veterinária, Dr. Ricardo Zanella, explica que a inseminação artificial é uma técnica utilizada há muitos anos para implementar o ganho genético dos animais, porém na ovinocultura existem poucos profissionais capacitados para a realização desta técnica.

O curso ministrado pelo médico veterinário Pedro Nacib Jorge Neto, da IMV, foi destinado a 15 acadêmicos. Após a formação, os bolsistas e estagiários do Laboratório de Biotecnologia da Reprodução Animal da UPF, juntamente com os residentes do curso de Medicina Veterinária, utilizaram no rebanho de ovinos do Cepagro a prática desta biotécnica para a temporada reprodutiva 2020. 

Segundo o acadêmico Luiz Artur Legal, a oportunidade foi única. “Conseguimos realizar todo o processo desde a formulação do protocolo para a sincronização do cio e da ovulação, bem como a realização das Inseminações por laparoscopia, e ao final realizamos o diagnóstico gestacional com o uso da ultrassonografia”, detalha,

Mesmo sendo a primeira prática realizada, os resultados das taxas de prenhezes foram superiores aos esperados. “Ficamos muito otimistas com os nossos resultados iniciais”, comenta o residente Jerbeson. Nesta temporada foram inseminadas mais de 60% do rebanho de ovinos do Cepagro utilizando a técnica.

Para o desenvolvimento deste trabalho, foi utilizado material genético de excelentes animais, fornecido pelo proprietário da Cabanha da Lagoa, de Lagoa Vermelha, Cezar Magrin. “Os acasalamentos foram todos direcionados para corrigir algumas características nossos animais”, relata o professor Ricardo Zanella.

O sêmen dos carneiros foi coletado em Lagoa Vermelha e criopreservado no Laboratório de Biotecnologia da Reprodução da UPF, utilizando diluente produzido pelos próprios bolsitas, conforme conta Lucas Lof ao ressaltar, ainda, a importância da pesquisa na produção animal.

As práticas proporcionadas pela UPF, ultrapassam as barreiras entre os estados. Orientado pelo professor Ricardo Zanella, o acadêmico Luiz Artur orientou o protocolo de sincronização de um grupo de fêmeas da raça Dorper localizadas na cidade de Jaraguá do Sul, em Santa Catarina.

O estudante ainda realizou as inseminações por laparoscopias no dia 11 de julho durante o período de pandemia.  Ao realizar o diagnóstico gestacional aos 29 dias foi verificado 100% de taxa de prenhes.

O resultado foi satisfatório tanto para o acadêmico, quanto para o proprietário, visto que existe um custo elevado vinculado com a utilização destas biotécnicas. De acordo com o proprietário, Rafael Nones, da cabanha Estrela do Vale, onde as inseminações foram realizadas, a postura profissional e técnica conduzida pelo acadêmico do nono semestre do curso de Medicina Veterinária mostra o diferencial na formação profissional pela UPF.

*Texto: UPF

Link para notícia no site Tua Rádio

Reuniões com entidades ligadas ao agro debatem pontos da Reforma Tributária

Tema foi comentado pelo deputado Sérgio Turra

Otimista com a retomada da economia, o deputado estadual Sérgio Turra (Progressistas) revelou sua expectativa com o anúncio do PIB Brasileiro, que acontece daqui há alguns dias. Ele acredita num dado superior ao projetado, especialmente em função do agronegócio que, em sua opinião, mais uma vez se mostra essencial ao país.

Para se ter uma ideia, foram mais de R$ 60 bilhões de dólares em exportações do setor primário, no primeiro semestre deste ano. Conforme a CNA – Confederação Nacional da Agricultura entidade citada pelo deputado, o agronegócio foi um dos setores menos afetados pela pandemia de coronavírus, mantendo níveis firmes de produção e exportação, especialmente diante da grande demanda externa e da desvalorização do real frente ao dólar. Em relação às lavouras, a confederação confirmou a elevação na estimativa para crescimento do PIB em 2020 para 3,6%, contra 3% vistos anteriormente, destacando as produções de soja, arroz, trigo, cana-de-açúcar e café.

Em contrapartida, o parlamentar demonstra preocupação com o segmento, em função do projeto de Reforma Tributária que tramita na Assembleia Legislativa, e que pode vir a onerar os produtores, além de retirar incentivos fiscais do setor. Uma série de reuniões vêm sendo feitas para discutir o tema a mais recente, nesta semana, foi com as entidades ligadas ao biodiesel.

Link para notícia no site Tua Rádio

Sindicato Rural de André da Rocha comemora inclusão da Expoagro no calendário de eventos do Estado

Em ato virtual realizado na manhã desta segunda-feira (24), o governador Eduardo Leite sancionou o projeto de lei (PL) 450/2019, de autoria do deputado Dirceu Franciscon (PTB), que inclui no Calendário de Eventos Oficiais do Estado do Rio Grande do Sul a “ExpoAgro André da Rocha”, realizada a cada dois anos, no mês de setembro, no município de André da Rocha.

No ano passado, expositores de 55 municípios participaram do evento, com um público de mais de 17 mil pessoas.

Em entrevista à Tua Rádio Cacique, o presidente do Sindicato Rural de André da Rocha e vice-presidente da FARSUL, César Vieira comemorou o reconhecimento concedido ao evento, que agora figura entre os mais importantes do Estado.

Ouça a entrevista e saiba mais. 

Link para notícia no site Tua Rádio

Secretário da Agricultura apresenta proposta para realização da primeira Expointer Digital

O secretário da Agricultura, Covatti Filho, apresentou nesta segunda-feira (24/8) um planejamento para realização da Expointer Digital. A proposta será avaliada pelas seis entidades copromotoras do evento antes da divulgação oficial.

O objetivo é abrir o diálogo para ajustes que viabilizem os ganhos de todos setores ligados à feira: tecnologia, inovação, agricultura familiar e pecuária. Participaram do encontro representantes do Sindicato das Indústrias de Máquinas e Implementos Agrícolas no Rio Grande do Sul (Simers), Federação Brasileira das Associações de Criadores de Animais de Raça (Febrac), Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetag), Federação da Agricultura do Estado (Farsul) e do Sistema Ocergs, além da prefeitura de Esteio.

“Não podemos simplesmente cancelar um evento que rendeu R$ 2,7 bilhões em vendas no ano passado. Vamos acompanhar as tendências e unir esforços para que todos os setores envolvidos sejam contemplados na primeira feira virtual”, disse o secretário. O Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio, completa 50 anos no próximo sábado, 29 de agosto.

Link para notícia no site Tua Rádio

Amostras de carne de frango brasileira testam negativo para Covid-19 em Hong Kong

Confirmação é da ABPA – Associação Brasileira de Proteína Animal

O governo de Hong Kong comunicou, oficialmente, que deram negativos para Covid-19 os testes realizados em 40 amostras de carne de frango importadas do Brasil. A informação foi publicada no site do Centro de Segurança Alimentar (CFS, na sigla em inglês) do país. 

Segundo a entidade, a testagem aconteceu como forma de precaução. “O centro enfatiza que, de acordo com a Organização Mundial da Saúde e autoridades de segurança alimentar, não existem evidências indicando que humanos podem ser infectados por Covid-19 através de alimentos”, diz o

Link para notícia no site Tua Rádio

Ministério da Agricultura formaliza RS como zona livre de aftosa

Estimativa é de que em torno de 12 milhões de cabeças, entre bovinos e bubalinos, deixem de ser vacinadas no Estado

Uma comitiva do Rio Grande do Sul se reuniu nesta quarta-feira, 19/08, em Brasília, com a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, para a formalização do Rio Grande do Sul como zona livre da febre aftosa sem necessidade de vacinação. O governador Eduardo Leite e a ministra assinaram um termo de compromisso pela manutenção do Estado nessa condição, oficializada pelo ministério na semana passada, mediante instrução normativa. A estimativa é de que em torno de 12,5 milhões de cabeças, entre bovinos e bubalinos, deixem de ser vacinadas no Estado. Tampouco será necessária a aplicação de 20 milhões de doses anuais de vacina, uma vez que a imunização ocorria em duas etapas: rebanho geral e para animais com até 24 meses.

“Fizemos questão de vir até o ministério agradecer pelo empenho dos técnicos e da ministra Tereza Cristina, porque atingir esse status de zona livre da febre aftosa era uma prioridade para o nosso governo. Esperamos que, com a certificação que confiamos que virá da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), possamos abrir novos mercados e, assim, gerar mais emprego e renda no Estado”, afirmou o governador. A ministra Tereza Cristina cumprimentou o governo estadual e os produtores rurais pela conquista e reforçou o apoio da pasta à qualificação da cadeia produtiva. “O Ministério da Agricultura sempre vai apoiar o trabalho de vocês. Queremos ajudar a abertura de novos mercados, que pagam melhor, mas que exigem uma qualidade maior. Qualidade essa que o rebanho gaúcho tem graças ao trabalho de todos que se envolvem com o setor”, afirmou.

Link para notícia no site Tua Rádio

De marauense para marauense: ABPA homenageia Francisco Turra e dá posse a Ricardo Santin

Cerimônia virtual acontece nesta quarta-feira, 19/08

Depois de 12 anos à frente da presidência da Associação Brasileira de Proteína Animal – ABPA, Francisco Turra deixa o cargo. A função, porém, permanece sob responsabilidade de outro marauense. Quem assume a missão, nesta quarta-feira, 19/08, é Ricardo Santin.

A transmissão do cargo está marcada para às 11h, por meio de videoconferência. O presidente, que passará a atuar no Conselho Consultivo, será homenageado pela associação durante o encontro virtual.

Turra deixa um legado de união e crescimento aos setores da avicultura e suinocultura brasileiros. Entre 2008 e 2020, a entidade registrou um aumento de 25,6% no volume de carne de frango exportada e 38,4% nas receitas. Já em relação à carne suína, o incremento foi de 28,4% no faturamento ao longo do período. O ex-ministro da Agricultura assumiu a instituição quando ainda se chamava Associação Brasileira de Exportadores de Frangos (ABEF) e contava com 23 sócios – hoje são 140, sendo a maior entidade do setor.

Em entrevista à Tua Rádio Alvorada, o novo presidente, Ricardo Santin disse que o principal propósito é da continuidade ao trabalho que vinha sendo realizado por Turra. Duas são as missões primordiais, agora, diz Santin: “agregar competitividade ao setor e fortalecer as proteínas tanto no mercado interno, quanto no externo”. Ouça a íntegra da entrevista no player de áudio.

Link para notícia no site Tua Rádio

Francisco Turra se despede da presidência da ABPA

Depois de 12 anos a frente da ABPA – Associação Brasileira de Proteína Animal, o marauense Francisco Turra repassa o cargo para Ricardo Santin. A cerimônia de posse será virtual, nesta quarta-feira, 19/08. Em entrevista para a Tua Rádio Alvorada, Turra avaliou esta década de trabalho e anunciou que permanecerá atuando como conselheiro da entidade. Ele lembrou que nos primeiros anos, a associação atuava como representante das empresas exportadoras do segmento avícola. Visando uma atuação unificadora, Turra e sua equipe agregaram em uma única entidade, toda a cadeia produtiva de aves e, com o passar dos anos, também da cadeia de suínos.

Como lembra o ex-ministro, nem tudo foram flores durante sua gestão. Ele recorda duas situações: Operação Carne e Fraca e Operação Trapaça, que culminaram, inclusive, em uma internação hospitalar dado ao desgaste. Neste momento de enfrentamento a pandemia, Turra também geriu uma crise, atuando na defesa da manutenção das atividades industriais com o objetivo de não haver falta de alimentos para a população. Ao ser questionado sobre a lição que tira destes 12 anos na presidência da ABPA, o marauense é enfático: dedicação. “Combati o bom combate”, disse ele, recordando que ao assumir o cargo, contava com 23 empresas associadas e hoje,esse número chega a 143.

Se prefeirir, ouça esta entrevista clicando no player de áudio.

Link para notícia no site Tua Rádio

ACSURS se posiciona contrária ao projeto de Reforma Tributária do RS

Para a entidade, ao propor o aumento de alíquota para ajustar a carga tributária o governo estará onerando o prdutor

A Comissão de Agricultura, Pecuária e Cooperativismo da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul realizou há poucos dias, uma audiência pública para tratar da proposta de reforma tributária estadual e os impactos no setor primário, em especial na agroindústria gaúcha. A audiência ocorreu de forma virtual, transmitida ao vivo no canal da TV Assembleia no YouTube.

A proposta do Governo do Estado sugere a diminuição de alíquotas na gasolina, energia elétrica e a padronização das alíquotas sobre a produção primária. Atualmente, itens da cesta básica como leite, ovos, hortifrutigranjeiros e carnes têm baixa ou nenhuma tributação. A reforma prevê aumento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) destes itens.

O presidente da Associação de Criadores de Suínos do Rio Grande do Sul – ACSURS, Valdecir Luis Folador, frisou contrariedade ao aumento da carga tributária. “Nós como entidade, como produtores, somos contrários e vamos trabalhar contra qualquer tipo de proposição que vise o aumento de tributos, não temos mais espaço para pagar impostos”, disse.   

Segundo o dirigente, o produtor enfrenta muitas adversidades, principalmente com relação ao clima. Citou ainda a diminuição do consumo no mercado interno, devido à pandemia de Covid-19, e os altos custos de produção. “Vemos o mercado exportador de carne suína ampliado, com o aumento de volumes e valores, e a alta no preço pago pelo quilo do suíno ao produtor, porém, por trás de tudo isso, há o custo de produção”, argumentou. “Se há um ano o custo de produção era de R$ 3,70, hoje precisamos de R$ 4,80 para produzir”, complementou.

De acordo com ele, ao propor o aumento de alíquota para ajustar a carga tributária, onerando o setor produtivo, o Governo tira o poder de competitividade com os demais Estados. “É uma visão equivocada olhar desta maneira para um setor que é responsável por manter parte da economia do RS funcionando, gerando empregos. É um dos únicos setores que consegue aumentar os empregos enquanto todos os outros setores da economia estão demitindo”, enfatizou.

Carta aberta

Uma carta aberta assinada por 14 entidades representativas do agronegócio gaúcho, entre elas a ACSURS, apresenta o manifesto com o parecer em relação à proposta de reforma tributária encaminhada pelo Governo do Estado à AL-RS em regime de urgência. As entidades reconhecem a necessidade de reforma para a economia do RS, “embora o problema das finanças públicas esteja relacionado à falta de uma reforma administrativa com alterações no nível do regramento federal”, destaca o documento.

A carta informa também que a proposta aumenta a cumulatividade no setor agropecuário, que não participa da conta corrente do débito e crédito do ICMS e, por conta disso, não tem ressarcimento do imposto pago sobre energia elétrica, combustíveis, telecomunicações, peças de reposição de máquinas, investimentos e insumos, ao contrário dos demais setores. A proposta de reforma tributária representa aumento de mais de R$ 1 bilhão nos custos de produção agropecuários já no primeiro ano, e a tributação sobre os alimentos que são levados aos consumidores.

Por fim, o documento indica a não aprovação do projeto para que ele seja mais amplamente debatido e reconstruído de maneira que não acarrete em prejuízos ao agronegócio gaúcho.

Link para notícia no site Tua Rádio

Trabalhadores rurais poderão declarar o Imposto Territorial em pontos do interior de Caxias

Medida do Sindicato dos Trabalhadores Agricultores Familiares tem como objetivo evitar aglomerações na sede da entidade, devida à pandemia. Prazo para entrega da declaração do ITR começa nesta segunda-feira (17/08)

Devido à pandemia do coronavírus, o Sindicato dos Trabalhadores Agricultores Familiares de Caxias do Sul estará realizando, a partir desta segunda-feira (17/08), as declarações do Imposto Territorial Rural (ITR) em pontos específicos do interior para evitar aglomerações e tomando todas as medidas preventivas contra a Covid-19. O prazo para realizar as declarações encerra no dia 30 de setembro. Em entrevista à Tua Rádio São Francisco, o presidente da entidade, Rudimar Menegotto, falou sobre a medida.

Ouça AQUI a entrevista completa

 

Confira os locais, datas e horários:

:: Vila Cristina: 17/08, das 8h às 10h30, no Restaurante Mazzochini

:: Loreto 2ª Légua: 18/08, das 8h30 às 10h30, no Salão Comunitário

:: São Gotardo (Vila Seca): 18/08, das 13h às 15h, no Salão Comunitário

:: Santa Lúcia do Piaí: 20/08, das 8h30 ào 12h e 13h às 15h30, no Salão Comunitário

:: Fazenda Souza: 21/08, das 9h às 11h, no Salão Comunitário

:: Vila Oliva: 21/08, das 13h às 15h, no Salão Comunitário

:: Mulada (Criúva): 24/08, das 9h às 11h, no Colégio

:: Criúva: 24/08, das 11h30 às 12h, na Subprefeitura

:: Santa Catarina (Criúva): 24/08, das 13h15 às 15h30, no Salão Comuinitário

:: São Pedro 3ª Légua: 25/08, das 8h30 ás 10h30, no Salão Comunitário

:: São Pedro 4ª Légua: 25/08, das 13h ás 15h, no Salão Comunitário

:: São José da Linha Feijó: 27/08, das 8h30 às 10h30, no Salão Comunitário

:: Trav. Porto – Ana Rech – Capela Imaculada: 27/08, das 13h30 às 16h, no Salão Comunitário

:: São Luiz 9ª Légua: 28/08, das 8h30 às 10h30, na Vinícola São Luiz

:: Linha 60: 28/08, das 13h30 às 16h, no Salão Comunitário

:: São Luiz 6ª Légua: 31/08, das 13h30 às 16, no Salão Comunitário

Link para notícia no site Tua Rádio

Trabalhadores rurais poderão declarar o Imposto Territorial em pontos do interior de Caxias

Medida do Sindicato dos Trabalhadores Agricultores Familiares tem como objetivo evitar aglomerações na sede da entidade, devida à pandemia. Prazo para entrega da declaração do ITR começa nesta segunda-feira (17/08)

Devido à pandemia do coronavírus, o Sindicato dos Trabalhadores Agricultores Familiares de Caxias do Sul estará realizando, a partir desta segunda-feira (17/08), as declarações do Imposto Territorial Rural (ITR) em pontos específicos do interior para evitar aglomerações e tomando todas as medidas preventivas contra a Covid-19. O prazo para realizar as declarações encerra no dia 30 de setembro. Em entrevista à Tua Rádio São Francisco, o presidente da entidade, Rudimar Menegotto, falou sobre a medida.

Ouça AQUI a entrevista completa

 

Confira os locais, datas e horários:

:: Vila Cristina: 17/08, das 8h às 10h30, no Restaurante Mazzochini

:: Loreto 2ª Légua: 18/08, das 8h30 às 10h30, no Salão Comunitário

:: São Gotardo (Vila Seca): 18/08, das 13h às 15h, no Salão Comunitário

:: Santa Lúcia do Piaí: 20/08, das 8h30 ào 12h e 13h às 15h30, no Salão Comunitário

:: Fazenda Souza: 21/08, das 9h às 11h, no Salão Comunitário

:: Vila Oliva: 21/08, das 13h às 15h, no Salão Comunitário

:: Mulada (Criúva): 24/08, das 9h às 11h, no Colégio

:: Criúva: 24/08, das 11h30 às 12h, na Subprefeitura

:: Santa Catarina (Criúva): 24/08, das 13h15 às 15h30, no Salão Comuinitário

:: São Pedro 3ª Légua: 25/08, das 8h30 ás 10h30, no Salão Comunitário

:: São Pedro 4ª Légua: 25/08, das 13h ás 15h, no Salão Comunitário

:: São José da Linha Feijó: 27/08, das 8h30 às 10h30, no Salão Comunitário

:: Trav. Porto – Ana Rech – Capela Imaculada: 27/08, das 13h30 às 16h, no Salão Comunitário

:: São Luiz 9ª Légua: 28/08, das 8h30 às 10h30, na Vinícola São Luiz

:: Linha 60: 28/08, das 13h30 às 16h, no Salão Comunitário

:: São Luiz 6ª Légua: 31/08, das 13h30 às 16, no Salão Comunitário

Link para notícia no site Tua Rádio

"O produtor tem que pensar além da porteira", diz médica veterinária da Inspetoria de Defesa Agropecuária de Caxias do Sul

Luíza Virgínia Caon falou sobre o reconhecimento do RS como zona livre da febre aftosa sem vacinação, durante o programa No Ponto desta sexta-feira

O Estado do Rio Grande do Sul deu mais um passo importante para fomento da agropecuária. A partir de setembro deste ano, os bovinos deixarão de ser vacinados contra a febre aftosa. Isso porque a Instrução Normativa (IN) 52, assinada pela ministra da Agricultura, Tereza Cristina, na terça-feira (11), reconhece o Estado como zona livre de vacinação contra a febre aftosa.

Em Caxias do Sul, 40 mil bovinos deixarão de ser vacinados. Conforme a Fiscal Estadual Agropecuária e médica veterinária da Inspetoria da Defesa Agropecuária de Caxias do Sul, Luíza Virgínia Caon, o reconhecimento do Estado como livre da febre aftosa é apenas um passo. “Nós estamos em uma fase de transição. Esse reconhecimento é o primeiro passo. Diversos municípios foram auditados no ano passado e deu início a esse reconhecimento de zona livre de febre aftosa sem vacinação. Foi assinada pela ministra Tereza Cristina a Instrução Normativa que deu o reconhecimento nacional para o Rio Grande do Sul. Entretanto, temos outros passos a serem dados que o reconhecimento internacional, que é dado pela OIE, que está marcado para maio do ano que vem”, disse.

Ainda durante entrevista, Luíza explicou que o reconhecimento internacional do RS como zona livre de febre aftosa vai possibilitar que o Estado busque mais mercados para exportações. “Essa visão é bastante importante. Eu sempre insistia muito com os produtores para ter uma visão além-porteira, que é a visão do mercado e das exportações. Essa é a leitura do momento e estamos bastante comprometidos com esse passo a passo”. Ouça a entrevista completa AQUI.

Link para notícia no site Tua Rádio

Agronegócio gaúcho tem crescimento de 5,2% nas exportações no segundo trimestre

Soja, carnes e cereais puxaram o índice positivo

O agronegócio gaúcho registrou marcas positivas no segundo trimestre deste ano. As exportações somaram US$ 3,1 bilhões, o que representa uma alta de 5,2% na comparação com o mesmo período do ano passado. O índice foi puxado principalmente pela comercialização de soja, carnes e cereais.

Porém, no acumulado do ano, as exportações do agronegócio apresentaram queda de 6,7% em relação ao mesmo período de 2019. O desemprenho negativo foi puxado pelos produtos florestais e pelo fumo.   

Durante entrevista na Tua Rádio São Francisco, o Pesquisador do Departamento de Economia e Estatística da Secretaria Estadual de Planejamento, Governança e Gestão (DEE/SPGG), Sérgio Leusin Jr., explicou que o crescimento no valor de vendas ocorreu principalmente por conta da alta do dólar. Ele ainda salientou que o segundo semestre do ano deve ser negativo para o setor, já que o Rio Grande do Sul passou pelo período de estiagem que reduziu a produção da soja em 39,3%, segundo estimativas do IBGE. Ouça a entrevista completa AQUI.  

Link para notícia no site Tua Rádio

ABPA divulga nota sobre possibilidade de detecção de coronavírus em produto brasileiro

O vírus estaria presente em amostras coletadas em asas de frango congeladas de frigorífico que não teve o nome divulgado

A Associação Brasileira de Proteína Animal – ABPA, informa que o setor produtivo está analisando as informações de possível detecção de traços de vírus em embalagem de produto de origem brasileira, feita por autoridades municipais de Shenzhen, na China. Ainda não está claro em que momento houve a eventual contaminação da embalagem, e se ocorreu durante o processo de transporte de exportação.  O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Brasil está em contato para esclarecimentos, com a autoridade sanitária oficial da China), que fará a análise final da situação.

A ABPA reitera que não há evidências científicas de que a carne seja transmissora do vírus, conforme ressaltam a Organização Mundial da Saúde (OMS), a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO), a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Ao mesmo tempo, o setor exportador brasileiro reafirma que todas as medidas para proteção dos trabalhadores e a garantia da inocuidade dos produtos foram adotadas e aprimoradas ao longo dos últimos meses, desde o início da pandemia global.

Link para notícia no site Tua Rádio

Rio Grande do Sul recebe reconhecimento do Mapa como zona livre de aftosa sem vacinação

Estado agurarda, agora, elevação de status sanitário por parte da OIE, o que deve ocorrer em maio de 2021

O Rio Grande do Sul obteve uma conquista histórica para o setor da pecuária. A Instrução Normativa  – IN 52, assinada pela ministra da Agricultura, Tereza Cristina, nesta terça-feira, 11/08, reconhece o Estado como zona livre de vacinação contra a febre aftosa. A mudança passa a vigorar em 1° de setembro, e a IN deve ser publicada no Diário Oficial da União. Na semana passada, auditores do ministério estiveram na Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) para avaliar o cumprimento das exigências feitas para a obtenção do novo status sanitário.

“Trata-se de uma mudança que vem sendo gestada e planejada há um bom tempo pela Secretaria de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural. Vai gerar imenso impacto na economia gaúcha. Com a retirada da vacina, o Estado poderá alcançar 70% dos mercados mundiais disponíveis”, afirma o secretário da Agricultura, Covatti Filho. Ele observa que 2020 será o último ano com vacinação no Estado.

A partir do reconhecimento pelo ministério, a secretaria comunica a mudança para a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), que concede a certificação da evolução do status sanitário, abrindo portas para mercados não acessados pelos criadores gaúchos. A expectativa é de que isso ocorra em maio do ano que vem. Técnicos e especialistas apontam que a retirada da vacinação tem potencial de abrir mercados como Japão, Coreia do Sul, México, Estados Unidos, Chile, Filipinas, China (carne com osso) e Canadá. No setor dos suínos, a expectativa é de que haja aumento nas exportações de cerca de R$ 600 milhões anuais.

O documento também reconhece como área livre de vacinação os Estados do Acre, Paraná, Rondônia e regiões do Amazonas e de Mato Grosso. Conforme o texto, o ingresso de animais e produtos de risco para a febre aftosa em Santa Catarina, com origem nas áreas consideradas livres de vacinação, devem observar as diretrizes definidas para origem em zona livre da doença com vacinação, até seu reconhecimento pela OIE como zonas livres de aftosa sem vacinação.

Link para notícia no site Tua Rádio

Exportações de carne suína alcançam 100 mil toneladas em julho, confirma a ABPA

As exportações de carne de frango totalizaram 364,6 mil toneladas

As exportações brasileiras de carne suína (considerando todos os produtos, entre in natura e processados) totalizaram 100,4 mil toneladas em julho. A informação é da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA).  O saldo supera em 47,9% as vendas realizadas no mesmo período de 2019, com 67,9 mil toneladas. Em receita, o saldo total de julho chegou a US$ 203,1 milhões, número 37,3% superior ao registrado em julho do ano passado, com US$ 147,9 milhões. No acumulado do ano, as vendas do setor cresceram 38,78%, com 579,9 mil toneladas exportadas entre janeiro e julho deste ano.

As vendas para os países asiáticos seguem impulsionando os embarques do setor.  A alta das vendas para a região chega a 82,9% na comparação entre janeiro e julho deste ano e o mesmo período de 2019, com 456 mil toneladas exportadas neste ano. Apenas para a China foram 282,1 mil toneladas, número 143% superior ao efetivado no mesmo período de 2019. “Este é um comportamento consistente no mercado asiático, que deve perdurar ao longo dos próximos meses.  As lacunas deixadas pela Peste Suína Africana nos países asiáticos ainda impactam a demanda local por produtos importados, e o Brasil está consolidado como um fornecedor confiável para a região”, analisa Francisco Turra, presidente da ABPA.

Com relação às exportações brasileiras de carne de frango (considerando todos os produtos, entre in natura e processados) totalizaram 364,6 mil toneladas em julho, volume 5,7% menor em relação ao saldo registrado no mesmo mês de 2019, com 386,9 mil toneladas.  

“O volume exportado em julho deste ano foi acima da média efetivada em 2019, de 351 mil toneladas mensais.  O comportamento mensal das exportações deste ano indica que a alta acumulada deverá se manter, com fechamento positivo para 2020”, analisa Ricardo Santin, diretor-executivo da ABPA.

Já no acumulado do ano (janeiro-julho), o setor mantém alta positiva de 0,5%, com 2,471 milhões de toneladas exportadas em 2020, contra 2,458 milhões de toneladas em 2019.  O resultado em receita chegou a US$ 3,642 bilhões.

Assim como no setor de suínos, os embarques para a Ásia dão impulso dos negócios do setor. Ao todo, foram exportadas 988,3 mil toneladas para a região entre janeiro e julho, número 12,7% superior ao realizado no mesmo período de 2019, com 876,8 mil toneladas.  Deste total, a China foi destino de 406,8 mil toneladas. Cingapura, Filipinas e Vietnã foram os destaques.

 

Link para notícia no site Tua Rádio

Vereadora Denise Pessôa propõe política para incentivar produção orgânica

Atualmente, Caxias não tem registro oficial de quantas culturas são feitas sem agrotóxicos.

A Política Municipal de Agroecologia e Produção Orgânica (PMAPO) em Caxias do Sul visa criar um regramento para incentivar a produção de alimentos. A vereadora Denise Pessôa (PT), autora da proposta, ressalta que, atualmente, o município conta apenas com a Feira Orgânica como iniciativa para comercialização dos produtos.

Denise explica que não há um número oficial de produtores e culturas orgânicas no município. Caso algum agricultor queira diminuir a aplicação de agrotóxicos na produção, a Secretaria Municipal da Agricultura, Pecuária e Abastecimento não possui um técnico para fazer essa orientação.

(Ouça a entrevista na íntegra abaixo do título)

Link para notícia no site Tua Rádio

Cursos de boas práticas de fabricação da erva-mate são disponibilizados pela Emater

A Secretaria de Agricultura, pecuária e desenvolvimento rural anunciou mudanças no chamado “Mapa da Erva-Mate”, que classifica as diferentes regiões produtoras da planta.

Essa classificação é feita em conjunto com a EMATER. O objetivo é dar suporte aos agricultores que cultivam a árvore símbolo do RS.

Em entrevista ao programa Conectado o coordenador da Emater Josmar Veloso falou sobre as novidades referente ao cultivo da erva-mate. Além do cultivo para o  chimarrão a erva-mate também é usada no RS para a produção de doces, sorvetes, produtos de beleza, entre outros.

Conforme Josmar, o Brasil possui 71 mil hectares da planta, só no Rio Grande do Sul são 32 mil hectares, quase metade da produção nacional. Seguido de Paraná e Santa Catarina.

Dentro do programa de valorização do cultivo a Emater vai disponibilizar cursos de boas práticas de fabricação da erva-mate. Ouça.

 

 

Link para notícia no site Tua Rádio

Sindicatos conseguem impedir reajuste dos valores do ITR em Lagoa Vermelha e Capão Bonito do Sul

O entendimento de que a estiagem, vendavais e pandemia do novo Coronavírus afetaram de maneira negativa a vida do homem do campo, fez com que os sindicatos que representam a categoria nos municípios de Lagoa Vermelha e Capão Bonito do Sul, conseguissem junto às Administrações dessas cidades, impedir o aumento do Imposto Sobre a Propriedade Territorial Rural (ITR) que estava previsto para este ano.

A falta de chuva provocou enormes prejuízos. Em algumas lavouras, as perdas na produção se aproximam dos 50%.

Em Capão Bonito do Sul, a decisão do prefeito Felipe Rieth foi de congelar os valores do ITR usados na tabela de 2019. O município arrecada aproximadamente R$ 450 mil por ano com a cobrança do tributo.

Em Lagoa Vermelha, a arrecadação chega próximo de R$ 1 milhão. Segundo o prefeito Gustavo Bonotto, após uma retificação, os valores também permanecerão próximos dos cobrados no ano passado.

A declaração do ITR pode ser feita junto aos sindicatos. Saiba mais ouvindo a entrevista com os prefeitos dos municípios participantes, com o presidente do STR, João Cezar Sutil Godinho e o presidente do Sindicato Rural, César Magrin.

Link para notícia no site Tua Rádio

Agricultura estuda com empresa espanhola projeto de monitoramento na fronteira

A Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural recebeu nesta segunda-feira (3/8) a visita de representantes da empresa espanhola Amper, especialista em cercamento eletrônico. O objetivo é implantar um projeto na fronteira com o Uruguai para monitorar o fluxo de animais, veículos e pessoas na região.

“Este é mais um passo para dar segurança aos produtores, tanto no aspecto sanitário como na prevenção do abigeato”, afirma o secretário Covatti Filho. Esta aproximação do Estado com a Espanha começou no ano passado, com a visita do vice-governador Ranolfo Vieira Júnior e do secretário Covatti Filho ao país europeu.

O cercamento eletrônico vem para auxiliar o Programa de Vigilância Sanitária Animal de Fronteira – Sentinela, que faz o monitoramento das fronteiras do Rio Grande do Sul com Uruguai e Argentina para combater o abigeato e diminuir o risco sanitário.

Link para notícia no site Tua Rádio

Auditoria do ministério para retirada da vacinação contra aftosa começa terça-feira

Durante os próximos dois dias, a secretaria vai revisar com o ministério cada um dos 18 apontamentos levantados pela auditoria anterior e também o plano estratégico para retirada da vacinação contra a aftosa

Mais um importante passo rumo à obtenção do status de zona livre de febre aftosa pelo Rio Grande do Sul será dado nesta terça (4/8) e quarta-feira. A Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) se prepara para receber auditores do Ministério da Agricultura para avaliarem o cumprimento dos 18 apontamentos levantados no ano passado. Entre eles, a aquisição de 72 veículos e a contratação de 150 auxiliares administrativos para atendimento nas inspetorias de defesa agropecuária do Estado.

“A montadora vencedora da licitação dos veículos já está enviando o cronograma de entrega, e o pregão para contratação de pessoal deve abrir as propostas nesta terça. Devemos ser bem avaliados porque o ministério vai comprovar que o governo estadual fez todos os movimentos necessários para a conquista da retirada da vacinação contra a aftosa”, destaca o secretário Covatti Filho.

Durante os próximos dois dias, a secretaria vai revisar com o ministério cada um dos 18 apontamentos levantados pela auditoria anterior e também o plano estratégico para retirada da vacinação contra a aftosa. “Na verdade são duas auditorias em uma. Ela será virtual, junto com o pessoal de Brasília e a superintendência regional do ministério no Estado. Já carregamos uma série de documentos num drive que eles estão acompanhando e, a partir de amanhã (4/8), vamos repassar juntos item a item”, detalha a diretora de Defesa Agropecuária da Seapdr, Rosane Collares.

O auditor do ministério Gilson Renato Evangelista de Souza realizou uma pré-avaliação da secretaria no início de julho, verificando que os 18 itens estão com andamento “bastante adequado e em fase final de atendimento”. A auditoria final também considerará o pleito para evolução de status sanitário junto à Organização Mundial de Saúde Animal (OIE). “Acredito que o relatório do ministério deve sair muito rápido, porque temos prazos nacionais e internacionais que precisamos cumprir para dar andamento no processo de evolução de status sanitário”, diz Rosane.

*Ascom Seapdr

Link para notícia no site Tua Rádio

Alta do dólar valoriza soja brasileira

A pandemia do novo Coronavírus provocou alta do dólar em relação à moeda nacional. Essa variação é um dos fatores que influenciou também a valorização da soja brasileira.

O produto vem registrando altas consecutivas desde 2015, e a saca está sendo comercializada por aproximadamente R$100, neste ano.

Apesar do cenário internacional ser favorável, os agricultores gaúchos sofreram quebra na produção em função da estiagem. As perdas se aproximam dos 50%.

Ainda assim, o bom preço do grão tem amenizado os prejuízos e dado lucro para os produtores. Saiba mais sobre o mercado de grãos, ouvindo a entrevista com o gerente de grãos da COAGRISOL, Luiz Carlos Picoli e com o engenheiro agrônomo, Telmo Biazi.   

Link para notícia no site Tua Rádio

Lagoa Vermelha adere programa de ampliação de áreas irrigadas e piscicultura

A Secretaria de Agricultura e Meio ambiente de Lagoa Vermelha aderiu a um programa do Governo do Estado com o objetivo e ampliar as áreas irrigadas e fomentar a psicultura no município.

Conforme o Secretário Clóvis Neckel o convênio prevê o empréstimo de duas máquinas do estado para a construção de açudes. O “Mais água, mais Renda”, foi instituído pelo Decreto Estadual  48.921 em 14 de março de 2012. 

Os produtores rurais que tiverem interesse no programa devem se dirigir a Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente ou a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater). 

Ouça entrevista do secretário de Agricultura e Meio Ambiente – Clóvis Néckel, falando sobre essas ações:

 

Link para notícia no site Tua Rádio

Auditoria que definirá retirada da vacinação contra aftosa ocorrerá em agosto

A Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural já tem data definida para receber auditores do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento: 4 e 5 de agosto. Neste período, o ministério avaliará o cumprimento dos 18 apontamentos levantados durante a auditoria realizada no ano passado para que o Rio Grande do Sul consiga o status de zona livre de febre aftosa sem vacinação.

As principais ações realizadas nos últimos meses para a conquista da retirada da vacinação foram apresentadas pelo secretário Covatti Filho durante reunião virtual da Comissão de Agricultura da Assembleia Legislativa, realizada nesta segunda-feira (27).

“Das 18 recomendações do ministério, faltam atender apenas duas, que já estão em fase final de cumprimento. A montadora vencedora da licitação de 72 veículos para o Estado já está enviando o cronograma de entrega, e o pregão para contratação de 150 auxiliares administrativos deve começar a receber propostas a partir de 4 de agosto. Então, mesmo que a auditoria acontecesse hoje, seríamos bem avaliados porque o ministério vai comprovar que o governo estadual fez todos os movimentos necessários para a conquista da retirada da vacinação contra a aftosa”, detalhou Covatti Filho.

O auditor Gilson Renato Evangelista de Souza contou que, no início de julho, o ministério realizou uma pré-avaliação da secretaria. “Verificamos que os 18 itens estão com andamento bastante adequado e em fase final de atendimento. A auditoria de agosto vai averiguar o andamento das metas, considerando o pleito para evolução de status sanitário junto à Organização Mundial de Saúde Animal (OIE)”, completou.

O presidente do Fundo de Desenvolvimento e Defesa do Saneamento Animal (Fundesa), Rogério Kerber, ressaltou as vantagens que a retirada da vacinação contra a febre aftosa trará para os produtores rurais do Estado. “Canadá já começa a sinalizar negociação de carne bovina com o Brasil, e quem sabe o Rio Grande do Sul poderá se sentar à mesa e negociar com este importante mercado e outros mais. Será uma nova perspectiva para todo o Estado”, destacou.

Conduzida pelo presidente da Assembleia, deputado Ernani Polo, a reunião contou com a presença do presidente da Comissão de Agricultura, deputado Adolfo Brito, do presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Agropecuária Gaúcha, deputado Edson Brum, dos deputados Silvana Covatti, Zé Nunes e Sérgio Turra, e de representantes da Farsul, Fetag, Famurs e demais entidades do setor produtivo.

Link para notícia no site Tua Rádio

Secretaria autoriza empresas a começarem distribuição de sementes do programa Troca-Troca

As 10 empresas sementeiras que irão fornecer 134.068 sacas de 53 cultivares dentro do programa Troca-Troca de Sementes estão autorizadas pela Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) a iniciar a entrega do produto para prefeituras, sindicatos e associações.

“O início da entrega das sementes do Troca-Troca é a etapa mais importante do programa, pois consolida o resultado de todas as ações construídas desde o início do ano, seja com a habilitação e contratação das empresas, seja com a organização das entidades e dos pedidos feitos pelos produtores”, afirma o secretário Covatti Filho.

Nesta safra 2020/2021, serão entregues milho híbrido convencional (78.833 sacas), milho híbrido transgênico (50.237 sacas) e sorgo híbrido (4.998 sacas) a 45.692 agricultores que fizeram pedidos por meio de suas entidades em 385 municípios gaúchos.

“Com as orientações do programa e a estrutura logística das empresas, acreditamos que em duas semanas mais de 90% do total de sementes já estejam entregues”, afirma o coordenador do programa Troca-Troca, Jonas Wesz.

O investimento do governo gaúcho nesta safra é de R$ 5,2 milhões, referente ao subsídio direto que o Estado dá aos agricultores no valor da semente.

A Secretaria da Agricultura realiza, a cada ano, melhorias no programa Troca-Troca, como a qualificação das cultivares disponíveis para que os agricultores possam fazer a escolha mais adequada para o seu sistema produtivo e também a análise das sementes. E, principalmente, efetuando a entrega no momento adequado para que produtores consigam realizar a semeadura dentro do calendário ideal de cultivo. A autorização para a entrega foi dada na sexta-feira (24/7).

Link para notícia no site Tua Rádio

Dia do Colono e do Agricultor: Tua Rádio destaca a importância dessa atividade profissional em nossa região

Dia do Colono é celebrado no dia 25 de julho. Nesta data comemora-se aqueles que são essenciais para o desenvolvimento do Brasil, os colonos que vieram de outros países para se instalarem no país e trabalhar principalmente no desenvolvimento da agricultura.

A data de 25 de julho foi instituída como Dia do Colono em 1968, com a criação da Lei Federal 5.496 em 5 de Setembro daquele ano, porém a data já era conhecida fazia um bom tempo, pois desde 1924, quando estava ocorrendo às comemorações do centenário da vinda dos alemães para o Rio Grande do Sul, a data foi reconhecida e usada para celebrar os colonos, principalmente os alemães.

O Dia do Agricultor é comemorado no dia 28 de julho. A data foi criada através do Decreto de Lei nº 48.630, de 27 de julho de 1960, em comemoração ao aniversário de 100 anos da fundação do Ministério da Agricultura.

A agricultura no Brasil é, historicamente, umas das principais bases da economia do país, evoluindo das monoculturas para a diversificação da produção.

A agricultura familiar é o cultivo da terra e de plantações realizadas por pequenos produtores rurais, tendo como mão-de-obra o núcleo familiar, sendo essa uma das principais características da agricultura da nossa região.

Para marcar as datas, a Tua Rádio Cacique conversou com algumas pessoas relacionadas à essas profissões. Produtor Rural e Presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Lagoa Vermelha e Capão Bonito do Sul – João Cezar Sutil Godinho; produtor rural e Presidente da COOLAF – Cooperativa de Agricultores de Lagoa Vermelha – Ari Sasset e Gerente da EMATER de Lagoa Vermelha – Josmar Veloso, entidade ligada ao setor.

Ouça a entrevista na íntegra:

Link para notícia no site Tua Rádio

Secretaria da Agricultura publica instrução normativa com medidas para controle de surto de gafanhotos

A Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) publicou no Diário Oficial do Estado desta sexta-feira (24/7) a Instrução Normativa 17/2020, que dispõe sobre as medidas de defesa sanitária vegetal relativas à supressão e ao controle de surtos do gafanhoto migratório sul-americano no Rio Grande do Sul. A publicação estabelece o plano de emergência para lidar com a praga.

Um dos artigos diz que a comunicação dos surtos será obrigatória e realizada por produtores rurais, trabalhadores da agricultura e residentes dos municípios, proprietários, arrendatários, responsáveis ou ocupantes, a qualquer título, de imóveis rurais e estabelecimentos urbanos.

Confira:

https://www.agricultura.rs.gov.br/upload/arquivos/202007/24114945-instrucao-normativa-017-2020-2.pdf

Link para notícia no site Tua Rádio