Projeto para integrar redes ópticas da América do Sul avança

Iniciativa tem como meta proporcionar tráfego de dados mais eficiente, seguro e menos custoso na região

O projeto Rede Para a Conectividade Sul-Americana terá, até o próximo sábado, 18, uma nova etapa de negociações nas reuniões de Coordenação do Conselho Sul-Americano de Infraestrutura e Planejamento (Cosiplan), que acontece em Montevidéu (Uruguai).

A iniciativa busca integrar as redes ópticas dos países da América do Sul, proporcionando um tráfego de dados mais eficiente, seguro e menos custoso na região.

Atualmente, o caminho percorrido pelos dados numa simples conexão à internet é extenso e caro. Com o anel óptico interligando os países sul-americanos, o tráfego circulará diretamente entre as redes locais.

No encontro estão sendo promovidos intercâmbios de informações entre os países-membros e a contratação da pessoa jurídica responsável pela condução dos estudos técnicos que darão embasamento de infraestrutura à implementação de um sistema mais rápido e mais barato de comunicação na América do Sul.

Projeto BIO H2 recebe novos equipamentos

Os equipamentos permitem o estudo de padrões de mistura em reatores, visualizações de fluxo, padrões de turbulência e campos vetoriais em 3D

O projeto de pesquisa “BIO H2 – Digestão Anaeróbia de Resíduos e Efluentes Agroindustriais para a Produção de Biohidrogênio e Bioprodutos de Alto Valor Agregado”, realizado por pesquisadores da UCS desde março de 2012 em parceria com a Petrobras, recebeu, nesta semana, técnicos responsáveis para a montagem de mais um equipamento que auxiliará o desenvolvimento dessa pesquisa, que tem como objetivo a obtenção de hidrogênio como gás principal, a partir de resíduos da agroindústria, utilizando como matéria-prima vinhoto (resíduo da produção de etanol) e glicerol (resíduo da produção de biodiesel).

Os equipamentos são um Particle Image Velocimetry (PIV), Laser Induced Fluorescence temperature (LIF – Temperatura) e Shadow Particle Sizing, que permitem o estudo de padrões de mistura em reatores, visualizações de fluxo, padrões de turbulência e campos vetoriais em 3D. Com isso, segundo o coordenador da pesquisa, professor Lademir Luiz Beal, “é possível otimizar a configuração de reatores e uma grande gama de situações envolvendo turbulência, correntes de densidade, seja de líquido ou gás”. Nesses aspectos, os estudos serão realizados em sistemas monofásicos (líquido), bifásico (mistura líquido-gás) e trifásico (mistura líquido-gás-sólido).

Dessa forma o “scale up” de processos e reatores desenvolvidos no LATAM serão elaborados de forma mais segura e confiável, em relação aos resultados esperados.

O equipamento – adquirido pelo projetto BIO H2 em convênio com a Petrobrás – custou em torno de U$ 240.000,00 e foi instalado no Laboratório de Tecnologias Ambientais (LATAM) do Centro de Ciências Exatas e Tecnologia. Para a instalação, a UCS recebeu os técnicos Fábio Savassi, da Quantum Tech (do Brasil) e Steve Anderson, da LaVision inc. (dos Estados Unidos).

Pesquisadores da UnB estudam ossada de um Titanossauro

A recuperaração foi de 60% da ossada do animal

O fóssil de um titanossauro foi encontrado em Marília, no interior de São Paulo, e é um dos maiores já registrados no Brasil: estima-se que tenha 70 milhões de anos. 

Os pesquisadores conseguiram recuperar 60% da ossada do animal, que pesada 10 toneladas e 15 metros de comprimento por dois metros de altura.

Os estudos estão sendo feitos no campus Planaltina da Universidade de Brasília.