Fetag-RS entrega documento com fundamental da agricultura familiar para o Governo do RS

Fortalecimento de programas, projetos voltados para a irrigação e melhoramento da infraestrutura das estradas estão entre as demandas ativas

O presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Rio Grande do Sul (Fetag-RS), Carlos Joel da Silva, esteve reunido com o governador Eduardo Leite e com a secretária da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, Silvana Covatti, na última quinta-feira 22 / 01). Na ocasião ele entregou um documento com as principais demandas da agricultura familiar do Estado.

Em entrevista à Tua Rádio São Francisco, Silva detalhou quais são as principais referências do setor: “O documento prevê o pedido do fortalecimento dos nossos programas, como o Troca-Troca de Milho, que precisa ser fortalecido. Nós estamos com uma desistência na produção de milho no Rio Grande do Sul e estamos dependentes de outros estados. Outra questão que reforçamos para o governador, é o projeto de armazenamento de água e irrigação. O Estado precisa trabalhar nisso e precisa de um projeto que olhe como fundamental a armazenagem de água, desde a licença ambiental até o financiamento para os produtores. Falamos também na questão do cadastro florestal que precisa ser ampliado e remodelado. Nós obtivemos que prorrogar o cadastro neste ano, porque o governo não tem ‘pernas’ para melhorar esse cadastro. Também tratamos da questão do decreto das multas de vacina de sanidade animal e de levantamento de rebanho. Tivemos muitos problemas, porque, por conta da Covid, como as inspetorias estavam fechadas, aí o produtor comprou a vacina, vacinou na época, mas não pode levar a cópia da nota na inspetoria porque estava fechada e ele acabou recebendo notificações. Também pedimos para a secretária e o governador nos ajudarem a discutir com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento a Instrução Normativa 01, que trata da questão dos animais. Hoje, se tiver dois caminhões para carregar 50 suínos cada um, se por ventura, você errar a contagem e colocar um a mais em um caminhão, é quase R $ 3 mil de multa. Também pedimos duas questões novas. A primeira é baixar custos de produção para os produtos da Cesta Básica, principalmente do óleo diesel. A outra questão é que o governador das estradas estaduais que precisam de investimentos. Nós temos ainda muitos municípios que têm acesso por estrada de chão ”.

Na entrevista, Silva também afirmou que a Fetag-RS solicitou que o governador incluía no Auxílio Emergencial fornecido pelo Estado aos setores mais impactados pela pandemia, como agroindústrias gaúchas. “Muitas agroindústrias estão com as portas fechadas ou com muitas dificuldades porque as feiras eram o principal mercado e não ocorreram”, destacou.

Conforme o presidente da Fetag-RS a maior parte das pautas já está sendo analisado pela secretaria de estado da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural e órgãos competentes. Silva também falou das preocupações sobre a indefinição do Plano Safra 2021 / 2022. Confira mais detalhes em “Ouvir Notícia”.

intranet/userfiles/noticias/c144c614b80833503038f750488aae52.mp3