Preços pagos ao produtor de arroz continuarão em alta em 2021

Federarroz afirma que fatores internos e externos sinalizam que cotações devem se manter aquecidas ao longo de 2021

Os preços pagos ao produtor de arroz continuarão aquecidos durante o período de colheita e em todo o ano de 2021. Em entrevista à Tua Rádio São Francisco, o presidente da Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz), Alexandre Velho, afirmou que fatores como o preço do cereal no mercado internacional, além do tamanho da área plantada praticamente igual a do ano passado e o câmbio acima de R $ 5, 00 que trará grande incentivo à exportação, são alguns dos fatores que contribuem para a alta.

Ouça AQUI a entrevista completa.

O presidente da entidade também falou sobre os impactos da pandemia do coronavírus no mercado de arroz. Conforme ele, o consumidor mudou o comportamento devido a necessidade do isolamento. “Houve um aumento de consumo de 5% no mercado brasileiro”, afirma Velho.

O dirigente destaca que é preciso valorizar o produtor que ainda se manteve na atividade depois de anos de desvalorização do produto em relação aos custos. “A maioria das marcas de arroz brasileiro não usa produto importado, que é oriundo dos Estados Unidos. Neste novo normal, nós temos que valorizar o produtor local que ficou na atividade e não depender do mercado internacional ”, finaliza.