Criadores da ‘Comidas Feia’ falam sobre o sucesso da página no Facebook

O garibaldense Marcos Favretto e o barbosense Roger Werner Berté são os responsáveis pela página, que tem mais de 83 mil curtidas

Quem nunca preparou aquele lanche ou aquele prato na madrugada, em poucos minutos e ele não, ficou, digamos ‘esteticamente agradável’? Foi em “solidariedade” a este tipo de comida que dois colegas de trabalho, um morador de Garibaldi e outro de Carlos Barbosa, criaram a página ‘Comidas Feia’ no Facebook, a qual hoje é sucesso na rede, com mais de 83 mil curtidas.

A Rádio Garibaldi recebeu os criadores da página na manhã desta terça-feira, 26/04, para um bate-papo no programa Temática. Marcos Favretto e Roger Werner Berté contaram que a ideia de criar a Comidas Feia surgiu em novembro de 2015, em uma brincadeira entre amigos, após diversas fotos de pratos que eles recebiam em grupos no WhatsApp e que não ficavam tão bonitos no visual.

Segundo eles, a ideia da página é justamente fazer um contraponto aos pratos “gourmet” que são postados nas redes sociais e que agradam tanto no paladar como no olhar. No entanto, não se trata de uma página depreciativa, e sim com o objetivo de mostrar que as comidas simples, feitas no improviso, também podem ser boas.

Fãs de programas de culinária como o Masterchef, os dois recebem hoje cerca de 100 a 150 imagens de “comidas feias” por dia. O sucesso da página fez com que eles tivessem que chamar mais dois amigos para ajudar na manutenção, mantendo pelo menos um post por dia e atualizando outras redes sociais onde a Comidas Feia está presente: Instagram e Twitter, onde inclusive fazem um acompanhamento ao vivo do Masterchef, todas as terças à noite.

Roger disse que ao criar a página, em novembro, tinha como meta chegar em março de 2016 com 500 curtidas. E em março, eram mais de 60 mil. Hoje, mais de 83 mil pessoas, de todas as partes do Brasil, curtem a Comidas Feia. A maioria delas, pessoas que não conseguem fazer um prato à altura do Masterchef, mas que, pelo menos, se não agrada o olhar, agrada o estômago.

Ouça a entrevista completa clicando no link “Escute a notícia”.