Rio Grande do Sul alcança uma marca histórica de R $ 1,7 bilhão, na comercialização de hortifrútis

rio-grande-do-sul-alcanca-uma-marca-historica-de-r-$-1,7-bilhao,-na-comercializacao-de-hortifrutis

Mesmo com os impactos da pandemia o setor apresentados números positivos

Um levantamento feito pelo setor de análises e informações da Gerência Técnica da Ceasa – Central de Abastecimento do Rio Grande do Sul, apresentados números positivos em relação ao valor e volume de hortifrutis comercializados por produtores e atacadistas em 2020. Apesar da crise e das dificuldades geradas pela pandemia, a venda de frutas e verduras alcançou a marca histórica de mais de R $ 1,7 bilhão, valor equivalente aos 634. 002. 770, 9 quilos de hortifrutigranjeiros negociados no período. Os dois números representam crescimento de 13, 2% e 4,4%, respectivamente, em relação a 2019. Em comparação com o triênio 2017 – 2018 – 2019, o aumento foi de 27, 7%, em valores, e de 3,1%, em volumes.

De acordo com o presidente da Ceasa, Ailton dos Santos Machado, existem três razões principais para esse crescimento. A primeira está relacionada às pessoas que precisaram passar mais tempo em suas casas e assim acabam consumindo mais, principalmente os produtos ligados à alimentação. A segunda razão foi o medo da infecção por Covi – 19, que motivou os consumidores a procurar alimentos conhecidos por fortalecer a imunidade, como alho e cebola, frutas cítricas, entre outros . E a terceira razão é que a agricultura não parou, apesar das dificuldades e incertezas geradas pela doença, os produtores seguiram plantando e colhendo para atender a demanda crescente por frutas, legumes e verduras que chegam diariamente à mesa do trabalhador.