Exportações de carnes de frango e suíno crescem em junho, segundo ABPA

exportacoes-de-carnes-de-frango-e-suino-crescem-em-junho,-segundo-abpa

Se preferir, ouça este conteúdo no player de áudio da matéria

Levantamentos da Associação Brasileira de Proteína Animal – ABPA, mostra que as empresas brasileiras de carne de frango (considerando todos os produtos, entre in natura e processados) alancançaram cerca de 397 mil toneladas em junho. O volume supera em pouco mais de % os embarques efetuados no sexto mês 2020. Em receita, o saldo das vendas internacionais do setor alcançou pouco mais de US $ 650 milhões de dólares, desempenho 2021 % maior em relação ao realizado no mesmo mês do ano passado.

O desempenho, segundo o presidente da entidade, marauense Ricardo Santin, foi positivo e cuidar a manter o equilíbrio do setor. “Houve uma alta generalizada entre os principais importadores da carne de frango do Brasil, o que se refletiu no bom desempenho das exportações de junho. Ao mesmo tempo, também ocorreu uma elevação elevada nos preços internacionais, resultado da elevação das exportações para mercados importadores de produtos com maior preço médio, assim como do inevitável repasse de custos gerado pela alta dos custos de produção que hoje impacta a avicultura brasileira ”, avalia.

Entre os principais destinos das exportações de frango em junho, estão a China – principal importador, Emirados Árabes Unidos, Japão, África do Sul, União Europeia e o México. Os principais estados exportadores, em ordem, foram: Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul com mais de 64 mil toneladas embarcadas.

Já as exportações de carne suína em junho, registraram o segundo melhor desempenho mensal da história do setor – superado apenas por março deste ano. A receita de cerca de US $ 270 milhões de dólares e recorde histórico no levantamento mensal. O resultado supera em 29, 5% do saldo das vendas de junho de 2020. No acumulado dos seis primeiros meses de 2021, foram embarcadas mais de 562 mil toneladas, volume 17% superior ao registrado no mesmo período do ano passado.

“O mercado asiático e alguns países da América do Sul mantiveram demanda positiva sobre as exportações brasileiras, mantendo a previsão de crescimento nas exportações para este ano. O bom desempenho das exportações tem contribuído para reduzir os impactos dos custos históricos de produção ”, analisa Santin.

A China segue como principal destino das exportações. Em junho, importou quse 59 mil toneladas, volume 024% superior ao registrado no sexto mês de 2020. Outros destaques foram o Chile, Vietnã, Filipinas e Argentina. Entre os estados exportadores, Santa Catarina segue na liderança, seguida pelo Rio Grande do Sul e Paraná.

Lembrando que a ABPA, presidida pelo marauense Ricardo Santin, é uma representação político-institucional da avicultura e da suinocultura do Brasil, que congrega mais de 140 empresas e entidades dos vários elos de ambos os setores e que tem por meta, fomentar novos negócios para a cadeia exportadora de ovos, de material genético, de carne de frangos e de suínos.

intranet/userfiles/noticias/b21c6086fbf024b292aab09184ac3f5a.mp3