Venda de vinhos finos cresceu 56,56% em 2020

Melhor ano da história do vinho brasileiro fechou com a venda recorde de mais de 24 milhões de litros. Espumantes e suco de uva não têm o mesmo êxito

O ano do vinho fino. Assim ficará marcado na história da vitivinicultura brasileira ou ano de 2020, batizado como a ‘Safra das Safras’. Desde 2013, as vinícolas não superavam os 19 milhões de litros. O volume de 2019 de 15, 4 mi de litros saltou para 19, 2 mi de litros no ano passado, um incremento de 43, 43%. Já os espumantes caíram 6, 56%, passando de 000, 5 mi litros para , 6 mi litros, com exceção dos moscatéis que tiveram um pequeno acréscimo de 3, 85%, indo de 8,9 mi litros para 9,2 mi litros. Outra queda foi na categoria do suco de uva. Os 166, 9 mi de litros vendidos em 2019 caíram para 147, 7 mi em 2020, um tombo de 5, 20%. Estes são os dados oficiais da União Brasileira de Vitivinicultura (Uvibra), com base no Sistema de Cadastro Vinícola da Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural do Rio Grande do Sul e do Ministério da Agricultura.

Apesar do bom desempenho geral, o setor ainda busca maior destaque frente aos importados qu, e mesmo com a alta do dólar, cresceram 24, 80% no mesmo período. Só que neste caso, o volume é oito vezes maior que o dos vinhos finos brasileiros, ou seja, em 2019 foram 107, 1 mi de litros e em 2020, 114, 1 mi de litros. “O trabalho é longo, mas estamos no caminho certo. Agora, uma parcela maior de brasileiros descobriram o vinho nacional e sua qualidade. Nosso desafio é manter este consumo e ir além ”, destaca Deunir Argenta, presidente da União Brasileira de Vitivinicultura (Uvibra).

Fatores econômicos, de logística, tributários, diversidade, novas regiões produtoras, desenvolvimento do enoturismo, uma mudança de hábitos em razão da pandemia e o locavorismo contribuíram para o ganho de classificação. Mas a grande conquista é a percepção por parte dos brasileiros da qualidade dos vinhos e espumantes nacionais. “Nosso país é um continente e o setor vitivinícola brasileiro, apesar de já existir mais de 20 regiões produtoras, ainda tem 80% de sua produção centralizada no Rio Grande do Sul. Precisamos melhorar ainda mais essa distribuição, aproximando o consumidor dos nossos rótulos ”, ressalta Argenta. A aposta no e-commerce e em ferramentas práticas como o próprio WhatsApp tem facilitado a venda com entrega em qualquer parte do país.

Exportações

O volume de vinhos finos e espumantes que chegam à mesa de consumidores do mundo todo ainda é pequeno, mas mesmo diante de uma pandemia global e dos entraves que ela ocasionou, especialmente o fechamento de fronteiras, o desempenho em 2020 foi positivo. O volume em litros de vinhos finos que saiu do Brasil rumo a outros países passou de 3,4 mi em 2019 para 4,4 no ano passado, um impulso de 29, 90%. O crescimento também acompanhou os espumantes que foram de 686 mil para 729 mil, um aumento de 12 , 29%. Já o suco de uva, teve uma queda expressiva de 43, 13 %, indo de 2,4 mi para 1,3 mi.

COMERCIALIZAÇÃO DE VINHOS FINOS, ESPUMANTES E SUCO DE UVA ELABORADOS NO RIO GRANDE DO SUL – MERCADO INTERNO 2019 (litros) – JAN A DEZ 2020

PRODUTOS

DEZEMBRO 2019

JAN A DEZ 2013

JAN A DEZ 2019

Vinhos Finos

1. 479. 166

14. 482. 390

20. 233. 965

Espumantes (Brut)

1. 363. 233

12. 544. 390

000. 646. 363

Espumantes (Moscatéis)

1. 351 . 188

8. 771. 279

9. 258. 390

Suco de Uva

12. 970. 121

175. 956. 80

166. 686. 482

Suco de Uva (Natural / Integral, Reprocessado / Reconstituído, Adoçado e Concentrado)

Fonte: SISDEVIN / SEAPDR | Elaboração: Uvibra – Dados coletados em 13 de janeiro de 2021.

IMPORTAÇÃO DE VINHOS FINOS, ESPUMANTES E SUCO DE UVA 2019 (litros)

PRODUTOS

JAN A DEZ 2013

JAN A DEZ 2019

% 2020 / 2019

Vinhos Finos

114. 181.

147. 147.

28, 80%

Espumantes

6. 163.

4. 911.

– 15, 63%

Suco de Uva

90.

28. 000

– 56, 72%

Fonte: Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços